Discussão:Desenvolvimentismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Retirada de trechos e fontes notadamente parciais[editar código-fonte]

Um elemento central dessa alteração de estrutura de Poder, ocorrida na década de 1990, foi o adestramento das elites (parcial e ofensivo) da periferia nas universidades dos países centrais, nas suas instituições financeiras e em organizações internacionais como o FMI e o Banco Mundial(ataque político). Esta é uma pratica de dominação intelectual(tentativa de lavagem cerebral ideológica) que remonta ao Império Romano. Os romanos transplantavam os filhos dos líderes das tribos germânicas para Roma, onde eram devidamente aculturados. Retornavam à sua terra natal na condição de integrantes leais e assimilados do Império Romano -http://www.centrocelsofurtado.org.br/adm/enviadas/doc/17_20061204135526.pdf - FONTE PARCIAL, NÃO FIÁVEL-BATISTA JR., Paulo Nogueira (2006). Nacionalismo e Desenvolvimento, 'in Centro Celso Furtado]- No conjunto da globalização, o adestramento das elites periféricas(repetição de ataque parcial e ofensivo) tem uma dupla função. Junto com a transmissão de conhecimentos, técnicas e experiência internacionais, molda também de valores e padrões de comportamento.

O objetivo é formar uma "tecnocracia apátrida", como ressaltou Charles de Gaulle -Peyrefitte, 1994, p. 69.-, mais ligada psicológica e emocionalmente às nações adiantadas do que com seus próprios países e com seu próprio Povo -http://www.centrocelsofurtado.org.br/adm/enviadas/doc/17_20061204135526.pdf BATISTA JR., Paulo Nogueira (2006). Nacionalismo e Desenvolvimento, 'in Centro Celso Furtado] - trecho com a mesma fonte parcial e que continua realizando ataques ideológicos.

Se algum administrador julgar isso imparcial (considero impossível), que recoloque.

189.4.240.56 (discussão) 02h41min de 5 de janeiro de 2010 (UTC)

Com que autoridade ?[editar código-fonte]

Com que autoridade intelectual um IP resolve da sua cabeça determinar que Paulo Nogueira Batista Junior, um diretor-executivo do Brasil no Fundo Monetário Internacional (FMI), é uma FONTE NÃO FIÁVEL, e não pode ser citado na Wikipédia ?

Paulo Nogueira Batista Junior, 51 anos, é economista, professor e pesquisador da Fundação Getúlio Vargas (FGV) em São Paulo desde 1989. Foi secretário especial de assuntos econômicos do Ministério do Planejamento em 1985-86, durante a gestão de João Sayad, e assessor para assuntos de dívida externa do ministro da Fazenda, Dilson Funaro, no período de 1986 e 1987. Chefiou o Centro de Estudos Monetários e de Economia Internacional da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro de 1986 a 1989. Fonte: Revista Exame, Economia http://portalexame.abril.com.br/ae/economia/m0123302.html

Pela reposição das informações acadêmicas indevidamente deletadas pelo IP. Se não houver objeções em duas semanas, eu mesmo reponho.

99.198.121.199 (discussão) 15h42min de 14 de fevereiro de 2010 (UTC)

Aviso aos administradores: o IP 99.198.121.199 acima foi punido por uso de IPs zumbis e proxys múltiplos. 189.4.246.244 (discussão) 04h00min de 24 de fevereiro de 2010 (UTC)

O que importa é a qualidade da fonte citada[editar código-fonte]

Verfiquei a fonte e trata-se realmente de citação de Paulo Nogueira Batista Junior, num livro editado pela FGV. Ainda que se admita,por absurdo, que Celso Furtado não seja fonte "fiável" para a Wikipédia, a frase "adestramento das elites" não é dele, é de um diretor do FMI. Repondo o texto deletado.

97.74.24.187 (discussão) 20h23min de 28 de fevereiro de 2010 (UTC)

A fonte é fiável: BATISTA JR., Paulo Nogueira Nacionalismo e desenvolvimento, in Nação, câmbio e desenvolvimento. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2008 ISBN 8522506620

princípio da imparcialidade[editar código-fonte]

O trecho q diz "permitindo que a mão invisível do mercado funcione (onde ela funciona, e para os que nela ainda crêem)", se é citação, deveria estar em aspas e com a frase original indicada, pois a "mão invisível" não funcionará apenas para os que "nela ainda creem". Ou funciona, ou não.

Trechos meramente opinativos:[editar código-fonte]

"Nesse tempos de globalização[18] o Brasil enfrenta um grande desafio que é voltar, em termos efetivos e modernos, a se autodefinir como uma Nação, que possa, como um estado nacional forte, apoiar suas empresas na competição global, cada vez mais acirrada."

ou:

"O Estado precisa assegurar a livre competição e a estabilidade monetária, através de instituições de controle e regulação. Somente assim o mercado será capaz de funcionar e criar preços relativos reais e eficientes."

ou ainda:

"Após 1990 estabeleceu-se uma enorme distância entre o povo e as "elites" brasileiras que, influenciadas por uma onda ideológica globalista e neoliberal, defensora do estado mínimo e da irrelevância dos estados nacionais, se tornaram alienadas dos problemas brasileiros."

(itálicos marcados por mim, para destacar os trechos mais opinativos e menos objetivos nas frases)

Trechos panfletários e populistas:[editar código-fonte]

" E se faz necessário que os membros do Poder Judiciário e do Poder Legislativo sigam rigorosamente o marco legal. A corrupção corrói esse marco legal e traz prejuízos incalculáveis para o desenvolvimento econômico de um país."(Comentário: verdade, mas isso não tem nada a ver com o verbete "desenvolvimentismo")

"A pessoa economicamente inativa, seja por sua idade, seja por doença ou desemprego, precisa de segurança social. Isso deixa não só o cidadão, mas toda a sociedade, mais tranqüilos e melhor equipados para produzir, na sua vocação." (comentário: este tem menos relação ainda com o verbete "desenvolvimentismo". Deveria estar no verbete "assistencialismo")

--Betty VH (discussão) 23h21min de 21 de março de 2012 (UTC)