George Albert Boulenger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
George Boulenger.

George Albert Boulenger (Bruxelas, Bélgica em 19 de Outubro de 1858Saint Malo, França em 23 de Novembro de 1937)[1] foi um zoólogo belga-britânico que descreveu e deu nomes científicos a mais de 2 000 novas espécies de animais, principalmente peixes, répteis e anfíbios. Boulenger também foi um botânico ativo durante os últimos 30 anos de sua vida, especialmente no estudo das rosas.[2]

Vida[editar | editar código-fonte]

Boulenger nasceu em Bruxelas, Bélgica, filho único de Gustave Boulenger, notário público belga, e de Juliette Piérart, de Valenciennes. Ele se formou em 1876 na Universidade Livre de Bruxelas em ciências naturais e trabalhou por um tempo no Instituto Real Belga de Ciências Naturais, Bruxelas, como naturalista assistente estudando anfíbios, répteis e peixes. Ele também fez visitas frequentes durante esse tempo ao Muséum national d'Histoire naturelle em Paris e ao Museu Britânico em Londres.

Em 1880, ele foi convidado a trabalhar no Museu de História Natural, então um departamento do Museu Britânico, pelo Dr. Albert CLG Günther e designado para a tarefa de catalogar os anfíbios da coleção. Sua posição no Museu Britânico significava que ele tinha que ser um funcionário público do Império Britânico, então se tornou um súdito britânico naturalizado. Em 1882, ele se tornou um assistente de primeira classe no Departamento de Zoologia e permaneceu nessa posição até sua aposentadoria em 1920.

Após sua aposentadoria do Museu Britânico, Boulenger estudou rosas e publicou 34 artigos sobre temas botânicos e dois volumes sobre as rosas da Europa. Ele morreu em Saint Malo, França.[1]

De acordo com relatos biográficos, ele era incrivelmente metódico e tinha uma memória incrível que o permitia lembrar de cada espécime e nome científico que ele já viu. Ele também tinha extraordinários poderes de escrita, raramente fazia um segundo rascunho de qualquer coisa que escrevia e seus manuscritos apresentavam apenas algumas correções antes de ir para o editor.

Boulenger também tocava violino, falava francês, alemão e inglês, além de ler espanhol, italiano e um pouco de russo. Como zoólogo, ele também tinha um conhecimento prático de grego e latim.

Em 1921, Boulenger publicou 875 artigos totalizando mais de 5 000 páginas, bem como 19 monografias sobre peixes, anfíbios e répteis. A lista de suas publicações e seu índice de espécies abrange 77 páginas impressas.[3]

Ele descreveu 1 096 espécies de peixes, 556 espécies de anfíbios e 872 espécies de répteis. Ele era famoso por suas monografias sobre anfíbios, lagartos e outros répteis e peixes, por exemplo, suas monografias sobre os peixes da África.

Ele era membro da Sociedade Americana de Ictiologistas e Herpetologistas e foi eleito seu primeiro membro honorário em 1935. Em 1937, a Bélgica conferiu a ele a Ordem de Leopoldo, a maior homenagem concedida a um civil.

Seu filho, Edward George Boulenger (1888–1946), também foi zoólogo e ocupou o cargo de Diretor do London Zoo Aquarium.

Trabalho em peixes que vivem em cavernas[editar | editar código-fonte]

Em 1897, o rei Leopoldo II da Bélgica começou a recrutar naturalistas para ajudar a criar o museu do Congo. Boulenger foi nomeado presidente desta comissão.

