Discussão:Al-Qaeda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Prezados: o texto parece ter ótimo conteúdo, mas repleto de erros de português de todo tipo por ter recebido edições descuidadas, bem como links inativos para a Wikipédia por estar com grafia errada ou diferente, p. ex.:: Kartum (Cartum), Addis Abeba (Adis Abeba) etc.

Aproveito para deixar meu protesto anônimo!: acho a proposta da Wikipédia maravilhosa, mas ela peca por permitir o anonimato! Pessoas sem senso vêm vandalizando artigos e escrevendo com erros de português absurdos!

"IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato."

Sabem de onde é esta frase?

Ou seja, seja livre nosso pensamento, cem censura, mas respondamos pelo que dissermos. Ou seja, a liberdade de expressão não pode ser pretexto ou garantia de impunidade para crimes (contra a honra, contra a propriedade intelectual, crimes de ódio etc.) e outras fraudes (plágio, disseminação de boatos e de informações falsas, indução ao erro etc.).

Se alguém, como eu, quer editar um artigo, que se identifique muito bem e que confirme que sabe e aceita as regras básicas da Wikipédia quanto à qualidade dos artigos!

Não se trata de se ter que revisar tudo antes por revisores, mas que se o compadre quer mesmo editar, que o faça com responsabilidade.

O que é responsabilidade? É ser responsável, ou ter que responder pelo que escreveu.

Em breve estarei me cadastrando, por enquanto, e enquanto vossas eminências o permitem, seguirei fazendo apenas pequenas correções quando um erro me deixa as orelhas ardendo.

Mas este artigo, que é tão revelador em meio à guerra de falsas infoemações, está demais: nos erros mencionados.

Aproveitando o ensejo: todos contra o "Fair Use" na Wikipédia. Este nome tão gentil tem uma explicação péssima em português. É o seguinte: o direito estadunidense, e não o nosso, conhece a figura do "Fair Use" ("uso leal") na área do direito da propriedade intelectual.

Aparentemente sermos pelo "uso leal", para não sermos pelo desleal, certo? Mas não é isso. "Fair Use" na área da propriedade intelectual (no direito autoral) consiste, no caso específico da Wikipédia, em que o direito de lá (e não o de cá) permite o uso, ou seja, a publicação de textos ou imagens com direito de autor desautorizadamente (sem pedir autorização) em algumas condições, tais como em artigos da Wikipédia, sem interesse de lucro. Muito polêmico, certo?

Algo assim: você copia trechos de outros sites e alega que é "fair use". seus defensores acreditam que isso permitiria a Wikipédia em português crescer muito mais!

Mesmo que o direito dos paises lusófonos reconhecesse esse uso, estaríamos perdendo! A Wikipédia tem a proposta do conhecimento livre: ninguém é dono da informação! Com o "Fair Use" teríamos mais artigos, mas apenas para serem LIDOS, mas não poderíamos reproduzi-lo em outras publicações. E a Wiki tem que continuar no ideal do conhecimento livre, tudo que está nela possa ser usado por quem quer que seja, mesmo que seja, por certo, com fins comerciais.

Estou pondo este assunto aqui porque eu nem sei onde por. Quem souber e quiser que o ponha adiante!

Contra o "Fair Use" e contra o anonimato na Wikipédia (e na internet) para que a Wiki continue sendo a enciclopédia livre!

Anônimo (ou melhor, Caius Hey, São Paulo (Brasil).

O texto possui uma visão ocidentocêntrica. Alguém (não me sinto apto) poderia anexar algo que equilibrasse essa produção de saber. Pedro Grandi, DF, Brasil.

