Cerco de Damasco (1148)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Cerco de Damasco.
Cerco de Damasco
Segunda Cruzada
Siege of Damascus2.jpg
Iluminura do século XIII representando o cerco de Damasco
Data 24 de julho29 de julho de 1148 (871 anos)
Local Damasco
Desfecho Vitória dos muçulmanos; os cruzados retiraram e a Noradine tomou o controlo de facto da cidade
Beligerantes
Cruzados

Armoiries de Jérusalem.svg Reino de Jerusalém

    Cross of the Knights Templar.svg Templários

    Cross of the Knights Hospitaller.svg Hospitalários

Holy Roman Empire Arms-single head.svg Sacro Império

    Arms of Swabia.svg Suábia

Arms of the Kings of France (France Ancien).svg França

    Blason Nord-Pas-De-Calais.svg Flandres
Buridas Zengidas
Comandantes
Armoiries de Jérusalem.svg Balduíno III

Holy Roman Empire Arms-single head.svg Conrado III

Arms of the Kings of France (France Ancien).svg Luís VII

Blason Nord-Pas-De-Calais.svg Teodorico
Mu'in ad-Din Unur

Ceifadim Gazi I

Noradine
Forças
50 000 desconhecida
Baixas
desconhecidas desconhecidas

O cerco de Damasco foi um confronto militar que ocorreu entre 24 e 29 de julho de 1148, durante a Segunda Cruzada. Os cruzados tentaram tomar a cidade de Damasco, então em poder dos buridas, uma dinastia turca nominalmente vassala dos califas abássidas. O cerco terminou com uma derrota decisiva dos atacantes, que levaria á desintegração da cruzada.

As duas principais forças cristãs que marcharam para a Terra Santa em resposta ao apelo do papa Eugénio III e Bernardo de Claraval para uma segunda cruzada era lideradas pelo rei Luís VII de França e Conrado III da Germânia. Ambos enfrentaram grandes dificuldades na marcha através da Anatólia nos meses que se seguiram, tendo perdido grande parte dos seus exércitos. O objetivo inicial dos cruzados era Edessa (atualmente Şanlıurfa, no sudeste da Turquia), mas para Balduíno III de Jerusalém e para os templários o alvo preferido era Damasco. No concílio de Acre, realizado a 24 de junho de 1148, os líderes franceses, alemães e do Reino de Jerusalém decidiram dirigir a cruzada para Damasco.

Os cruzados planearam atacar a cidade de oeste, onde havia pomares que os abasteceriam de comida. tendo chegado ao exterior das muralhas da cidade, montaram imediatamente um cerco, usando madeira dos pomares. A 27 de julho, os cruzados decidiram mudar-se para a planície do lado oriental da cidade, que era menos fortificado, mas que tinha muito menos comida e água. O emir de Alepo Noradine, genro de Muinidim Unur, emir de Damasco, foi em auxílio dos seus recentes aliados buridas e cortou a rota dos cruzados da sua posição anterior, vital para o seu abastecimento. Os comandantes cruzados locais recusaram-se a prosseguir com o cerco, pelo que os três reis não tiveram outra opção que não fosse abandonar a cidade. Todas as tropas cruzadas retiraram de volta para Jerusalém a 28 de julho.

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Baldwin, M. W. (1969), The first hundred years, Madison, WI: University of Wisconsin Press 
  • Brundage, James (1962), The Crusades: A Documentary History, Milwaukee, WI: Marquette University Press 
  • Hoch, Martin & Jonathan Phillips – editors (2002), The Second Crusade: Scope and Consequences, Manchester: Manchester University Press 
  • Nicolle, David (2009), The Second Crusade 1148 Disaster outside Damascus, ISBN 978-1-84603-354-4, London: Osprey 
  • Riley-Smith, Jonathan (1991), Atlas of the Crusades, New York: Facts on File 
  • Runciman, Steven (1952), A History of the Crusades, vol. II: The Kingdom of Jerusalem and the Frankish East, 1100–1187, Cambridge University Press 
  • Smail, R. C. (1956), Crusading Warfare 1097–1193, Barnes & Noble Books 

Leitura complementar[editar | editar código-fonte]

  • The Damascus Chronicle of the Crusaders, extraído da Crónica de ibne Alcalanici. Editado e traduzido por H. A. R. Gibb. Londres, 1932.
  • Guilherme de Tiro. A History of Deeds Done Beyond the Sea. Editado e traduzido por E. A. Babcock e A. C. Krey. Columbia University Press, 1943.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cerco de Damasco de 1148