Sua principal descoberta em 1921 foi um estranho peixe do Congo. Não tinha olhos e não tinha pigmentação. Ele o reconheceu como novo e não relacionado a qualquer espécie epígea (de olhos, de superfície) existente na África. Ele escreveu um breve artigo descrevendo essa nova espécie de peixe das cavernas, o primeiro descrito na África. Ele o chamou de Caecobarbus geertsii, de caeco = blind, barbus = barb e geertsii, em homenagem a uma pessoa misteriosa, M. Geerts, que lhe forneceu o espécime. Hoje, é conhecido como Congo ou farpa cega africana.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Os livros escritos por George Albert Boulenger incluem:

  • 1894 Catalogue of the Snakes in the British Museum (Natural History) . Volume II. British Museum of Natural History London
  • 1895 Catalogue of the Perciform Fishes in the British Museum. Centrachidae, Percidae and Serranideae. British Museum of Natural History London
  • 1896 Catalogue of the Snakes in the British Museum (Natural History). Volume III. British Museum of Natural History London
  • 1897 The Tailless Batrachians of Europe . Parts I & II. The Ray Society London
  • 1903 Batraciens de la Guinee Espagnoles. Madrid
  • 1905 A contribution to our knowledge of the varieties of the wall-lizard (Lacerta muralis) in Western Europe and North Africa. Transactions of the Zoological Society of London London
  • 1910 Les batraciens et principalement ceux d'Europe. Octave Doin et Fils Paris
  • 1912 A vertebrate fauna of the Malay Peninsula from the Isthmus of Kra to Singapore, including the adjacent islands. Reptilia and Batrachia. Taylor and Francis, London
  • 1913 Snakes of Europe. Methuen London
  • 1913 Second contribution to our knowledge of the varieties of the wall-lizard (Lacerta muralis). Transactions of the Zoological Society of London. London 135–230 IIXX
  • 1916 On the lizards allied to Lacerta muralis, with an account of Lacerta agilis and L. parva. Transactions of the Zoological Society of London. London 104 VIII
  • 1917 A revision of the lizards of the genus Tachydromus. Memoirs of the Asiatic Society of Bengal 207–234 II
  • 1917 A revision of the lizards of the genus Nucras Gray. Annals of the South African Museum 195–216 II
  • 1891 Catalogue of the Reptiles and Batrachians of Barbary (Morocco, Algeria, Tunisia) : based chiefly upon the notes and collections made in 1880–1884 by M. Fernand Lataste. Transactions of the Zoological Society of London. London
  • 1920 Monograph of the Lacertidae, volume 1. British Museum of Natural History London
  • 1921 Monograph of the Lacertidae, volume 2. British Museum of Natural History London
  • 1921 Liste des publications Ichthyologiques et Herpétologiques (1877–1920). Annales de la Societé royale Zoologique de Belgique. 11-88
  • 1921 Monograph of the Lacertidae, volume 1. Johnson Reprint (1966) New York / London
  • 1921 Monograph of the Lacertidae, volume 2. Johnson Reprint (1966) New York / London
  • Boulenger et al. 1923 A survey of the fauna of Iraq. Mammals, birds, reptiles, etc. made by members of the Mesopotamia Expeditionary Force „D“ 1915–1919. Bombay Natural History Society Iraq & London
  • Boulenger et al. 1923 Étude sur les batraciens et les reptiles rapportés par M. Henri Gadeau de Kerville de son voyages zoologique es Syrie (avril–juin 1908). – Voyage zoologique d’Henri Gadeau de Kerville en Syrie (avril–juin 1908). Ballière & Sons Paris
  • George Albert Boulenger im Internet Archive


Referências

  1. a b Watson DMS (1940). «George Albert Boulenger. 1858–1937». Obituary Notices of Fellows of the Royal Society. 3 (8): 13–26. JSTOR 768868. doi:10.1098/rsbm.1940.0002 
  2. Stafleu FA, Cowan RS (1976). Taxonomic literature: a selective guide to botanical publications and collections with dates, commentaries and types, 2nd edition. 1: A–G. Utrecht: Bohn, Scheltema & Holkema. p. 384. ISBN 9789031302246. Consultado em 18 de junho de 2013 
  3. Uetz, P. (2010) The original descriptions of reptiles. Zootaxa 2334: 59–68; mapress.com - pdf

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikilivros
O Wikilivros tem um livro chamado Snakes of Europe
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre George Albert Boulenger
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.