Portal:Síria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Portal da Síria


Síria


Este portal pretende reunir informações sobre os mais variados temas relacionados com a Síria.


 ver · editar Bem vindo ao Portal da Síria!
Flag of syria
Coat of Arms of syria
Syria's location on a map of the Middle East and the world.

Síria (em árabe: سوريا or سورية ), oficialmente República Árabe da Síria, é um país localizado no Sudoeste Asiático que faz fronteira com o Líbano e o Mar Mediterrâneo a oeste, Israel no sudoeste, Jordânia no sul, Iraque a leste, e Turquia no norte. Um país de planícies férteis, altas montanhas e desertos, é o lar de diversos grupos étnicos e religiosos, inclusive árabes, gregos, armênios, assírios, curdos, circassianos, mandeus e turcos. Os grupos religiosos incluem sunitas, cristãos, alauitas, drusos, mandeus e iazidis. Os árabes sunitas formam o maior grupo populacional do país.

Antigamente, o nome "Síria" era sinônimo de Levante (conhecido em árabe como al-Sham), enquanto o Estado moderno abrange os locais de vários reinos e impérios antigos, como a civilização eblana, do terceiro milênio a.C. Sua capital, Damasco, está entre as mais antigas cidades continuamente habitadas do mundo.

A Síria moderna foi estabelecida após a Primeira Guerra Mundial durante o Mandato Francês e era o maior Estado árabe a surgir na região do Levante, que antigamente era dominada pelo Império Otomano. O país conquistou a independência como uma república parlamentar em 24 de outubro de 1945, quando a Síria tornou-se membro fundador da Organização das Nações Unidas, um ato que legalmente pôs fim ao antigo domínio francês - embora as tropas francesas não tenham deixado o país até abril de 1946. O período pós-independência foi tumultuado e vários golpes militares e tentativas de golpe abalaram a nação árabe no período entre 1949 e 1971. Entre 1958 e 1961, a Síria entrou em uma breve união com o Egito, que foi encerrada depois do golpe de Estado de 1961. A República Árabe da Síria surgiu no final de 1961 depois do referendo de 1 de dezembro, mas se tornou cada vez mais instável até que o golpe de Estado de 1963, após o qual o Partido Baath assumiu o seu poder. A Síria esteve sob uma lei de emergência entre 1963 e 2011, o que efetivamente suspendeu a maioria das proteções constitucionais de seus cidadãos, além de seu sistema de governo ser amplamente considerado como autoritário. Bashar al-Assad é o presidente do país desde 2000 e foi precedido por seu pai, Hafez al-Assad, que governou a Síria entre 1970 e 2000.

A população predominante é de muçulmanos sunitas, mas com uma significante população de alauitas, drusos e minorias cristãs. Desde a década de 1960, oficiais militares Alauitas tem dominado o cenário político do país. Etnicamente, cerca de 90% da população é árabe, e o estado é governado pelo Partido Baath de acordo com princípios nacionalistas árabes, dos quais aproximadamente 10% pertencem à minoria curda.


 ver · editar Artigos selecionados
Vista à distância do local da batalha de Jarmuque

A batalha de Jarmuque (em árabe: معركة اليرموك), também grafada como Yarmouk, Yarmuq ou, em grego, Hieromyax (Ἱερομύαξ) ou Iermouchas (Ιερμουχάς), foi uma grande batalha entre as tropas árabes do Califado Ortodoxo e os exércitos do Império Bizantino. Envolveu uma série de combates que duraram seis dias, de 15 a 20 de agosto de 636, travados perto do rio Jarmuque, a sudeste do mar da Galileia, no que é atualmente a fronteira entre a Síria e a Jordânia e não muito longe das fronteiras do Líbano e Israel. O resultado da batalha foi uma vitória total muçulmana que acabou com o domínio bizantino na província romana da Síria. É considerada uma das batalhas mais decisivas da história militar e foi o ponto mais alto da primeira vaga das conquistas islâmicas que se seguiram à morte de Maomé, prenunciando o rápido avanço muçulmano no Levante, que na altura era cristão.