Alcaida? Al-Kaida? Al-Qaida? Al-Qaeda?[editar código-fonte]

Não estou nada de acordo com a grafia Alcaida. Por uma razão: quase ninguém a usa nos países de língua portuguesa. Acho arbitrário tentar aqui impor-se uma insólita versão "portuguesa" como a correcta, sem qualquer justificação nem debate, quando essa forma não é vulgarmente usada, nem em Portugal, nem no mundo. Nós escrevemos e toda a gente escreve Al Ahram - e não Alahram. Além do mais, Alcaida parece o feminino de alcaide, uma palavra portuguesa de origem árabe com um significado totalmente diferente. JBarreto (discussão) 19h14min de 18 de Dezembro de 2007 (UTC)

Concordo. Pqp, "Alcaida"???? Que ridículo. Vou sugerir a mudança. Nem precisa de discussão. --Andr3 sfc (discussão) 22h10min de 29 de Dezembro de 2007 (UTC)

Creeeedo! Quase me engasguei... Então Alcaida não era a patroa do Alcaide? O pior é que essa Alcaida aí tem zilhões (na verdade, umas 700 Wink.png) de páginas no Google. Não só em Portugal se usa, como também vi citações em espanhol e em italiano. Mas, em compensação, na wiki-it é Al-Qaida e na wiki-es, Al Qaida. Ambas as formas me parecem adequadas, já que a pronúncia é el-Qā‘idah ou al-Qā‘idah.Você já falou com alguém, Andr3? Yone (discussão) 02h59min de 30 de Dezembro de 2007 (UTC)

Ainda não, mas vou agora falar com algum admin e esperar que ele tenha um mínimo de bom senso. =| --Andr3 sfc (discussão) 16h16min de 30 de Dezembro de 2007 (UTC)

Caro Andr3,

O primeiro problema é o uso do e, em Al-Qaeda, pois , segundo diz a fonte citada por Nuno Raimundo, a transliteração deve ser orientada pela pronúncia mais aproximada da original, o que me parece justo. Em árabe, a pronúncia de fato é "Alcaida". A transliteração Al-Qaeda é anglófona. Em inglês, o som de "e" equivale ao do nosso "i". Mas, como os jornais tupiniquins "cozinham" as notícias de agências internacionais, acabou-se reproduzindo a grafia Al-Qaeda. Por isso muita gente acaba pronunciando "Alcaêda", que nada tem a ver com a pronúncia em árabe. Nesse caso, seria melhor usar Al-Qaida e não Al-Qaeda.

Quanto ao problema do Q não seguido de u, não usual em português, observei que também não é usual em inglês (mas na wiki-en, escrevem en:Al-Qaeda), nem em francês (mas escrevem fr:Al-Qaida), nem alemão (mas escrevem de:Al-Qaida ), nem italiano (mas escrevem it:Al-Qaida ), nem espanhol ( es:Al Qaida ). Enfim, todas essas wikipedias usam a grafia com Q (as demais usam Q ou K).

Em todo o cosmo, só a wiki-pt escreve Alcaida, que não é usual nem no Brasil nem em Portugal. Não é intrigante?

Acho que descobri por quê [1]. Em árabe existem as letras q (qaf) e k (kaf), com diferentes pronúncias. A primeira é mais gutural. Neste caso, trata-se de qaida, que vem da raiz qada e significa "guiar" - daí provém "alcaide", palavra que há séculos foi incorporada ao vernáculo e portanto se acomodou à grafia com c. Mas, no caso da famigerada organização terrorista, não se trata de palavra a ser incorporada à língua portuguesa e a tendência - mesmo na wiki-pt - é de preservar, na medida do possível, a grafia original dos nomes próprios. Portanto, creio que também no caso de transliteração se deva igualmente preservar, na medida do possível, a palavra na língua original - inclusive com este q.

