Citopatologia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Citopatologia é o estudo das células e suas alterações em casos patológicos. A amostra a ser analisada pelo exame de citopatologia recebe o nome de esfregaço.

O exame citopatológico, inclusive o "preventivo ginecológico", envolve uma avaliação morfológica celular determinante para a detecção por exemplo de uma pré-malignidade ou malignidade, o que quando associado a um quadro clínico específico, permite ao médico direcionar o paciente para um tratamento clínico ou cirúrgico.

O exame de colpocitologia oncótica ou preventivo do câncer do colo do útero é um dos exames de citopatologicos mais realizados mundialmente,também chamado popularmente de "Exame de Papanicolaou", por conta da técnica de coloração utilizada para analisar as células terem sido criadas por um médico chamado Papanicolau.

A citopatologia pode ser exercida por biólogos, biomédicos ou farmacêuticos com finalidade de rastreamento e por médicos com finalidade diagnóstica, com especialização comprovada em Citopatologia, Citologia Clínica ou Citologia Oncótica numa entidade reconhecida nacionalmente, podendo assumir responsabilidade pelos laboratórios, seus laudos e pareceres.

A Citopatologia é a área de atuação da Patologia que estuda as doenças a partir de observação ao microscópio de células obtidas por esfregaços, aspirações, raspados, centrifugação de líquidos e outros métodos. Sendo assim, exige-se conhecimentos em áreas afins como clínica, cirurgia, oncologia, patologia, imunologia, hematologia, fisiologia, bioquímica, biologia molecular, farmacologia, microbiologia, etc. Este procedimento laboratorial pode detectar alterações da morfologia celular para o diagnóstico (definitivo ou presuntivo) ou prevenção de doenças a partir do estudo ao microscópio de esfregaços celulares, líquidos corpóreos ou de amostras colhidas por escovados, raspados, imprints ou punções aspirativas. É um método rápido, de baixo custo operacional e, se realizado com técnicas adequadas e por profissional devidamente treinado, é de grande confiabilidade. As células da maioria dos cânceres iniciais sofrem esfoliação e podem ser identificadas sob o microscópio, depois de uma preparação adequada. O exemplo mais conhecido deste tipo de exame é o exame de Papanicolau ou preventivo do câncer de colo uterino, ou colpocitológico. Este exame é colhido pelo ginecologista e enviado ao laboratório para que o citopatologista possa analisar as células e, se for o caso, fazer o diagnóstico precoce do câncer ginecológico ou de seus fatores de risco, como o HPV, possibilitando assim, o tratamento mais adequado das pacientes acometidas por esta doença.

O exame de colpocitologia oncótica estuda as células da cérvix uterina, compreendendo os epitélios escamoso e glandular, sendo que, o câncer de células escamosas é chamado de carcinoma de colo de útero e o câncer de células glandulares é chamado de adenocarcinoma de colo uterino. Porém, o exame de colpocitologia detecta também lesões inflamatórias e agentes infecciosos como fungos (candida albicans), bactérias (Gardnerella), protozoários (Trichomonas vaginalis) e vírus (Herpes genital e hpv).

As lesões pré-cancerosas de colo de útero são determinadas de acordo com o sistema Bethesda, porém, muitos laudos ainda podem apresentar a classificação de Papanicolaou.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]