Colônia Tirolesa de Piracicaba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Colônia Tirolesa de Piracicaba é formada por dois bairros rurais: Santana e Santa Olímpia, fundadas entre 1892 e 1893 por imigrantes tiroleses de língua italiana (Trentinos),[1] oriundos do Vale do Rio Ádige. Posteriormente, chegaram famílias oriundas de outros vales trentinos, como do Vale do Rio Cembra.

A região do Tirol Meridional de onde saíram os imigrantes pertenceu até 1918 à Áustria (Império Austro-húngaro) e, após a Primeira Guerra Mundial, foi anexada ao território italiano, sendo atualmente chamada Província Autônoma de Trento.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Descendentes de imigrantes vindos dos distritos de Romagnano, Sardagna, Cortesano e Vigo Meano, no Vale do Rio Ádige (Valle del Adige, Etschtal), e de Albiano, no Vale do Rio Cembra (Val di Cembra, Zimbertal), os habitantes procuraram manter a cultura tirolesa nas mais diversas formas (dialeto, culinária, religiosidade, tradições, folclore etc).

Os bairros contam com vários grupos culturais que preservam as tradições dos antepassados.

Dança Folclórica
  • Grupo Santa Olímpia de danças folclóricas (Santa Olímpia), com categorias adulto, juvenil e infantil.
  • Grupo Folclórico Cortesano (Santana)
  • Grupo Folclórico Avanti Trentini (Santana)
  • Grupo Folclórico Nostalgia (Santana)
Corais
  • Coro Stella Alpina (Santa Olímpia)
  • Coro Càneva (Santa Olímpia)
  • Coro infantil Và Pensiero (Santa Olímpia)
  • Coro infantil Mazzolin di Fiori(Santana)
Bandas
  • Banda Típica Nostalgia (Santana)
Arquitetura

A arquitetura dos bairros é antiga e simples, nos moldes da colonização. Pode-se dizer que atualmente buscam-se os modelos tradicionais tiroleses, que podem ser observados em algumas residências, de forma a ressaltar a identidade cultural dos bairros. A Igreja de Santa Olímpia recorda aquelas igrejas tirolesas de montanha. Projetos de urbanização típica estão em andamento.

Santa Olímpia e Santana contam com uma economia relativamente diversificada, com base na agricultura, e partem para o turismo que encontra-se em constante crescimento.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Nos dois bairros é possível encontrar durante todo o ano festas que trazem um pouco da cultura tirolesa.

O bairro de Santa Olímpia organiza anualmente "Festa da Polenta", uma típica festa trentina com muita música, danças folclóricas e culinária trentino-tirolesa. A festa é realizada sempre no último final de semana de julho e recebe nos três dias mais de 15 mil visitantes.

O bairro de Santana organiza anualmente a "Festa do Vinho", com apresentações folclóricas e muita música tirolesa.

O bairro de Santana e o bairro de Santa Olímpia preservam anualmente, na terça-feira de Carnaval, a tradição da Festa de la Cucàgna, uma festa típica trentina com muita animação e cantos de carnaval.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]