Tumor benigno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Histologia de um tumor benigno na pele.

Neoplasia benigna ou tumor benigno é o crescimento anormal de células maduras (bem diferencias), sem capacidade de invadir outros tipos tecidos e órgãos (metástase), crescem mais lento e tem bom prognóstico. Já os "tumores malignos" ou "neoplasias malignas" tem células imaturas (pouco diferenciadas), crescem mais rápido e invadem outros tecidos por isso são chamados popularmente de câncer.[1] Geralmente são arredondados e envolvidos por uma cápsula de tecido fibroso ou epitelial. Exemplos comuns de tumores benignos são as verrugas e pólipos.

Alguns tumores benignos podem fazer transformação maligna e por isso precisam ser acompanhados ou removidos.

Efeito de massa[editar | editar código-fonte]

Os tumores causam um "efeito de massa" ao comprimir outras estruturas:

  • Nervos comprimidos podem causar dor, fraqueza (paresia) ou paralisia na parte inervada.
  • Vasos sanguíneos comprimidos causam isquemia e necrose dos tecidos que deixarem de ser irrigados.
  • Vasos linfáticos comprimidos podem causar grandes edemas purulentos.
  • Tubo digestivo comprimido por causar dificuldade para engolir (disfagia) ou constipação.
  • Vias respiratórias comprimidas podem causar dificuldade para respirar (dispneia)
  • Dentro do crânio causam hipertensão intracraniana e se não removidos podem causar uma hernia cerebral potencialmente fatal.[2]

Adenomas[editar | editar código-fonte]

Os tumores de glândulas (adenomas) podem produzir hormônios causando doenças endócrinas. Por exemplo um tumor da tiroide pode causar hipertiroidismo e um prolactinoma pode causar infertilidade e perda da libido.[3]

Nomenclatura[editar | editar código-fonte]

Os neoplasmas benignos recebem a denominação através da célula em que se deu a origem do tumor mais o sufixo "-oma". Por exemplo: "rabdomio-" (células musculares esqueléticas em grego)+oma(tumor) = rabdomioma (tumor benigno de células musculares esqueléticas). Já os tumores malignos frequentemente usam os sufixos "-carcinoma", "-sarcoma" ou "-blastoma". Por exemplo: rabdomio+sarcoma = rabdomiossarcoma (tumor maligno de músculo esquelético).

Tipos[editar | editar código-fonte]

Tumores de acordo com células de origem
Célula de origem Tipo de célula Tumor[4]
Endoderma
Mucosas Pólipos
Glandular Adenoma
Papiloma
Cisto
Fígado Adenoma hepático
Placenta Mola hidatiforme
Renal Nefroma
Epitélio escamoso Papiloma escamoso
Mesênquima Vaso sanguíneo Hemangioma
Osso Osteoma
Cartilagem Condroma
Tecido adiposo Lipoma
Tecido fibroso Fibroma
Vaso linfático Linfangioma
Músculo liso Leiomioma
Músculo estriado Rabdomioma
Ectoderma Glia Glioma
Melanócitos Nevo
Meninges Meningioma
Nervos Neuroma

Referências

  1. http://www.webmd.com/a-to-z-guides/benign-tumors-causes-treatments#1
  2. Zazulia, AR; Diringer MN; Derdeyn CP; Powers WJ (1999). "Progression of mass effect after intracerebral hemorrhage". Stroke. 30 (6): 1167–73. doi:10.1161/01.str.30.6.1167. PMID 10356094.
  3. http://www.minhavida.com.br/saude/temas/tumor-na-hipofise
  4. Wujcik, Debra; Yarbro, Connie Henke; Barbara H. Gobel (2011). Cancer nursing: principles and practice. Boston: Jones and Bartlett Publishers. ISBN 0-7637-6357-8