David Carson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o diretor de cinema, veja David Carson (cineasta).
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde janeiro de 2018).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2018).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Translation to english arrow.svg
A tradução deste artigo está abaixo da qualidade média aceitável. É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, tente encontrar a página original e melhore este verbete conforme o guia de tradução.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2018)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Ambox important.svg
Este artigo ou seção parece estar escrito em formato publicitário ou apologético.
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{ER|6|2=~~~~}}, regra n° 6 da eliminação rápida.
Crystal Clear app kedit.svg
Este artigo não possui uma seção introdutória ou ela está mal formatada (desde janeiro de 2018).
Se puder, ajude-nos a melhorar este artigo com uma seção introdutória de qualidade e de acordo com o livro de estilo.
David Carson (2014)

David Carson nasceu dia 8 de Setembro de 1956 no Texas, Estados Unidos. Viveu em diferentes cidades e países na época do colégio e ao final dos anos 70 era um surfista profissional, oitavo do ranking mundial. Formou-se em Sociologia, em 1977, na Universidade do Estado em San Diego, Califórnia.

De 1982 a 1987 lecionou na Torrey Pines High School sociologia, psicologia, economia e história. Em 1983, teve sua primeira aproximação com o Design Gráfico. Aos 26 anos foi cursar na Suíça, mas especificamente na escola Rapperswil, um curso voltado ao design, com duração de apenas três semanas, que agora vemos, já foi o suficiente para seu estilo pouco criativo e muito desleixo. A partir daí, influenciado pelo designer Hans-Rudolph Lutz, começou a participar na parte gráfica de uma pequena revista de surf e a partir de 1983 até 1987 passou a trabalhar na edição da revista Transworld Skateboarding, o que lhe deu experiência a atuar nesta área que já lhe despertou a sua curiosidade e na qual ele demonstrou, posteriormente, seu talento. Em 1988 foi o responsável gráfico pela revista Musician. Após isto ele foi contratado como free-lancer para fazer um catálogo anual de moda da Surfer Publications e assim conheceu o editor Neil Feineman, com quem redirecionou tal projeto, mudando sua periodicidade, agregando assuntos e conceitos e então passaram a chamar a publicação de Beach Culture, da qual de 1889 até 1991 foi o diretor de arte. Este foi seu primeiro grande laboratório de experiências, e que “teve um dos mais inovadores projeto gráfico e editorial da época”. (CONSOLO, 2002, p. 60).

Tal projeto teve apenas seis edições, mas devido sua imensa criatividade, fora convidado pelos editores da Surfer Publications a redesenhar o projeto gráfico de sua mais importante publicação a Surfer, revista que tinha 33 anos de circulação, mas possuía um design formal e típico dos anos 70. Ficou na Surfer entre 1991 e 1992 e ganhou cerca de 150 prêmios, dentre eles o “Best Overall Design”. Atraiu pela sua criatividade e inovação a atenção de Marvin Scott Jarret (diretor e criador da revista de música alternativa Ray Gun) que o contratou em 1992, como diretor de arte de sua publicação. A revista Ray Gun após três anos sendo editorada por Carson triplicou suas vendas e isso atraiu ainda mais atenção para sua figura que começou a fazer consultoria de design para clientes como Burton Snowboard e músicos como Prince e David Byrne. Em 1994 passou a dirigir comerciais de TV para anunciantes de peso como Coca-Cola, Levi Strauus & Co., Ryder Trucks. Em 1995, escreve seu primeiro livro “The End of Print: The Graphic Design of David Carson”. Foi a primeira coleção do seu trabalho como designer.

Em 1996, Carson larga a direção de arte da Ray Gun e passa a dedicar-se a fama alcançada. Abre seu escritório de Design próprio o David Carson’s design, com escritórios espalhados, em Nova York e San Diego por exemplo. Em 1999 e em 2003 voltou a publicar três livros: 2nd Sight, Fotografiks e Trek. Aqui ele já definitivamente já “levantou vôo” e gigantes como a Nike, o Citibank, AmEx, a General Motors, entre outros, o solicitam para anúncios, reformulação de marca e todo tipo de design necessário. Até a brasileira revista Trip teve sua reformulação proposta pelo mesmo.

Atualmente possui além de seus escritórios nos EUA, um escritório em Zurich, na Suíça e é considerado o designer mais influente da atualidade. Palestrante, designer, ainda surfista, Carson continua trabalhando em projetos editoriais, televisivos, dentre outros, só não se dedica (e nem gosta) ao webdesign. O próprio defende: “Acho que, em relação ao design gráfico, o webdesign perde muito de sua força, fica confuso, não segue uma direção muito clara. Além disso, perde-se uma considerável energia no processo, conduzido por softwares mal resolvidos, que coíbem a liberdade de implementar elementos na página, por conta de caixas invisíveis!” e ao ser questionado se não teme perder espaço pela inserção da internet na vida moderna, por não se dedicar a este “tipo” de design ele rebate: “Não vou fazer webdesign porque todos fazem, isso não me dá prazer. Só navego para ver um site específico, e não entendo como as pessoas podem ficar em frente a uma tela procurando por nada! Eu não posso me dar a esse luxo, nem tenho paciência”. Carson, por sua natureza socióloga e surfista, pode ter sido agraciado, pois nem todos possuem uma visão de mundo acadêmica e informal tão distintas. O designer fez e ainda faz inúmeras viagens, para o trabalho e para o surfe, o que lhe dá ainda mais “noção de mundo” e completo sua biografia com uma frase dele próprio: “Para ser bom designer, no entanto, não é necessário rodar o mundo, mas ter no mínimo variadas experiências de vida”.

Biblografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.