Coccoidea

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaCochonilhas-de-escama
Cochonilhas-de-escama sobre ramo de limoeiro

Cochonilhas-de-escama sobre ramo de limoeiro
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Hemiptera
Subordem: Sternorrhyncha
Superfamília: Coccoidea

Os insetos-escama[1] ou cochonilhas-de-escama[2] são pequenos insetos da ordem Hemiptera, geralmente classificados na superfamília taxonómica Coccoidea. Existem cerca de 8 000 espécies.[3]

A maior parte destes insetos são parasitas de plantas, e alimentam-se da sua seiva, obtida diretamente do sistema vascular das plantas.[4] Algumas espécies alimentam-se de fungos, como acontece no género Newsteadia, da família Ortheziidae.[5] As cochonilhas-de-escama variam muito na sua aparência, desde pequenos organismos (1–2 mm) que vivem cobertos por uma camada cerosa (alguns semelhantes a conchas de ostra), ou insectos brilhantes com forma de pérola (cerca de 5 mm). As fêmeas adultas vivem praticamente imóveis (excepto no caso das cochonilhas-farinhentas), ao aderirem permanentemente à planta que parasitam. Segregam uma camada protetora de cera que lhes serve de meio de defesa; tal camada fá-los parecer escamas de peixe ou répteis, daí o seu nome vulgar.

As cochonilhas-de-escama alimentam-se de uma grande variedade de plantas, sendo muitas delas consideradas sérias pragas para a agricultura.

Cochonilha-de-escama numa folha de loureiro.

Algumas espécies têm valor económico, como acontece com a cochonilha, a cochonilha-da-polónia e o inseto-laca. A camada cerosa das cochonilhas-de-escama torna-as muito resistentes a pesticidas, que sobre elas têm apenas efeito se forem aplicados na fase em que o inseto está no primeiro ínstar de ninfa rastejante. Contudo, são frequentemente controladas com óleos hortícolas, que as sufoca, ou através de controlo biológico. Também se regista o uso de água com detergente contra estas infestações.

Fêmea de cochonilha-australiana, (Icerya purchasi Maskell) com jovens ninfas rastejantes

As fêmeas mantêm a morfologia externa imatura durante a sua maturidade sexual (neotenia),[3] o que é invulgar nos insectos hemípteros. Os machos têm asas mas nunca se alimentam, morrendo no período de um dia ou dois. Também é pouco usual o facto de estes terem apenas um par de asas, o que os faz parecerem-se com moscas (género Diptera), ainda que não tenham os característicos halteres (asas posteriores rudimentares) das moscas, e têm filamentos caudais, que também não se encontram nas moscas. As características específicas dos seus sistemas reprodutivos variam muito consoante o grupo a que pertencem, incluindo hermafroditismo e pelo menos sete formas de partenogénese.

Sistemática[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Pedro Celestino Filho, Maria de Lourdes Reis Duarte, Walkymario de Paula Lemos (2005): «Sistema de Produção da Pimenteira-do-reino», em Embrapa Amazônia Oriental Sistemas de Produção, vol. 1. ISSN 1809-4325
  2. «Manejo Integrado de cochonilha Diaspis echinocacti praga da palma forrageira em Brasil». Consultado em 26 de junho de 2009. 
  3. a b Lucía E. Claps and María E. de Haro (2001). «Coccoidea (Insecta: Hemiptera) Associated With Cactaceae in Argentina» (PDF) (em inglês). Consultado em 26 de junho de 2009.  Parâmetro desconhecido |mes= ignorado (|data=) (Ajuda)
  4. John R. Meyer (2005). «Hemiptera Suborder Homoptera» (em inglês). Consultado em 26 de junho de 2009.  Parâmetro desconhecido |mes= ignorado (|data=) (Ajuda)
  5. Douglass R. Miller (2005): «Selected scale insect groups (Hemiptera: Coccoidea) in the southern region of the United States», em Florida Entomologist, vol. 8, nº 4. ISSN: 1938-5102
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Coccoidea