Hermafroditismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O hermafroditismo (forma adjetiva: hermafrodita) ou monoicia (forma adjetiva: monoico) se refere ao fenômeno no qual o mesmo indivíduo pode funcionar tanto como macho ou fêmea,[1] ou seja, cada animal pode conter ovários e testículos e, desse modo, é capaz de produzir ovócitos e espermatozoides (ainda que não necessariamente ao mesmo tempo).[2] Quando os gametas masculinos e femininos estão presentes ao mesmo tempo no animal diz-se esse ser “hermafrodita simultâneo”, mas em outros casos existe uma reversão do sexo funcional durante o ciclo de vida e o animal é dito “hermafrodita sequencial”.[1]

Dentro do hermafroditismo sequencial, podemos encontrar o hermafroditismo sequencial protândrico, ou simplesmente protandria (do grego, proto, “primeiro”; e andro, “macho”), por meio da qual um indivíduo é primeiramente um macho funcional, mas depois torna-se uma fêmea funcional por meio de alterações sexuais ao longo da vida. Além disso, também há a situação contrária, que é menos comum, onde o indivíduo primeiramente é fêmea e depois se torna macho, sendo conhecida como hermafroditismo sequencial protogínico, ou simplesmente protoginia (do grego, gynos, “fêmea”).[2]

  1. a b Barnes, R. S. K. (2008). Os invertebrados: uma nova síntese. São Paulo: Atheneu Editora 
  2. a b BRUSCA, R. C.; BRUSCA, G. J. (2018). Invertebrados. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan