Doença cardiovascular

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Doença cardiovascular
Micrografia de um coração com fibrose (amarelo) e amiloidose (castanho). Coloração de Movat.
Classificação e recursos externos
CID-10 I51.6
CID-9 429.2
DiseasesDB 28808
MeSH D002318

Doenças cardiovasculares são uma classe de doenças que afetam o coração ou os vasos sanguíneos.[1] Entre estas doenças estão as doenças arteriais coronárias, como a angina de peito e o enfarte agudo do miocárdio,[1] acidentes vasculares cerebrais (AVC), cardiopatia hipertensiva, febre reumática, miocardiopatia, arritmia cardíaca, cardiopatia congénita, valvulopatias, cardite, aneurisma da aorta, doença arterial periférica e trombose venosa.[1][2]

Os mecanismos subjacentes variam de acordo com a doença em questão. A doença arterial coronária, os acidentes vasculares cerebrais e a doença arterial periférica envolvem aterosclerose, que pode ser causada por hipertensão arterial, tabagismo, diabetes, falta de exercício físico, obesidade, colesterol elevado, dieta inadequada e consumo excessivo de bebidas alcoólicas. A hipertensão arterial é a causa de 13% das mortes por doenças cardiovasculares, o tabaco de 9%, a diabetes de 6%, a falta de exercício de 6% e a obesidade de 5%. A febre reumática cardíaca pode ter origem numa faringite estreptocócica que não tenha sido tratada.[1]

Estima-se que 90% dos casos de doenças cardiovasculares possam ser evitados com medidas de prevenção.[3] A prevenção da aterosclerose pode ser feita diminuindo os fatores de risco, através de medidas como seguir uma alimentação saudável, praticar exercício físico, evitar a exposição ao fumo de tabaco e limitando o consumo de álcool.[1] O tratamento da hipertensão arterial e da diabetes também é benéfico.[1] O tratamento das pessoas com faringite estreptocócica com antibióticos pode diminuir o risco de febre reumática.[4] Ainda não é claro o benefício do uso de aspirina em pessoas de outra forma saudáveis.[5][6] O United States Preventive Services Task Force recomenda que a aspirina não seja usada como medida de prevenção em mulheres com menos de 55 e homens com menos de 45 anos de idade, embora seja recomendada em alguns indivíduos mais idosos.[7] O tratamento de pessoas com doenças cardiovasculares melhora o prognóstico.[1]

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte em todo o mundo, exceto em África.[1] Em conjunto, foram responsáveis pela morte de 17,3 milhões de pessoas em 2013 (31,5%), um aumento em relação às 12,3 milhões em 1990 (25,8%).[2] Quando padronizadas para a idade, as mortes por doenças cardiovasculares são mais comuns e têm vindo a aumentar em grande parte dos países em vias de desenvolvimento, enquanto nos países desenvolvidos têm vindo a diminuir desde a década de 1970.[8][9] A doença arterial coronária e o AVC são responsáveis por 80% das mortes por doenças cardiovasculares em homens e 75% em mulheres.[1] As doenças cardiovasculares são progressivamente mais comuns com o avanço da idade. Nos Estados Unidos, apenas 11% das pessoas entre os 20 e 40 anos têm doenças cardiovasculares, 37% entre os 40 e 60 anos de idade, 71% entre os 60 e 80 anos de idade e 85% em pessoas com mais de 80 anos.[10] A idade média de morte por doença arterial coronária em países desenvolvidos é de 80 anos, enquanto que nos países em desenvolvimento é de 68 anos.[8] A doença manifesta-se em média sete a dez anos mais cedo em homens do que em mulheres.[11]

Referências

  1. a b c d e f g h i Shanthi Mendis; Pekka Puska; Bo Norrving; World Health Organization (2011). Global Atlas on Cardiovascular Disease Prevention and Control (PDF) World Health Organization in collaboration with the World Heart Federation and the World Stroke Organization [S.l.] pp. 3–18. ISBN 978-92-4-156437-3. 
  2. a b GBD 2013 Mortality and Causes of Death, Collaborators (17 December 2014). «Global, regional, and national age-sex specific all-cause and cause-specific mortality for 240 causes of death, 1990-2013: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2013.». Lancet [S.l.: s.n.] 385 (9963): 117–71. doi:10.1016/S0140-6736(14)61682-2. PMC 4340604. PMID 25530442. 
  3. McGill HC, McMahan CA, Gidding SS (March 2008). «Preventing heart disease in the 21st century: implications of the Pathobiological Determinants of Atherosclerosis in Youth (PDAY) study». Circulation [S.l.: s.n.] 117 (9): 1216–27. doi:10.1161/CIRCULATIONAHA.107.717033. PMID 18316498. 
  4. Spinks, A; Glasziou, PP; Del Mar, CB (5 November 2013). «Antibiotics for sore throat.». The Cochrane database of systematic reviews [S.l.: s.n.] 11: CD000023. doi:10.1002/14651858.CD000023.pub4. PMID 24190439. 
  5. Sutcliffe, P; Connock, M; Gurung, T; Freeman, K; Johnson, S; Ngianga-Bakwin, K; Grove, A; Gurung, B; Morrow, S; Stranges, S; Clarke, A (2013). «Aspirin in primary prevention of cardiovascular disease and cancer: a systematic review of the balance of evidence from reviews of randomized trials.». PLOS ONE [S.l.: s.n.] 8 (12): e81970. doi:10.1371/journal.pone.0081970. PMID 24339983. 
  6. Sutcliffe, P; Connock, M; Gurung, T; Freeman, K; Johnson, S; Kandala, NB; Grove, A; Gurung, B; Morrow, S; Clarke, A (September 2013). «Aspirin for prophylactic use in the primary prevention of cardiovascular disease and cancer: a systematic review and overview of reviews.». Health technology assessment (Winchester, England) [S.l.: s.n.] 17 (43): 1–253. doi:10.3310/hta17430. PMID 24074752. 
  7. US Preventive Services Task, Force (17 March 2009). «Aspirin for the prevention of cardiovascular disease: U.S. Preventive Services Task Force recommendation statement.». Annals of Internal Medicine [S.l.: s.n.] 150 (6): 396–404. doi:10.7326/0003-4819-150-6-200903170-00008. PMID 19293072. 
  8. a b Fuster, Board on Global Health; Valentin; Academies, Bridget B. Kelly (2010). Institute of Medicine of the National, : . Promoting cardiovascular health in the developing world : a critical challenge to achieve global health (Washington, D.C.: National Academies Press). pp. Chapter 2. ISBN 978-0-309-14774-3. 
  9. Moran, AE; Forouzanfar, MH; Roth, GA; Mensah, GA; Ezzati, M; Murray, CJ; Naghavi, M (8 April 2014). «Temporal trends in ischemic heart disease mortality in 21 world regions, 1980 to 2010: the Global Burden of Disease 2010 study.». Circulation [S.l.: s.n.] 129 (14): 1483–92. doi:10.1161/circulationaha.113.004042. PMID 24573352. 
  10. Go, AS; Mozaffarian, D; Roger, VL; Benjamin, EJ; Berry, JD; Borden, WB; Bravata, DM; Dai, S; Ford, ES; Fox, CS; Franco, S; Fullerton, HJ; Gillespie, C; Hailpern, SM; Heit, JA; Howard, VJ; Huffman, MD; Kissela, BM; Kittner, SJ; Lackland, DT; Lichtman, JH; Lisabeth, LD; Magid, D; Marcus, GM; Marelli, A; Matchar, DB; McGuire, DK; Mohler, ER; Moy, CS; Mussolino, ME; Nichol, G; Paynter, NP; Schreiner, PJ; Sorlie, PD; Stein, J; Turan, TN; Virani, SS; Wong, ND; Woo, D; Turner, MB; American Heart Association Statistics Committee and Stroke Statistics, Subcommittee (1 January 2013). «Heart disease and stroke statistics--2013 update: a report from the American Heart Association.». Circulation [S.l.: s.n.] 127 (1): e6–e245. doi:10.1161/cir.0b013e31828124ad. PMID 23239837. 
  11. Mendis, Shanthi; Puska,, Pekka; Norrving, Bo (2011). Global atlas on cardiovascular disease prevention and control 1 ed. (Geneva: World Health Organization in collaboration with the World Heart Federation and the World Stroke Organization). p. 48. ISBN 9789241564373. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]