Discussão:Tipologia extraterrestre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Especulação. Ainda não se encontrou nenhum ET, não se pode saber como são. Notem que não se trata da existência ou não de extraterrestres, mas sim da "classificação" deles.

Apagar
  1. --Mschlindwein msg 10:26, 1 Março 2006 (UTC)
  2. --OS2Warp msg 02:01, 2 Março 2006 (UTC)
    Tschulz 05:39, 2 Março 2006 (UTC) Já sabem até de quem os aliens são amigos ou inimigos??!!
  3. Leslie Msg 06:38, 2 Março 2006 (UTC)
  4. --André 23:43, 2 Março 2006 (UTC)
Manter
  1. Hybrid-2k 19:57, 1 Março 2006 (UTC). Interessante se expandido.
  2. Fernando Ф 21:13, 1 Março 2006 (UTC)
  3. --Ricadito 22:37, 1 Março 2006 (UTC) Será um artigo interessante se ampliado.
  4. Muriel 11:25, 2 Março 2006 (UTC)
  5. Lusitana 12:19, 2 Março 2006 (UTC)
  6. Luís Felipe Braga 13:08, 2 Março 2006 (UTC)
  7. Cachorrinho está latindo lá no fundo do quntalmsg 02:39, 3 Março 2006 (UTC) No entanto, eu imploro que não criem uma dessas para personagens de Harry Potter, Senhor dos Anéis, Pokemons ou similares. Se alguém souber escrever muito bem essa entrada, pode até virar destaque (ah, vamos, nunca viram filme de ficção científica?)
  8. algumacoisaqq 02:52, 3 Março 2006 (UTC)
  9. Tema relevante. Nero 02:59, 3 Março 2006 (UTC)
  10. Tschulz 04:08, 3 Março 2006 (UTC) Ver comentário abaixo...
  11. Slade Aceofspades.svg T 15:32, 3 Março 2006 (UTC)
Comentários
  • Não votarei porque não gosto de ET. Mas, IMHO acho que o artigo pode permanecer, desde que o conteúdo melhorado. Deve-se frisar: "segundo alguns ramos da Ufologia especulativa (...)" ou algo assim. Eu sei que esse tipo de classificação existe, e é curiosa no mínimo pois realmente se trata de especulação. Seria interessante até se colocar como é que chegaram a essas classificações, com base em quê? Em depoimentos? Em supostas viagens extraterrestres? Seria uma informação muito interessante. abraço, Lipe oi? 15:42, 1 Março 2006 (UTC)
  • A existência ou não de extraterrestres é uma questão subjectiva e incomprovada, mas isso não impede que estes seres sejam classificados objectivamente de acordo com as suas características, relatadas em depoimentos de alegados encontros e experiências com eles. Deste modo, considero que este artigo poderá ser relevante se o seu conteúdo for ampliado. -- Hybrid-2k 19:57, 1 Março 2006 (UTC)
Ainda eu que sou extremamente cético quando questões ufológicas considero esse artigo próprio! Mschlindwein: É fato que não se comprovou ainda a existência de tais seres. Porém, ao longo dos tempos, as pessoas tem alegado diferentes seres não-terrestres e acabou-se classificando esses seres como fazemos com os animais por aqui. Para quem estuda Ufologia, questões como essas são totalmente relevantes. -- Fernando Ф 21:13, 1 Março 2006 (UTC)
Um exemplo de raça alienígena famosa são os en:Greys. -- Fernando Ф 21:17, 1 Março 2006 (UTC)
Notem que não se trata de um artigo sobre a possibilidade de existência ou não de vida extraterrestre! Trata-se de classificação de seres extraterrestres! Como podem-se classificar seres que nunca foram encontrados? Quer dizer que posso escrever um artigo sobre a classificação dos seres que vivem no centro da Terra, então? Esse artigo é pura especulação e retrata opiniões, não tendo o mínimo fundamento científico: "... uma raça que tem raiva dos humanos." Vocês devem estar gozando com a minha cara... Mschlindwein msg 00:13, 2 Março 2006 (UTC)
Pior que isso é estudado. Com base em quê? Boa pergunta! Mas de fato é estudado... Talvez seja baseado em depoimentos, isso [as bases] sim seria legal colocar no artigo. Note que: mesmo que o fato em si (objeto) seja falso, o ato da classificação e do estudo sobre esses seres é fato e deve constar como informação. Não sei se deu pra entender. Hein? abraço, Lipe oi? 00:43, 2 Março 2006 (UTC)
Mschlindwein: Qual o problema em existir classificação para seres inexistentes (supondo que não existam)? É um assunto de extrema importância em ufologia, tanto para o lado cé(p)tico quanto para os que acreditam em tais seres, além de abrir espaço para especulações de Sci-Fi. Isso é cultural também, alguns escritores de Ficção Científica muitas vezes estudam relatos para escreverem suas obras, ou as inventam nos livros, esses seres inventados acabam sendo relatados mais tarde em alguns casos. Qual o problema? E um artigo sobre os diferentes seres do Senhor dos Anéis, são contra também? Entenda que não estamos tratando das raças existirem, e sim que o que existe é a classificação, e ela é famosa e enciclopédica em Ufologia. -- Fernando Ф 03:36, 2 Março 2006 (UTC)
Se quiserem se informar sobre o assunto: [1]
Até Carl Sagan votaria pelo permanecimento do artigo. -- Fernando Ф 03:45, 2 Março 2006 (UTC)
Fernando, com essa especulas mais do que o artigo em si ;o) --Mschlindwein msg 13:12, 2 Março 2006 (UTC)

