Crotalus enyo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Como ler uma infocaixa de taxonomiaCrotalus enyo
Crotalus enyo
Crotalus enyo
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Ordem: Squamata
Subordem: Serpentes
Família: Viperidae
Género: Crotalus
Espécie: C. enyo
Nome binomial
Crotalus enyo
(Cope, 1861)
Distribuição geográfica
Crotalus enyo distribution.png
Sinónimos
  • Caudisona enyo Cope, 1861
  • Crotalus enyo – Cope, 1875
  • [Crotalus oreganus] var. enyo
    Garman, 1884
  • Crotalus tigris (part)
    Boulenger, 1896
  • Crotalus confluentus enyo
    Amaral, 1929
  • Crotalus enyo enyo
    Lowe & Norris, 1954
  • Crotalus enyo
    – Beaman & Grismer, 1994[1]
Nomes comuns: cascavel-de-baja-california,[2]

Crotalus enyo é uma espécie de víbora venenosa nativa da costa e ilhas do noroeste do México. São recohecidas actualmente três subespécies, incluindo a subespécie nominal aqui descrita.[3]

Descrição[editar | editar código-fonte]

O comprimento máximo reportado para esta espécie é 89.8 cm (Klauber, 1972).[2] É sexualmente dimórfica, sendo os machos geralmente maiores do que as fêmeas.[4] A cabeça é bastante pequena e estreita, enquanto que os olhos são proporcionalmente grandes.[2]

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

No noroeste do México pode ser encontrada na Península de Baja California, desde aproximadamente Río San Telmo na costa oeste e a ilha Angel de La Guarda na costa do golfo, para sul até Cabo San Lucas. É também encontrada no Golfo da Califórnia nas ilhas de San Marcos, Carmen, San José, San Francisco, Partida del Sur, Espíritu Santo e Cerralvo. Ao largo da costa do Pacífico, é também encontrada na ilha de Santa Margarita. A localidade tipo é "Cabo San Lucas, Baja California Sur".[1]

Habitat[editar | editar código-fonte]

Prefere o deserto, mas na parte noroeste da sua zona de distribuição, pode ser encontrada em terrenos de chaparral, enquanto na região do cabo (Serra de San Lázaro), ocorre em floresta decídua tropical e de pinheiro-carvalho. Pode ser encontrada em áreas rochosas com arbustos espinhosos e cactos, e por vezes também em dunas de areia. É frequentemente atraída a habitações humanas, onde pode ser encontrada em pilhas de materiais.[2]

Conservation status[editar | editar código-fonte]

Esta espécie está classificada como Pouco Preocupante na Lista Vermelha da IUCN de espécies ameaçadas (v3.1, 2001).[5] As espécies assim classificadas apresentam ampla distribuição geográfica, grande população estimada ou não é provável que estejam a sofrer um declínio suficientemente rápido para ser classificadas numa categoria de maior ameaça. A tendência populacional era estável quando foi avaliada em 2007.[6]

Alimentação[editar | editar código-fonte]

As serpentes desta espécie, independentemente do seu tamanho, comem pequenos roedores, lagartos e centopeias. Este modo de alimentação contrasta com o de muitas espécies de cascavel as quais se alimentam quase exclusivamente de lagartos na sua fase juvenil, passando a alimentar-se de mamíferos quando adultas. No caso de C. enyo, as serpentes pequenas comem lagartos mais frequentemente do que as de maior tamanho, e as de maior tamanho comem mamíferos mais frequentemente do que as de menor tamanho. Os adultos também se alimentam de grande centopeias do género Scolopendra.[4]

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Espécimes em cativeiro produzem ninhadas de dois a sete juvenis. Existem relatos de espécimes recém-nascidos com comprimentos entre os 20.6 e os 22.3 cm. Grismer (2002) relatou haver encontrado neonatos em estado selvagem entre finais de julho e meados de outrubro, o que indicaria que esta espécie acasala durante a primavera e dá à luz durante o verão e início do outono.[2]

Subespécies[editar | editar código-fonte]

Subespécies[3] Autor[3] Nome comum[7] Distribuição geográfica[2]
C. e. cerralvensis Cliff, 1954 Cascavel-da-ilha-de-cerralvo Ilha de Cerralvo no Golfo da Califórnia
C. e. enyo (Cope, 1861) Cascavel-da-baixa-califórnia Baja California, México, desde El Rosario para sul ao longo da península
C. e. furvus Lowe & Norris, 1954 Cascavel-de-rosario Baja California, México, desde Río San Telmo para sul até próximo de El Rosario

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

As três subespécies actuais foram reconhecidas por Beaman e Grismer (1994) na sua revisão, mas os mesmos autores indicaram que C. e. furvus não deveria ser considerada uma subespécies separada, e que C. e. cerralvensis deveria melhor ser considerada como uma espécie distinta.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c McDiarmid RW, Campbell JA, Touré T. 1999. Snake Species of the World: A Taxonomic and Geographic Reference, vol. 1. Herpetologists' League. 511 pp. ISBN 1-893777-00-6 (series). ISBN 1-893777-01-4 (volume).
  2. a b c d e f Campbell JA, Lamar WW. 2004. The Venomous Reptiles of the Western Hemisphere. Comstock Publishing Associates, Ithaca and London. 870 pp. 1500 plates. ISBN 0-8014-4141-2.
  3. a b c «Crotalus enyo» (em inglês). ITIS (www.itis.gov). Consultado em 9 February 2007  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  4. a b Diet of the Baja California Rattlesnake, Crotalus enyo (Viperidae)[ligação inativa] at APT-Online Arquivado em 26 de abril de 2006, no Wayback Machine.. Accessed 9 February 2007.
  5. Hollingsworth, B. & Frost, D.R. (2007). Crotalus enyo (em Inglês). IUCN 2007. Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN de 2007 . . Página visitada em 7 de julho de 2017..
  6. «2001 IUCN Red List Categories and Criteria version 3.1». IUCN Red List. Consultado em 7 de julho de 2017 
  7. Klauber LM. 1997. Rattlesnakes: Their Habitats, Life Histories, and Influence on Mankind. Second Edition. First published in 1956, 1972. University of California Press, Berkeley. ISBN 0-520-21056-5.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Crotalus enyo