Chester

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Chester (desambiguação).
Chester (Céstria)
Centro comercial de Chester
Centro comercial de Chester
Cheshire outline map with UK.png
País  Inglaterra, no  Reino Unido
População  
  Cidade 118 200[1]

Chester ou, mais raramente, na sua forma portuguesa Céstria,[2] é a cidade sede do condado de Cheshire, na Inglaterra. Localiza-se às margens do rio Dee, perto da fronteira com o País de Gales, considerada a porta norte de Gales. Tem uma população de 118 200 habitantes.[3]

É a mais populosa aglomeração urbana do condado não metropolitano de "Oeste de Cheshire e Chester", que tinha uma população de 332 200 em 2014.[4][5] Chester recebeu o estatuto de cidade em 1541.

História[editar | editar código-fonte]

Chester foi fundada como um castro ou fortificação romana, com o nome de Deva Vitoriosa no ano 79 pela Legio II Adiutrix romana. As quatro estradas principais de Chester: Eastgate, Northgate, Watergate e Bridge, seguem os traçados estabelecidos naquele tempo - há quase 2 000 anos atrás. Uma das três principais bases do exército romano, Deva, mais tarde, tornou-se um grande povoado na província romana da Britânia. Após a partida dos romanos no século V, os Saxões fortificaram a cidade contra os Daneses e deram, a Chester, o seu nome atual. A santa padroeira de Chester, Verburga, está enterrada na Catedral de Chester.

Chester foi uma das últimas cidades da Inglaterra a passar para o controle normando durante a conquista normanda da Inglaterra. Guilherme, o Conquistador ordenou a construção de um castelo no local para manter o domício sobre a cidade e a região próxima à fronteira galesa. Em 1071, Guilherme fez, de Hugh Lorentzen, o primeiro Conde de Chester.

Chester tem a reputação de ser a "cidade medieval inglesa por excelência", mas muitos dos seus edifícios são da era vitoriana.[6] Ela possui a mais completa muralha da Grã-Bretanha,[7] e a maior parte dos muros são bens tombados de Grau I (estruturas de excelente interesse nacional arquitetônico ou histórico). A Revolução Industrial trouxe ferrovias, canais e novas rodovias para a cidade, que teve substancial expansão e desenvolvimento - o Paço Municipal de Chester e o Museu de Grosvenor são exemplos da arquitetura vitoriana deste período.

Referências

  1. The Telegraph. Disponível em http://www.telegraph.co.uk/history/10473199/Chester-ten-facts-about-one-of-Europes-prettiest-cities.html. Acesso em 4 de janeiro de 2018.
  2. Fernandes, Ivo Xavier (1941). Topónimos e Gentílicos. I. Porto: Editora Educação Nacional, Lda. 
  3. The Telegraph. Disponível em http://www.telegraph.co.uk/history/10473199/Chester-ten-facts-about-one-of-Europes-prettiest-cities.html. Acesso em 4 de janeiro de 2018.
  4. The Telegraph. Disponível em http://www.telegraph.co.uk/history/10473199/Chester-ten-facts-about-one-of-Europes-prettiest-cities.html. Acesso em 4 de janeiro de 2018.
  5. «2001 Census: Census Area Statistics Chester (Local Authority)». Office for National Statistics. Consultado em 27 de setembro de 2008  Também: «Chester in context». Chester City Council. Consultado em 27 de setembro de 2008 
  6. Pevsner and Hubbard, pp. 130–131.
  7. Morriss, p. 43.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Chester
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Inglaterra é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.