Argumentos? -- Fernando Ф 16:17, 2 Março 2006 (UTC)

Argumentos? Mortos não falam. --Mschlindwein msg 10:08, 3 Março 2006 (UTC)
Apenas pinçando algumas frases escritas acima já daria um artigo, ou mais. E razoavelmente bons. Não entendo o que se passa por aqui!!! --Arte msg 10:48, 2 Março 2006 (UTC)
A comprovação da existência de vida extraterrestre é relevante mas o estudo dos alegados casos envolvendo esses seres que ocorreram até hoje é igualmente importante e não depende de modo algum da dita comprovação. Obviamente o artigo deve definir claramente as fontes do conteúdo e a credibilidade e relevância das mesmas, mas não vejo razão para considerar a eliminação. Para quem não acredita que os extraterrestres existam: qual a diferença entre este artigo e uma lista de personagens do Senhor dos Anéis (como foi dito), de Pokemons, ou de espécies nos filmes da Guerra das Estrelas? Não há expeculação e não percebo qual a fonte de polémica. -- hybrid-2k(msg) 23:38, 2 Março 2006 (UTC)
A diferença é que o livro e o filme sobre "O Senhor dos Anéis" existem, e os personagens estão relatados no livro e no filme, e todos sabem que o "Senhor dos Anéis", "Pokemons", ou "Guerra das Estrelas" são obras de ficção e frutos da imaginação de autores e escritores. Este artigo, no entanto, especula pseudocientificamente sobre coisas não comprovadas, e é esse o problema. Mschlindwein msg 10:19, 3 Março 2006 (UTC)
  • Mschlindwein e outros: Pode-se encarar isso como um artigo de religião - se algumas pessoas acreditam, a gente pode registrar aqui, é só utilizar aquelas coisas de NPOV que acho que a maioria tá careca de saber. Acho aliás que, do jeito que está, o artigo está bom. algumacoisaqq 02:52, 3 Março 2006 (UTC)
    • Ops... fui ler que nem gente agora... realmente não acho que esteja em NPOV por agora... mas isso é motivo de correção, não de eliminação!!!! algumacoisaqq 02:58, 3 Março 2006 (UTC)

