Demand Progress

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Demand Progress
Tipo Organização Não Governamental
Fundação 2010
Sede Washington, D.C.
Pessoas-chave David Segal
Sítio oficial www.demandprogress.org

Demand Progress é uma organização norte-americana de ciberativismo sediada em Washington e fundada pelo programador e escritor americano Aaron Swartz. A misssão da organização é "conquistar progressivas mudanças na política pública, em especial nas liberdades e direitos civis e reforma governamental."[1]

A organização recebeu grande atenção internacional em 2011 ao combater o SOPA e o PIPA. Segundo a Demand Progress, o SOPA iria "arruinar a internet" e "dar ao governo e corporações o poder de bloquear o acesso à internet de cidadãos americanos e colocá-los na cadeia por fazer streaming de certos conteúdos".[2]

História[editar | editar código-fonte]

A Demand Progress foi fundada em 2010 por Aeron Swartz e David Segal[3] para combater o Combating Online Infringement and Counterfeits Act (COICA), um projeto de lei considerado o predecessor do SOPA e PIPA.

Durante o movimento Occupy Wall Street, em outubro de 2011 a organização Anonymous postou um tweet alertando que "a neutralidade da rede está sob ataque" com um link direcionado a uma carta aberta homônima do Demand Progress.[4] Após a prisão de seu fundador, Aaron Swartz, por suposto roubo de informações do portal JSTOR, a organização postou em seu site um apelo ao público para que assine uma nota de apoio ao ativista. Em poucas horas, mais de 15 mil assinaturas foram colhidas.[5]

Em junho de 2014, a organização lançou, junto à Sunlight Foundation, um ranking com notas atribuídas a legisladores americanos baseadas nas suas posições e votos em temas relacionados a privacidade na internet.[6]

Atividades[editar | editar código-fonte]

Atualmente a organização promove campanhas contra dezenas de projetos de lei que considera restritivos à liberdade e privacidade online. Junto à ACLU, Greenpeace, Anistia Internacional, Free Software Foundation e outras organizações, participa da iniciativa Reset the Net[7] , cuja proposta é dificultar as violações de privacidade por agências como a NSA através do uso de softwares de criptografia gratuitos.[8]

A campanha mais recente do Demand Progress é contra a fusão da Time Warner e Comcast, duas grandes companhias de mídia e telecomunicação americanas. Segundo a organização, a fusão seria desastrosa para a privacidade e liberdade de expressão.[9]

Reações[editar | editar código-fonte]

Diversos lobbistas da indústria de mídia e entretenimento manifestaram-se contra as posições da Demand Progress. Em 2011, um advogado da Câmara de Comércio americana acusou a organização de espalhar desinformação e ser exageradamente pessimista sobre o SOPA e PIPA.[10]

Em junho de 2014, o senado americano decidiu cortar verbas da agência de inteligência NSA. Acredita-se que a pressão política e popular causada por campanhas da Demand Progress, EFF e outras organizações de defesa da privacidade e liberdades na internet influenciaram fortemente a decisão.[11]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]