Cosmos Redshift 7

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cosmos Redshift 7
Galáxia CR7, descoberta por David Sobral e a sua equipa, que inclui Sérgio Santos.
Dados observacionais (J2000)
Constelação Sextante [1]
Distância 12,9 mil milhões anos-luz [2]
Redshift 7 [2]
Outras denominações
CR7 [2]


A Cosmos Redshift 7, também conhecida como CR7, é uma galáxia descoberta por uma equipa internacional liderada pelo astrofísico português David Sobral, sendo a galáxia mais brilhante dos primórdios do Universo.

Notas[editar | editar código-fonte]

A galáxia foi batizada CR7, nome inspirado pelo jogador português Cristiano Ronaldo, que se preparava para receber a sua terceira bola de ouro quando a galáxia foi descoberta. O nome CR7 é uma abreviação do COSMOS Redshift 7, uma medida do lugar ocupado em termos de tempo cósmico. Quanto maior o desvio para o vermelho (redshift), mais distante estará a galáxia e mais para trás no tempo da história do Universo se encontra também. A A1689-zD1, uma das galáxias mais velhas alguma vez observada, por exemplo, tem um desvio para o vermelho de 7,5.[1]

A sua descoberta foi considerada, em dezembro de 2015, uma das 10 principais descobertas astronómicas do ESO até à data.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. «CR7: Astronomers Discover Far-Off Galaxy Filled with First-Generation Stars». Sci-News. 17 de junho de 2015. Consultado em 7 de novembro de 2015 
  2. a b c «Descoberta portuguesa: CR7 dá nome à galáxia mais brilhante do Universo». Expresso. 17 de junho de 2015. Consultado em 7 de novembro de 2015 
  3. «As 10 Principais Descobertas Astronómicas do ESO». ESO. 1 de novembro de 2015. Consultado em 27 de dezembro de 2015. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2015 (a lista foi atualizada; em Archive.org)