Nacionalismo árabe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Nacionalismo árabe (em árabe: القومية العربية‎ al-Qawmiyya al-`arabiyya) é uma ideologia nacionalista que celebra as glórias da civilização árabe, a língua e a literatura dos árabes, chamando para o rejuvenescimento e a união política no mundo árabe.[1] Sua premissa central é que os povos do mundo árabe, desde o Oceano Atlântico ao Mar Arábico, constituem uma só nação unidas por patrimônio linguístico, cultural, religioso e histórico comum. [2] [3] Um dos objetivos principais do nacionalismo árabe é o fim da influência ocidental no mundo árabe, visto como um "inimigo" da força árabe, e a eliminação dos governos árabes considerados como dependentes das potências ocidentais. Alcançou proeminência com o enfraquecimento e derrota do (não árabe) Império Otomano no início do século XX e declinou após a derrota dos exércitos árabes na Guerra dos Seis Dias.[1] [2] Personalidades e grupos associados com nacionalismo árabe incluem o líder egípcio Gamal Abdel Nasser, o Movimento Nacionalista Árabe, o falecido líder líbio Muammar al-Gaddafi, o Partido Baath que chegou ao poder na Síria e no Iraque há alguns anos, e seu fundador Michel Aflaq. O Pan-arabismo é um conceito relacionado, na medida em que chama o comunalismo supranacional entre os estados árabes.

Pensadores nacionalistas árabes[editar | editar código-fonte]

Proeminentes chefes de Estado árabes nacionalistas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b "Requiem for Arab Nationalism" by Adeed Dawisha, Middle East Quarterly, Winter 2003
  2. a b Charles Smith, The Arab-Israeli Conflict,in International Relations in the Middle East by Louise Fawcett, p. 220.
  3. Sela, 151