Câncer ovariano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Câncer ovariano
Esquema mostrando os ovários e outras partes do sistema reprodutor feminino
Classificação e recursos externos
CID-10 C56, D27
CID-9 183, 220
DiseasesDB 9418
MedlinePlus 000889
eMedicine med/1698
MeSH D010051
Star of life caution.svg Aviso médico

O termo câncer ovariano refere-se a neoplasias (tumores malignos) com origem no ovário[1] estrutura responsável pela produção dos óvulos nas mulheres.

Acontece com maior frequencia a partir da oitava década de vida, sendo relativamente raro em idades mais precoces.

Fatores de risco para seu desenvolvimento incluem histórico familiar prévio da doença, nuliparidade (ausência de gestações prévias), menarca precoce, menopausa tardia e idade avançada.[2] São consideradas pacientes de risco as mulheres portadoras de mutações nos genes BRCA1 e BRCA2, cuja chance de desenvolver câncer pode chegar a mais de 50%, sendo por isso recomendada a retirada dos ovários e as tubas uterinas quando tiverem idades entre 35 e 40 anos.[3] [4]

Em geral causa sintomas inespecíficos, o que contribui para o atraso no diagnóstico, resultando em um pior prognóstico.

Até muito recentemente o único fator de risco conhecido era o número de ovulações, quanto maior, maior era o risco de câncer de ovário; isto motivou uma única medida preventiva: a diminuição no número de ovulações, com o uso de pílulas anticoncepcionais.[3] Porém existem fortes evidências de que os únicos tumores realmente originados nos ovários sejam os tumores das células germinativas, já os tumores epiteliais na sua grande maioria são tumores originados em outros sítios e implantados precocemente nos ovários.[3]

Há, igualmente, estudos que indicam a associação entre a síndrome do ovário policístico (SOP) e o câncer ovariano [5] [6] .

Referências

  1. Svetlana Mironov, Oguz Akin, Neeta Pandit-Taskar, Lucy E. Hann. (2007). "Ovarian Cancer". Radiol Clin N Am 45: 149-166.
  2. Christine Vo, Michael E. Carney. (2007). "Ovarian Cancer Hormonal and Environmental Risk Effect". Obstet Gynecol Clin N Am 34: 687-700.
  3. a b c CARVALHO, Jesus Paula. "Prevenção do câncer de ovário", in: Revista Onco&, Iaso Editora, Dezembro 2011/Janeiro-Fevereiro 2012
  4. . Nusbaum R, Isaacs C. Management updates for women with a BRCA1 or BRCA2 mutation. Mol Diagn Ther l2007;11: 133-44.
  5. Balen A, Glass M. Bonnar John, Dunlop William., editors. What's new in polycystic ovary syndrome? Recent Advances in Obstetrics and Gynecology 23. 2005;11:147–158.
  6. Familial associations in women with polycystic ovary syndrome. Atiomo WU, El-Mahdi E, Hardiman P Fertil Steril. 2003 Jul; 80(1):143-5.
Ícone de esboço Este artigo sobre doenças é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.