Portanto, eu optaria por Al-Qaida, como transliteração mais adequada e como título do artigo. É mais fiel do ponto de vista fonético e da grafia (com Q). Não me incomoda o fato do Q não ser seguido de u - assim como não se incomodam com isso os italianos, os alemães e todos os francófonos e anglófonos - talvez porque a gente já aceite bem as palavras em língua turca, uma língua un po' di qua, un po' di là, na qual o Q não é necessariamente seguido de u.Yone (discussão) 21h47min de 30 de Dezembro de 2007 (UTC)

Esse assunto já foi discutido e creio que consensualmente, aqui, a ver se não nos repetimos. Por mim está muito bem assim. Já agora junto aqui alguns comentários de pessoas seguramente mais habilitadas que eu neste assunto bem como um artigo que usa a grafia alcaida. [2] [3] [4] [5]. João Sousa DC 22h05min de 30 de Dezembro de 2007 (UTC)
Pois pra mim, assim como seguramente pra 99% das pessoas, isso é uma bizarrice. Concordo com a ótima dissertação da Yone. --Andr3 sfc (discussão) 22h14min de 30 de Dezembro de 2007 (UTC)
Concordo com o que disse à excepção da bizarrice. Porém, não podemos andar discutindo estas coisas cada 3 meses.João Sousa DC 22h32min de 30 de Dezembro de 2007 (UTC)

Ainda penso que seja necessário definir mais claramente as regras transliteração para a wiki-pt. Sem querer desqualificar a fonte (ciberdúvidas) sempre citada direta ou indiretamente, não me parece que se possa decidir essa questão citando sempre a mesma e única fonte. Não se trata de discutir uma regra para a incorporação de palavras à língua portuguesa, mas de fixar uma regra de transliteração de palavras árabes - duas coisas bem diferentes. Portanto não é relevante evocar exemplos como "alcaide", palavra incorporada à língua portuguesa há séculos. Se fosse apenas um caso de transliteração, seria al-qaid, segundo o Dicionário Houaiss.

Finalmente, não me parece que tenha havido consenso sobre o assunto entre os editores pois a discussão [6] acabou resvalando para outros assuntos, como flavor ou não flavor e pt-BR x pt-PT. Assim a questão da transliteração se acomodou no limbo. Não se trata, de discutir de novo a mesma coisa, mas de concluir uma discussão ou de encaminhá-la a outro fórum.Yone (discussão) 02h44min de 31 de Dezembro de 2007 (UTC)

Há pessoas que vêm para a Wikipédia tentar fazer reformas ortográficas e impingir concepções pessoais, que julgam impecáveis, mas às vezes não são. Sejamos sensatos e adoptemos a forma Al-Qaida, que me parece ser a que recolhe maior consenso, além de ser a mais usada em toda a Europa não anglófona. Alcaida é hilariante, além de insólito, e Al-Qaeda não tem justificação possível nem nada a ver connosco, lusófonos, porque o 'e' aí é para ser lido 'i'. Estou de acordo com tudo ou quase que Yone disse. JBarreto (discussão) 19h32min de 31 de Dezembro de 2007 (UTC)

Vamos ver se depois das festas outras pessoas se manifestam. Creio que não se trate de um problema isolado e portanto mereça discussão mais ampla.Yone (discussão) 21h58min de 31 de Dezembro de 2007 (UTC)

Ponderando...[editar código-fonte]

Via de regra, sou contra essas discussões, por um motivo bastante singelo:

Na wiki, todas as variantes podem redundar num mesmo destino, bastando-se, para tanto, o feitio de redirect - e uma pequena nota explicativa no próprio verbete, em geral na introdução - remissiva a todas as variantes possíveis.

Ocorre, entretanto, que foi relacionada a raiz da palavra alcaide, como sendo a mesma dessa alcaida. Alcaide vem de al-qã'id. Já tem um significado em nosso idioma, como sinõnimo, por exemplo, de prefeito. A Alcaidaria é, portanto, uma prefeitura, o paço municipal. Com esta grafia agora adoptada, me perdoem, deixaria de ser uma sede administrativa. Alcadaria seria, então, um bando de membros da alcaida...

Não podemos nos agarrar a todos os neologismos, antes que sejam efetivamente consagrados. Isto vale para gírias, para erros da coloquialidade e... para os aportuguesamentos ligeiros.

Vejo, portanto, que a melhor solução seria aquela ado(p)tada para outros casos, igualmente sem celeumas: usa-se a grafia original - fazendo-se das variantes possíveis os redirects.

