DPZ&T

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de DPZ)
Ir para: navegação, pesquisa

Conhecida como a "casa da moderna publicidade brasileira"

NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde agosto de 2015).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

DPZ&T (anteriormente conhecida como DPZ) é uma agência de publicidade brasileira. Fundada em 1968, em São Paulo, por Roberto Duailibi, Ronald Persichetti, Francesc Petit e José Zaragoza, o embrião da DPZ&T foi o estúdio de design gráfico Metro3, fundado em 1962 por Persichetti, Zaragoza e Petit. Duailibi, que era freelancer do estúdio, se associou aos três e fundaram a agência.

Em Cartas a um jovem publicitário,[1] Duailibi conta que a agência foi aberta num momento de grande recessão econômica, e que, nos primeiros anos não obtiveram grande êxito financeiro.

No mesmo livro, Duailibi conta algumas dificuldades enfrentadas com a censura, que chegou a tirar do ar um anúncio do Peru Sadia porque via no produto uma mensagem de duplo sentido.

Washington Olivetto, Gabriel Zellmeister, Marcello Serpa, Nizan Guanaes, entre outros, iniciaram suas carreiras na DPZ&T ou passaram por ela antes de fundarem suas agências. Em 2011 a DPZ&T foi comprada pelo Publicis Group, mas os sócios permaneceram no comando da empresa.

Em 2015 a agência se associou a Taterka, dando origem a DPZ&T e escrevendo um novo capítulo de sucesso na sua história. Desde então um novo time gestor, liderados por Eduardo Simon (Presidente/ CEO), Tonico Pereira (COO), Rafael Urenha (CCO), Fernando Diniz (CSO), Daniel Jotta e Elvio Tieppo (Heads de Atendimento) e Paulo Ilha (Head de mídia) vem transformando a agência e seu modelo de atuação tornando-a novamente uma das mais bem sucessidas e premiadas agências brasileiras. Em apenas um ano de fusão, a agência trabalhando para clientes como Banco Itaú, McDonalds, Vivo, Natura, BMW, Itaú Personalitee, Polenghi, Kimberly Clark, Porto Seguro e outros conquistou diversas premiações nacionais e internacionais com destaque para 6 Effies Brasil, 2 Effies Latam, 3 premios no MaxiMedia 2016, Grand Prixx do MaxiMedia 2016, 1 prêmio no Festival of Media Global, 2 estrelas no Festival de Criação, 1 prêmio no Smarties Awards (maior premiação para cases mobile do mundo) e 4 prêmios no Festival of Media Latam (sendo a agência brasileira mais premiada).

Algumas campanhas[editar | editar código-fonte]

Entre os personagens criados pela agência em suas campanhas, estão: o Leão do Imposto de Renda, o Lequetreque da Sadia e o garoto-propaganda da Bombril, com o ator Carlos Moreno,[2] além do Baixinho da Kaiser e o Alfredo de Neve. Outras campanhas foram: "Menino Sorrindo da Seagrams", "Mamãe Fotoptica" e "Toc Toc da Duratex". Nos anos 80, vieram os anúncios "Morte do Orelhão", da Telesp e "o Garoto de Olhos Vendados", para o presunto Sadia. Entre os atuais[quando?] clientes, estão a campanha do Mon Bijou, com Reinaldo Gianecchini; a campanha de relançamento do Itaucard, com Letícia Spiller e Dan Stulbach; entre outras.

Referências

  1. DUAILIBI, Roberto. Cartas a um jovem publicitário. Editora Campus, São Paulo: 2005
  2. «Holofote». www.holofote.com. Consultado em 29 de setembro de 2008 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.