Discussão:Clarice Lispector

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Biografia de Clarice Lispector[editar código-fonte]

Caros e Caras,

Começo por dizer que sou um admirador de Clarice Lispector, cujo universo de estranheza, belo e denso, sempre me seduziu e desarmou. Porém, não sou especialista, mas sim um mero leitor.

Fiquei, contudo, um pouco perplexo com a biografia da escritora disponível na página da Wikipédia em língua portuguesa. Com efeito, é bem mais pobre do que a apresentada em língua inglesa, esta mais rigorosa, evitando comentários laterais em tom condenatório, como por exemplo, e passo a citar, "A posição política da revista de apoio aos regimes ditatoriais, que era semelhante às de outras revistas desse período, todas censuradas, não foi levada em conta por Clarice ao publicar o conto". O quer o/a articulista dizer com isto? Que ela não deveria ter publicado o conto na revista em causa? Mais à frente, refere-se que" Os textos escritos para a Agência Nacional[41] nessa época seguem a linha editorial feita para agradar a censura do regime de Vargas, resumindo-se a entrevistas com coronéis e generais estrangeiros de passagem pelo Brasil e de coberturas de inaugurações de locais ligados ao governo.[42]" Ora, tal assunção é baseada numa mero artigo da revista Veja. Parece-me muito pouco para sustentar tal afirmação. Não encontramos tais considerações na biografia de Benjamim Moser, cujo trabalho se carateriza pelo cruzamento de várias fontes, oferecendo-nos um retrato complexo e multifacetado, à imagem da obra da escritora.

Propunha que estes aspetos "mais ou menos polémicos" fossem incluídos num ponto ou capítulo à parte, e com reforço das fontes.

Na ficha biográfica, a nacionalidade de Clarice Lispector vem indicada como "ucraniana-brasileira". Não parece que tal esteja correto. Ela é de corpo inteiro brasileira, uma escritora brasileira de alcance universal, e assim é descrita na versão da biografia em língua inglesa da Wikipédia https://en.wikipedia.org/wiki/Clarice_Lispector. É certo que nasceu numa localidade hoje parte da Ucrânia, estado-nação recém-formado mas inexistente à época. No entanto, importa não esquecer que Clarice tinha pouca mais de um ano, quando a família emigrou para o Brasil, fugindo à guerra e aos pogrons que então assolavam as ruínas do império czarista. Clarice provém de uma família judia, da qual não consta que a língua ucraniana fosse um elemento estruturante da sua identidade. Ao invés, as línguas hebraica, ídiche e russa eram. Não acho, por isso, correta a sua identificação como nacional ucraniana. Acho que não faz sentido absolutamente nenhum fazê-lo, com base apenas num local de nascimento rapidamente deixado para trás e num estado então inexistente. Devia ser corrigido.

Por último, no que à bibliografia se refere, a versão inglesa está mais completa, na parte dos ensaios, artigos jornalísticos e correspondência.

Muito obrigado,

Luís Marvão

Setúbal, Portugal comentário não assinado de 195.23.36.136 (discussão • contrib) 12h08min de 21 de dezembro de 2020‎ (UTC)[Responder]