Copacabana (canção)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
"Copacabana"
Single de Barry Manilow
do álbum Even Now
Lançamento Junho de 1978
Gravação 1978
Gênero(s) Disco
Duração 5:45 (versão álbum)
3:48 (versão radio)
Gravadora(s) Arista
Composição
  • Jack Feldman
  • Barry Manilow
  • Bruce Sussman
Produção
  • Barry Manilow
  • Ron Dante
Cronologia de singles de Barry Manilow
"Even Now"
(1978)
"Ready to Take a Chance Again"
(1978)

"Copacabana", também conhecida como "Copacabana (At the Copa)", é uma canção gravada pelo cantor norte-americano Barry Manilow. Escrita por Manilow, Jack Feldman e Bruce Sussman, a canção foi lançada em 1978 como o terceiro e último single do quinto álbum de estúdio de Manilow, Even Now (1978).

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

A canção foi inspirada por uma conversa entre Manilow e Sussman ocorrida no Hotel Copacabana, Rio de Janeiro, quando eles discutiram se alguém já havia criado uma canção chamada "Copacabana". Após retornar aos EUA, Manilow - que na década de 1960 era um visitante regular da boate Copacabana em Nova York - sugeriu que Sussman e Feldman escrevessem para o cantor a letra de uma canção que contasse uma historia. Eles a fizeram, e Manilow forneceu a música.[1]

A letra da canção, porém, não se refere à praia de Copacabana, mas sim se a uma boate ou um bar chamado Copacabana, boate ou bar este a que a letra faz referência como "o lugar mais quente ao norte de Havana" ("the hottest spot North of Havana"). Como Havana já fica no extremo norte de Cuba, pode-se presumir que o Copacabana fica nos Estados Unidos, e talvez seja a própria boate frequentada por Mannilow em Nova York. O enredo, cuja trama supostamente acontece nos anos 40, envolve as personagens Lola, uma dançarina do Copacabana, e seu namorado Tony, um barman no clube. Uma noite, um mafioso chamado Rico se interessa por Lola, mas ele exagera a mão enquanto tenta seduzi-la e é atacado por Tony. A briga resultante acaba em um tiro disparado; inicialmente não fica claro "quem atirou em quem", mas logo percebe-se que Tony morreu. Trinta anos depois, o clube foi transformado em uma discoteca, mas Lola, bêbada e enlouquecida pela perda de Tony, ainda passa as noites no Copacabana vestida com seu glamouroso traje de dançarina.[2]

Referências

  1. Mickey Podell-Raber, Charles Pignone (2009). The Copa: Jules Podell and the Hottest Club Nort (em inglês). Nova Iorque, E.U.A.: HarperCollins. p. 199. ISBN 9780061740886 
  2. «Lyrics World: Top 40 Hits of 1978 - Copacabana (At the Copa) - Barry Manilow (#8)». ntl.matrix.com.br (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2018