Comana Pôntica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para a cidade na Capadócia, veja Comana na Capadócia. Para outros significados, veja Comana.

Comana ou Comana Pôntica (em grego: Κόμανα Ποντική; transl.: Kómana Pontiká) na Antiguidade Clássica é uma antiga cidade da região do Ponto, na moderna Turquia, que, segundo a tradição, formou a colônia de Comana na Capadócia.

História[editar | editar código-fonte]

Comana estava localizada às margens do Rio Íris e, segundo Estrabão, aproveitou de sua posição central para tornar-se um empório para mercadores armênios e de outras nacionalidades.[1] Idolatrava-se ali a deusa-lua com a mesma pompa e cerimônia que depois apareceria na cidade capadócia e os escravos trabalhando no templo eram nada menos que 6 000. São João Crisóstomo morreu em Comana quando voltava para Constantinopla depois de seu exílio em Cóciso, nos montes Antitauro.

Restos de Comana são visíveis perto de uma vila chamada Gümenek, a 12 quilômetros de Tokat, mas são muito pouco impressionantes. Há um monte e existem umas poucas inscrições numa ponte sobre o moderno rio Yeşilırmak, na qual passa a estrada que liga Niksar a Tokat.

Referências

  1. Manandian 1965, p. 78-79.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Manandian, M. A. (1965). Nina Garsoïan (trad.), ed. The Trade and Cities of Armenia in Relation to Ancient World Trade. Lisboa: Livraria Bertrand 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História da Turquia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.