Bicarbonato de sódio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Bicarbonato de sódio
Alerta sobre risco à saúde
Sodium bicarbonate.jpg
SodiumBicarbonate.png
Nome IUPAC Hidrogenocarbonato de sódio
Identificadores
Número CAS 144-55-8
Número RTECS VZ0950000
Propriedades
Fórmula molecular NaHCO3
Massa molar 84.007 g/mol
Aparência Sólido branco cristalino
Densidade 2.159 g/cm3 (s).
Ponto de fusão

543K (270°C)

Solubilidade em água 7.8g/100ml água (18°C)
Índice de refracção (nD) 1.500
Estrutura
Estrutura cristalina Monoclínico
Termoquímica
Entalpia padrão
de formação
ΔfHo298
-951 kJ/mol (s)
Entropia molar
padrão
So298
102 J/mol·K (s)
Riscos associados
MSDS External MSDS
Principais riscos
associados
Pode causar irritação
NFPA 704
NFPA 704.svg
0
1
0
 
Ponto de fulgor Não inflamável.
Compostos relacionados
Compostos relacionados Carbonato de sódio
Ácido carbônico
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

O bicarbonato de sódio ou hidrogenocarbonato de sódio, é composto de fórmula NaHCO3, é um sólido cristalino de cor branca, solúvel em água, com um sabor ligeiramente alcalino.

Aplicações[editar | editar código-fonte]

Usa-se como antiácido, para tratar a acidez do estômago porque ele tem o poder de neutralizar os excessos do ácido clorídrico do suco gástrico. Em algumas formulações farmacêuticas, é misturado aos ácidos cítrico e tartárico, ambos sólidos.

Devido à capacidade do bicarbonato de sódio libertar dióxido de carbono gasoso (CO2), também é muito usado nas receitas de culinária como agente levedante ("fermentos químicos"), para ser utilizado no crescimento das massas de pães, bolos e biscoitos durante o cozimento no forno, em especial quando misturado ao ácido tartárico, e na produção de bebidas gasosas (refrigerantes).

Outras utilizações do bicarbonato de sódio são como reagente de laboratório, na eletrodeposição de ouro e platina, em curtumes, no tratamento da e da seda, na nutrição de animais, na cerâmica, para a preservação da manteiga e da madeira e é um dos componentes dos talcos e desodorantes. A forma anidra do composto usa-se para absorver umidade e odores.

É utilizado na fabricação de extintores de incêndio com produção de espuma. No interior destes extintores encontram-se NaHCO3 sólido mantido em compartimento separado de uma solução de ácido sulfúrico (H2SO4). Quando estes extintores são virados, o que causa seu acionamento, o NaHCO3 e o H2SO4 se misturam e reagem, com liberação de CO2, propiciando pressão dentro do vaso, que causa sua ejeção e produzindo a espuma. Esses extintores são inadequados para uso em chamas em equipamentos e instalações elétricas, pois seu meio aquoso e salino conduz corrente elétrica, causando curtos-circuitos.

As reações envolvidas são:

2 NaHCO3 + H2SO4 → Na2SO4 + 2 H2CO3
H2CO3 → H2O + CO2(g)

É um dos componentes da droga chamada crack, onde entra como um aditivo à pasta de cocaína. É utilizado no tratamento radiológico de contaminados por Urânio.

Também é utilizado nas fraudes na produção de leite, pois a substância tem a capacidade de alcalizar o leite observado quando inicia o processo de deterioração. [1]

Reações químicas[editar | editar código-fonte]

Quando o bicarbonato de sódio é misturado com um ácido, liberta dióxido de carbono e água. Exemplos:

NaHCO3 + HCl NaCl H2O + CO2(g)
NaHCO3 + CH3COOH CH3COONa + H2O + CO2(g)

Bicarbonato de sódio reage com bases tais como o hidróxido de sódio para formar carbonatos:

NaHCO3 + NaOH → Na2CO3 + H2O

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bicarbonato de sódio
Química A Wikipédia possui o:
Portal de Química

Referências

  1. Julio Cezar Foschini Lisbôa e Monique Bossolani, EXPERIÊNCIAS LÁCTEAS (1997), Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc06/exper1.pdf