Vou citar um exemplo de como isso se passa - e como muitas vezes a solução é bastante simples: esta minha edição acabou com uma intrincada guerra de edições, pois já se informa todas as versões possíveis - e não mais havendo motivos para discórdia.

A forma alcaida ainda não é consagrada, mesmo em Portugal, onde parece ter-se originado. E, mesmo que seu uso tenha se popularizado com este verbete aqui, não cabe à wiki ser fonte primária.

  • Pau que dá em Chico, dá em Francisco: isso vale tanto para brasileirismos quanto para lusitanismos. Faz=se um redirect para al-Qaeda (4 milhões de resultados no google) ou Al-Qaida (857 mil resultados) - a forma mais usual na transliteração usada na imprensa mundial - e cita-se no verbete que alguns usam a grafia "alcaida", alcaêda ou quejandas...

Acho que isso seria o melhor a fazer... Conhecer ¿Digaê 01h17min de 3 de Janeiro de 2008 (UTC)

E o que acontece quando o problema é justamente de não se poder aplicar a grafia original? É por isso, André K., que continuo achando necessário definir regras para transliteração - caso contrário, preparemo-nos (ai, meu deus...) para as muitas (e cada vez mais longas) discussões bizantinas que estão por vir.
De todo modo, vamos ao resumo da ópera. Entendi que você concorda em mover o conteúdo para Al-Qaida, mudando o título do artigo principal. É isto? Yone (discussão) 03h49min de 5 de Janeiro de 2008 (UTC)
  • Não, penso que o melhor seria para o Al-Qaeda, pois há mais resultados e é a grafia usada na maioria das wikis. Se ninguém se manifestar, justificadamente, contrário à proposta, posso resolver o caso assim - pois é mister apagar-se este redirect, para então mover-se para lá o verbete... Abraços a todos. Conhecer ¿Digaê 04h43min de 5 de Janeiro de 2008 (UTC)
    • Vou tentar resumir o que eu já escrevi aí em cima. Vamos por partes:
1) Quanto ao uso do q em lugar do c, estou de acordo, já que não se trata de incorporação de palavra à língua portuguesa mas de transliteração. Mesmo o Houaiss translitera a palavra "alcaide" (que tem a mesma raiz) como al-qaid (que conduz, que guia);
2) Sim, é claro que há mais resultados para Al-Qaeda porque o noticiário é dominado por agências de notícias anglo-sax. Em inglês, e tem som de i. Este foi um dos motivos para a mudança do título para Alcaida. Confirmei com um nativo que a pronúncia, em árabe, é mesmo Al Qaida (o hífen não é necessário). Dentre as wikis que utilizam caracteres latinos, a maioria (34) usa i e não e. Apenas 5 delas usam e (an, cy, en, lt e ms).
Portanto, penso que Al Qaida seja a transliteração mais adequada. AbraçoYone (discussão) 19h36min de 7 de Janeiro de 2008 (UTC)
  • Que seja Al Qaida então... JF (discussão) 14h32min de 9 de Janeiro de 2008 (UTC)
  • O AndréK disse que tem que apagar alguma coisa, antes de mover o artigo... Yone (discussão) 18h03min de 9 de Janeiro de 2008 (UTC)
Ele se referia à Al-Qaeda. Já Al Qaida está livre, pode mover se quiser. --Andr3 sfc (discussão) 23h29min de 9 de Janeiro de 2008 (UTC)

Proteção da página e seus redirects[editar código-fonte]

Foi feita toda uma discussão e argumentação. Tive que optar entre proteger esta página (depois de movê-la para Al-Qaeda) ou bloquear o usuário que, de modo equivocado e arbitrário, desrespeitou o que aqui se discutiu e decidiu.

Optei pela forma Al-Qaeda, pois atende a duas pronúncias comuns (al-caída e al-caêda), mas sobretudo por ser a forma mais encontrada e em uso, como acima argumentei. A pretensa forma alcaida é, a meu ver, um erro imenso, pois leva a evidente anfibologia com alcaide e suas palavras derivadas (v.g. alcadaria) - já dicionarizadas há séculos (ao passo que essa pretensa variante é um forçado neologismo).

