Clara Immerwahr

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido de en:Clara Immerwahr. Ajude e colabore com a tradução.


Clara Immerwahr
Química
Nacionalidade Alemanha Alemã
Nascimento 21 de junho de 1870
Local Comuna de Środa Śląska
Morte 2 de maio de 1915 (44 anos)
Local Berlim
Causa Suicídio
Atividade
Campo(s) Química
Alma mater Universidade de Wrocław
Orientador(es) Richard Abegg

Clara Immerwahr (Comuna de Środa Śląska, 21 de junho de 1870Berlim, 2 de maio de 1915) foi uma química alemã.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Clara Immerwahr foi a primeira mulher alemã a doutorar-se em Química, pela Universidade de Wrocław [1] .

Em 1901 casa-se com o químico Fritz Haber. Ela contribuiu para o avanço das pesquisas de seu marido, no entanto, devido ao estereótipo do papel feminino para a época, nunca teve sua participação reconhecida e a sua investigação científica foi prejudicada.

Durante a Primeira Guerra Mundial, Haber colaborou intensamente com o militarismo alemão e desempenhou um papel importante no desenvolvimento da armas químicas, especialmente gases venenosos. Seus esforços culminaria com a supervisão da Segunda Batalha de Ypres, - no qual houve o primeiro ataque de gás na história militar - em Flandres, Bélgica em 22 de abril de 1915. Haber depois voltou para Berlim.

Pouco tempo após seu retorno, Immerwahr de posse de uma pistola militar de Haber, suicidou com um tiro no peito. Ela morreu nos braços do filho. Na manhã após sua morte, Haber imediatamente saiu de casa para encenar o primeiro ataque a gás contra os russos na Frente Oriental [2] [3] . O suicídio de Clara nunca foi divulgado por jornais não há nenhuma evidência de que houve uma autópsia. A natureza não documentada de sua morte levou à controvérsia quanto aos prováveis motivos do suicídio.

Fritz Haber se casou mais tarde novamente. Ele deixou a Alemanha por causa da perseguição nazista. Fritz Haber morreu na Basileia, Suíça em 1934 [4] . Posteriormente, o filho de Clara Immerwahr e Fritz Haber, Hermann Haber, emigrou para os Estados Unidos e cometeu suicídio em 1946 [4] . Um de seus outros filhos, Ludwig ("Lutz") Fritz Haber (1921-2004, filho de Fritz Haber e sua segunda esposa, Charlotte), publicou um livro sobre a história do gás venenoso, The Poisonous Cloud (1986 ) [5] .


Referências

  1. Cornwell, John. 'Hitler's Scientists, Science, War and the Devil's Pact'. [S.l.]: Penguin Press, 2003. p. 49. ISBN 0-14-20-0480-4
  2. Cornwell, John. 'Hitler's Scientists, Science, War and the Devil's Pact'. [S.l.]: Penguin Press, 2003. p. 65. ISBN 0-14-20-0480-4
  3. Stoltzenberg, Dietrich. 'Fritz Haber: Chemiker, Nobelpreisträger, Deutscher, Jude: eine Biographie'. [S.l.]: Weinheim, 1998. p. 356.
  4. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas stolzenberg
  5. Lutz F. Haber (1921–2004). University of Illinois at Urbana-Champaign.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) químico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

]]