Doença autoimune

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Doenças autoimunes
Mulher com o exantema em forma de borboleta característico do lúpus
Especialidade Reumatologia, imunologia, gastroenterologia, outras
Sintomas Dependem da condição. Os mais comuns são febre, tonturas e fadiga[1]
Início Idade adulta[1]
Tipos Alopécia areata, doença celíaca, diabetes mellitus tipo 1, doença de Graves, doença inflamatória intestinal, esclerose múltipla, psoríase, artrite reumatoide, lúpus eritematoso sistémico[1]
Medicação Anti-inflamatórios não esteroides, imunossupressores, imunoglobulina intravenosa[1][2]
Frequência 24 milhões / 7% (EUA)[1][3]
Classificação e recursos externos
CID-10 D84.9, M35.9
CID-9 279.4
OMIM 109100
DiseasesDB 28805
MedlinePlus 000816
MeSH D001327
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Uma doença autoimune é qualquer condição que tenha origem numa reação imunitária anormal em que o corpo ataca uma parte normal do seu próprio organismo (autoimunidade).[1] Existem pelo menos 80 tipos de doenças autoimunes.[1] Praticamente qualquer parte do corpo pode ser afetada.[3] Embora os sintomas dependam da condição, existem sintomas comuns à maioria das doenças autoimunes, como febre pouco elevada e fadiga.[1] Em muitos casos os sintomas aparecem e desaparecem ciclicamente.[1]

As causas são geralmente de origem desconhecida.[3] Algumas doenças autoimunes, como o lúpus, são familiares, enquanto outras podem ser desencadeadas por infeções ou outros fatores ambientais.[1] Entre as doenças mais comuns de origem autoimune estão a alopécia areata, doença celíaca, diabetes mellitus tipo 1, doença de Graves, doença inflamatória intestinal, esclerose múltipla, psoríase, artrite reumatoide ou lúpus eritematoso sistémico.[1][4] Em muitos casos é difícil determinar o diagnóstico.[1]

O tratamento depende do tipo e da gravidade da doença.[1] Em muitas doenças é comum a administração de anti-inflamatórios não esteroides e imunossupressores.[1] Em alguns casos também é administrada imunoglobulina por via intravenosa.[2] Embora os tratamentos melhorem os sintomas, geralmente não existe cura para as doenças autoimunes.[1]

Cerca de 7% da população dos Estados Unidos (24 milhões de pessoas) são afetadas por uma doença autoimune.[1][3] As doenças são mais comuns entre mulheres do que entre homens.[1] Geralmente têm início em idade adulta.[1] As primeiras doenças autoimunes foram descritas no início do século XX.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r «Autoimmune diseases fact sheet». OWH. 16 de julho de 2012. Consultado em 5 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 5 de outubro de 2016 
  2. a b Katz, U; Shoenfeld, Y; Zandman-Goddard, G (2011). «Update on intravenous immunoglobulins (IVIg) mechanisms of action and off- label use in autoimmune diseases.». Current pharmaceutical design. 17 (29): 3166–75. PMID 21864262. doi:10.2174/138161211798157540 
  3. a b c d Borgelt, Laura Marie (2010). Women's Health Across the Lifespan: A Pharmacotherapeutic Approach (em inglês). [S.l.]: ASHP. p. 579. ISBN 9781585281947. Cópia arquivada em 8 de setembro de 2017 
  4. Reinhard Hohlfeld, Klaus Dornmair, Edgar Mein, Hartmut Weker, The search for the target antigens of multiple sclerosis, part 1: autoreactive CD4+ T lymphocytes as pathogenic effectors and therapeutic targets. The Lancet, Neurology, Volume 15, Issue 2, February 2016, Pages 198-209, https://doi.org/10.1016/S1474-4422(15)00334-8
  5. Paniker, Ananthanarayan And (169). Ananthanarayan and Paniker's Textbook of Microbiology (em inglês). 2005: Orient Blackswan. ISBN 9788125028086. Cópia arquivada em 8 de setembro de 2017