Protegi, ainda, todos os redirects, a fim travar a brincadeira do usuário em dirigi-los para esta forma equivocada, coibindo a prática arbitrária aqui.

Como nenhum outro administrador manifestou interesse pela questão, e em sendo possível encontrar outra solução, só espero que a mesma possa ser mais amplamente debatida.

Cordialmente, Conhecer ¿Digaê 23h01min de 2 de Fevereiro de 2008 (UTC)

Faça você mesmo! ( sobre o primeiro ponto da discução)[editar código-fonte]

Caro usuário ou editor; Existe uma simples solução para os erros de ortografia da Wikipedia: corrigi-los. Afinal, para isso não é preciso citar fontes ou ser um especialista em Al-Qaeda, no caso deste artigo; basta clicar em 'editar' se for esse o problema. o comentário precedente não foi assinado por 201.82.235.230 (discussão • contrib.)


===[editar código-fonte]

Ui! "Discução" doeu na alma. Falta leitura. Falta livro.

wellinton menezes uma ova![editar código-fonte]

aqui não é lugar pra se especular se a al quaeda faz ataques no brasil.vcs leêm muito a veja.189.83.29.159 (discussão) 15h36min de 21 de fevereiro de 2012 (UTC)

Projeto colaborativo[editar código-fonte]

A Wikipédia é um projeto colaborativo, estou fazendo leituras para melhorar outro artigo, achei um artigo que tinha informações úteis para que as pessoas que se interessam por este artigo possam melhorá-lo, como posso fazer para compartilhar essa informação se toda vez que tento indicar a leitura do artigo para outros editores, me revertem???--Raimundo57br (discussão) 17h36min de 20 de outubro de 2012 (UTC)

Citação: Raimundo57br escreveu: «estou fazendo leituras para melhorar outro artigo». Então melhore o artigo. A discussão não é para ficar divulgadno links, por mais que você acha bons, se for realmente útil e relevante coloque em "Ligações externas". Gabriel Yuji (discussão) 17h52min de 20 de outubro de 2012 (UTC)
No momento estou sem tempo para melhorar esse artigo, pois estou trabalhando em outro artigo, ocorre que durante o trabalho de melhoria do outro artigo li um artigo que contém informações úteis para melhorar esse aqui, por isso estou tentando divulgá-lo para que outros editores (que por acaso se interessem em melhorar esse aqui, e não para os leitores em geral, (vc sabia que as páginas de discussão de artigos têm um número menor de acessos do que as páginas principais?), aliás achei outro artigo semelhante--Raimundo57br (discussão) 18h04min de 20 de outubro de 2012 (UTC)

Removida uma das referencias[editar código-fonte]

A referencias "Editorial - Once we exaggerated al-Qaida's threat. Now we know better. The Guardian" foi removida por ela não citar o que consta no texto .... "questionar a existência da Al-Qaeda", a referencia nunca duvida da existencia da organização. Outra parte do texto foi transferida para a secção .... "Críticas e controvérsias" por fazer parte desta secção e principalmente por citar dados do 2004 que atualmente se encontram desatualizados. O trecho abaixo foi o transferido...

Jornalistas, escritores, políticos, agentes de serviços de inteligência e documentários questionavam em 2004 a real ameaça representada pela Al-Qaeda, bem como sua origem, sua natureza e até mesmo a sua existência.[13][14][15] DARIO SEVERI (discussão) 21h23min de 18 de fevereiro de 2013 (UTC)

