Discussão:Miguel Reale

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Integralismo não é fascismo[editar código-fonte]

O texto chama o integralismo de fascismo, porém uma breve familiaridade com o mesmo e sua doutrina mostra que isso não é verdade. Sugiro revisão.

Desde longo tempo e com relativa convergência entre aqueles que estudam o assunto, a Ação Integralista Brasileira vem sendo caracterizada como fascista e nacionalista. Talvez o que falte fazer seja inserir citações, que são facilmente encontráveis--A_wiki_mate (enviar mensagem) 01h10min de 11 de dezembro de 2016 (UTC)

Miguel Reale, o Integralismo e o fascismo[editar código-fonte]

O texto coloca Miguel Reale como tendo sido contrário à influência de regimes totalitários no movimento integralista. Esta afirmação é feita com base em um texto do próprio datado dos anos 80, quando ele já não mais membro do movimento integralista e os regimes fascistas estavam desacreditados. Os escritos de Reale durante a sua militância integralista nos Anos 30 desmentem a narrativa que ele não era simpático ao nazi-fascismo europeu ou que o integralismo brasileiro não possuía relações fortes com estas ideologias.

Fico com essa fala de Miguel Reale em um dos seus textos explicando a ascensão do fascismo em que ele expressa o seu posicionamento nos anos 30:

"A mocidade então acordou do sonho dogmático. Revelou-se-lhe, de repente, a falsidade de todas as fórmulas liberal-democráticas. E os homens perceberam que, acima das Nações, havia a supernação do capitalismo sem pátria; que era preciso apelar para todas as energias do país para evitar a escravidão. Perceberam que a causa do anticapitalismo era a mesma causa do nacionalismo, que as energias naturais e lógicas do ideal socialista deviam-se libertar do joio do materialismo econômico e do quadro estreito da luta de classe. O espírito burguês de Marx apareceu com toda clareza: um Ricardo ou um Say no avesso, com mais alma e mais ideal.

E os filhos da guerra (Primeira Guerra Mundial) bem sabiam que era necessário primeiro abandonar o espírito burguês - fundamentalmente mercantilista, nacionalista, e utilitário - para poder combater o capitalismo afirmar os ideais éticos da Nação. o Anticapitalismo deixou de ser somente do proletariado (como no marxismo) para ser de toda a Nação.

Esse nacionalismo que é "nacionalista sem império", porque é a expressão intelectual dos valores mais altos do povo; este nacionalismo, que nada tem a ver com o pseudonacionalismo capitalista, é o nacionalismo dos novos tempos. Chama-se Fascismo e Nazismo, Integralismo e Rooseveltismo, e tende a inspirar cada vez mais a obra de Stalin que os Trotskystas já acusam de social-patriotismo."

Nas palavras de Miguel Reale ele e o Integralismo eram fascistas

ManuelDF97: Por favor informe os dados da obra, para que o texto possa ser verificado e referenciado. Tb é importante não se esquecer de assinar as mensagens. Cordialmente, a wiki mate discussão 07h15min de 7 de abril de 2021 (UTC)
Complemento que o trecho mencionado pelo ManuelDF97 vem das págs. 165-166 da obra "REALE, Miguel. O Estado Moderno: Liberalismo – Fascismo – Integralismo", de 1934. Outras obras que tratam especificamente dessa questão:
  1. IMPRENSA INTEGRALISTA, IMPRENSA MILITANTE (1932-1937), de RODRIGO SANTOS DE OLIVEIRA.
  2. Miguel Reale: do Fascismo ao Autocratismo, de Rodrigo Jurucê Mattos Gonçalves.
  3. este artigo, de Boris Fausto. a wiki mate discussão 09h57min de 7 de abril de 2021 (UTC)