O imperador bizantino Heráclio tinha enviado uma expedição numerosa para o Levante em maio de 636, com o objetivo de travar o avanço muçulmano iniciado dois anos antes e de recuperar os territórios perdidos. À medida que o exército bizantino se aproximava, os Árabes retiraram da Síria e reagruparam todas as suas forças nas planícies de Jarmuque perto da Arábia, onde, depois de terem recebido reforços, derrotaram as tropas bizantinas numericamente superiores. A batalha é considerada uma das maiores vitórias de Calide ibne Ualide e cimentou a sua reputação como um dos maiores estrategos e comandantes de cavalaria da história.

Flag-map of Syria.svg Ler mais ...
 ver · editar Sabia que?
Nuvola apps filetypes.svg

... que o ex-primeiro-ministro da Síria Sabri al-Asali fez parte da delegação que participou da fundação da Liga Árabe no Cairo em 1945?

... que o Templo de Bel formava o centro da vida religiosa em Palmira e era considerada sua ruína "mais bem preservada"?

... que o teatro romano de Bostra, construído no século II em Bostra, é o maior, mais completo e mais bem preservado de todos os teatros romanos no Oriente Médio?

... que o Campo de Diocleciano em Palmira serviu de base para a I Legião dos Ilírios?


 ver · editar Predefinições
Séries
Esboços
Ligações
Outros
 ver · editar Como colaborar
Colabore!

Agradecemos o seu interesse por ampliar e melhorar os artigos relacionados com a Síria na Wikipédia! Abaixo algumas coisas que esperam a sua colaboração.

 ver · editar Imagem selecionada
Deir Mar Musa 02.jpg
Vista do edifício principal (e mais velho) de Deir Mar Musa al-Habashi ou Mosteiro de São Moisés, o Abissínio.
 ver · editar Biografia selecionada
Retrato de al-Kharrat

Abu Muhammad Hasan al-Kharrat (em árabe: حسن الخراط Ḥassan al-Kharrāṭ; 1861–25 de dezembro de 1925) foi um dos principais comandantes rebeldes sírios da Grande Revolta Síria contra o Mandato Francês. Suas principais áreas de atividades estavam em Damasco e na região de Ghouta.

Como o qabaday (líder dos jovens locais) do bairro al-Shaghour, em Damasco, al-Kharrat juntou-se com Nasib al-Bakri, um nacionalista de uma das famílias mais influente da área. No convite de Al-Bakri, al-Kharrat uniu-se à revolta em agosto de 1925 e formou um grupo de combatentes de al-Shaghour e outros bairros nas imediações. Ele liderou o ataque contra Damasco, capturando brevemente a residência do alto-comissário francês Maurice Sarrail antes de se retirar em meio a intensos bombardeios dos franceses.

No final de 1925, as relações entre Al-Kharrat e outros líderes rebeldes tornaram-se tensas, especialmente com Sa'id al-'As e Ramadan al-Shallash, acusando-se mutuamente de saquear aldeias ou extorquir habitantes locais. Al-Kharrat continuou a liderar operações no Ghouta, onde foi morto em uma emboscada francesa, mas ganhou a reputação duradoura como um mártir da resistência síria ao domínio francês e é considerado um herói nacional.

Flag-map of Syria.svg Ler mais ...
 ver · editar Categorias
 ver · editar Mapa

Syria Ethnoreligious Map.png


Mapa mostrando a divisão étnico-religiosa da Síria antes da guerra civil.

 ver · editar WikiProjetos
Syria map blank.png Você está convidado a participar do WikiProjeto Ásia, um WikiProjeto dedicado a desenvolver e melhorar artigos sobre a Síria. Flag of the United Arab Republic.svg
 ver · editar Portais relacionados
 ver · editar Wikimedia
Wikimedia-logo.svg
Síria no Commons Síria no Commons
Imagens e mídia
Síria no Wikcionário Síria no Wikcionário
Definições
Síria no Wikilivros Síria no Wikilivros
Livros didáticos e manuais
Síria no Wikinotícias Síria no Wikinotícias
Notícias
Síria no Wikiquote Síria no Wikiquote
Citações
Síria no Wikisource Síria no Wikisource
Biblioteca
Síria na Wikiversidade Síria na Wikiversidade
Recursos de aprendizado