Remoção sem sentido. A sentença removida pelo editor é Jornalistas, escritores, políticos, agentes de serviços de inteligência e documentários questionam a real ameaça representada pela Al-Qaeda, bem como sua origem, sua natureza e até mesmo a sua existência. O editorial do The Guardian afirma que a ameaça da Al-Qaeda foi exagerada, portanto a utilização da referência cabe perfeitamente no contexto. Em nenhum momento o texto afirma que o The Guardian afirmou questionar a existência da Al-Qaeda. Também não foi apresentada nenhuma justificativa sólida para remover a sentença da introdução. Dornicke (discussão) 21h56min de 18 de fevereiro de 2013 (UTC)
e até mesmo a sua existência... A referencia do "Guardian" nunca duvida da existência da Al-Qaeda, e a parte que voce quer inserir no "conceito" ja se encontra na secção de "Críticas e controvérsias" onde é mais certo. DARIO SEVERI (discussão) 22h13min de 18 de fevereiro de 2013 (UTC)
Sim, eu já disse que a referência do Guardian não duvida da existência da Al-Qaeda. Portanto, seu argumento faria sentido se a frase dissesse exclusivamente que os críticos duvidam da existência da organização, mas não é o caso. Além da existência da Al-Qaeda, são contestadas a sua origem, natureza, tamanho, perigo, capacidade destrutiva, etc. O artigo do The Guardian serve para referenciar alguns dos aspectos contestados, não o da existência. Esta fica por conta de outras fontes expostas. A introdução é um resumo do artigo, não há nenhum motivo para que informações relevantes que constam no texto não sejam também abordados na introdução. Sua justificativa é fraca. Dornicke (discussão) 22h21min de 18 de fevereiro de 2013 (UTC)
O artigo, do jeito que o editor Dornicke que deixar, induz aos leitores a acreditar que a WP questiona a existência da Al-Qaeda ao levantar controvérsia ja no conceito do artigo, estas controversias com as respectivas referencias ja se encontram na secção “Críticas e controvérsias”, não havendo necessidade de repeti-las no Conceito do Artigo.

Lendo o Conceito do artigo tem-se a impressao que atualmente esiste esta controversia, mas as referencias nesta parte são do ano de 2004 e possivelmente naquela data existia ainda esta controversia que atualmente não existe mais.

Alem disso, a primeira das referencias do “Guardian” que ele insiste em colocar, nunca nega a existencia da Al-Qaeda, contradizendo o texto que Dornicke quer inserir.

Por ultimo e editor sem procurar discutir desfazes tres vezes o texto em menos de 24 horas. DARIO SEVERI (discussão) 23h44min de 18 de fevereiro de 2013 (UTC)


O texto que eu quero inserir em nenhum momento diz que o Guardian nega a existência da Al-Qaeda. O texto que eu quero inserir informa que há controvérsias diversas, entre elas a de que a organização não existe. O editorial do Guardian além de ser bem mais recente é um "mea culpa", com o jornal assumindo e afirmando que a ameaça da Al-Qaeda foi exagerada. Este é aliás o próprio título do editorial. Então, não vejo qual o problema em utilizar o editorial para referenciar a frase, já que ele também argumenta na condição de controvérsia o exagero da efetiva ameaça representada pela Al-Qaeda. Não, o artigo não toma partido na questão, não diz se as críticas ou controvérsias são verdadeiras. Apenas informa que ela existe. Não há sequer uma frase em todo o artigo que se dedique sequer a analisar a questão das críticas, apenas informas quais são as críticas e controvérsias que existem. Dornicke (discussão) 23h55min de 18 de fevereiro de 2013 (UTC)
O problema é, que tres referencias fornecidas citam que no ano de 2004 haviam controversias quanto a existencia da Al-Qaeda (2004 e não atualmente como estavam querendo intruduzir no artigo) a outra referencia do Guardian cita que em 2007 verificou-se que houve exageros quanto a efetiva ameaça representada pela Al-Qaeda no ano de 2004.

Mas a redução do texto a ser inserido levou ao consenso. Sou um admirador da cultura islâmica, e criei duas dezenas de artigos sobre o assunto mas levantar dúvidas quanto a existencia da organização ditatorial Al-Qaeda e afiliadas e "bricar" com algo demasiado sério. DARIO SEVERI (discussão) 09h47min de 19 de fevereiro de 2013 (UTC)