Damiano Damiani

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Damiano Damiani
Nascimento 23 de julho de 1922
Pasiano di Pordenone,  Itália
Morte 7 de março de 2013 (90 anos)
Ocupação Cineasta, roteirista, ator
Outros prêmios
David di Donatello[1]
IMDb: (inglês) (português)

Damiano Damiani (Pasiano di Pordenone, 23 de julho de 1922 - Roma, 7 de março de 2013) foi um cineasta italiano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Começou por fazer documentários nos finais dos anos 40[2] , dirigindo o seu primeiro filme em 1960. Entre outros, dirigiu Franco Nero e Claudia Cardinale, no filme Il giorno della civetta (baseado no romance homónimo de Leonardo Sciascia), pelo qual ela recebeu o prémio David di Donatello para a melhor atriz[3] . Entre os seus filmes destacam-se Confessione di un commissario di polizia al procuratore della repubblica (1971), L'istruttoria è chiusa: dimentichi (1972), Perché si uccide un magistrato (1974), Io ho paura (1977), L'avvertimento (1980), Amityville Possession (1982), Pizza Connection (1985), L'inchiesta (1987), Il sole buio (1989), L'angelo con la pistola (1992).

Entre alguns trabalhos que fez para a televisão, destacam-se alguns episódios que dirigiu da série La Piovra (1984)[4] .

O seu filme L'isola di Arturo (1962) foi premiado no Festival Internacional de Cinema de San Sebastián[5] .

Como ator participou em Il delitto Matteotti, de Florestano Vancini (1973) e no filme por si dirigido, Perché si uccide un magistrato, sem créditos.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre cineastas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.