Agora que o artigo foi melhorado eu mudo meu voto (pois aqui também se vota pelo conteúdo), e mudo principalmente porque foi retirada a parte ridícula que dizia as afinidades e inimizades das tais raças, absolutamente lastimável. A diferença (falando do artigo quando foi posto para eliminação (contendo a parte ridícula já citada) é que artigos de orcs e crituras fictícias, como em senhor dos anéis, trata-se claramente de criaturas inventadas. Já este artigo (volto a repetir que estou falando de quando ele foi posto aqui...) não deixava claro se tratar de ficção (porque obviamente o era, já que falava dos inimigos de tais raças), e agora mesmo não o sendo essa parte ridícula foi retirada, por isso mudo meu voto... Tschulz 04:08, 3 Março 2006 (UTC)

Não podemos colocar no artigoque se trata de ficção, só para casos explícitos de criações. -- Fernando Ф 04:17, 3 Março 2006 (UTC)
Sim eu sei, de qualquer forma quando falei eu estava (e frisei bastante) falando sobre o início do artigo, quando ele foi posto aqui. Agora ele já é algo mais concreto e científico, baseado em relatos, nem faria mais sentido por ficção nele... Tschulz 04:26, 3 Março 2006 (UTC)

Para o colaborador Mschlindwein (atendendo solicitação) - leituras sugeridas[editar código-fonte]

Anders, E., Fitch, F.W. 1962. Search for organized elements in carbonaceous chondrites. Science 138: 1392-1399.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Angel, J.R.P., Cheng, A.F., Woolf, N.J. 1986. A space telescope for infrared spectroscopy of earthlike planets. Nature 322: 341-343.


[EXTRASOLAR PLANETS] Angel, J.R.P., Woolf, N.J. 1996. Searching for life on other planets. Sci. Amer. 274(4): 46-52.


[EXOBIOLOGY; EXTRASOLAR PLANETS] Angel, J.R.P., Woolf, N.J. 1998. Searching for life in other solar systems. Sci. Amer. Presents 9(1): 22-25.


[EXOBIOLOGY; EXTRASOLAR PLANETS] Asimov, I. 1979. Extraterrestial Civilizations. Fawcett, New York.


[SETI] Bailey, J., Chrysostomou, A., Hough, J.H., Gledhill, T.M., McCall, A., Clark, S., Ménard, F., Tamura, M. 1998. Circular polarization in star-formation regions: implications for biomolecular homochirality. Science 281: 672- 674.


[METEORITES; ORIGIN OF LIFE] Ball, J.A. 1980. Extraterrestrial intelligence: where is everybody? Amer. Sci. 68(6): 656-663.


[SETI] Bar-Nun, A., Bar-Nun, N., Bauer, S.H., Sagan, C. 1970. Shock synthesis of amino acids in simulated primitive environments. Science 168: 470-473.


[ORIGIN OF LIFE] Bernal, J.D. 1961. Significance of carbonaceous meteorites in theories on the origin of life. Nature 190: 129-131.


[EXOBIOLOGY; METEORITES; ORIGIN OF LIFE] Bernal, J.D. 1962. Life-forms in meteorites: Comments. Nature 193: 1127-1129.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Bieri, R. 1964. Huminoids on other planets? Amer. Sci. 52: 452-458.


[BIOLOGICAL EVOLUTION; EXOBIOLOGY] Black, D.C. 1991. Worlds around other stars. Sci. Amer. 264(1): 50- 56.


[EXTRASOLAR PLANETS] Bonner, W.A. 1991. The origin and amplification of biomolecular chirality. Orig. Life 21: 59-111.


[ORIGIN OF LIFE] Boss, A.P. 1995. Companions to young stars. Sci. Amer. 273(4): 38- 43.


[EXTRASOLAR PLANETS] Bowyer, S., Zeitland, G.M., Tarter, J., Lampton, M., Welch, W.J. 1983. The Berkeley Parasitic SETI Program. Icarus 53: 147-155.


[SETI] Bracewell, R.N. 1960. Communications from superior galactic communities. Nature 186: 670-671.


[SETI] Bracewell, R.N. 1974. The Galactic Club: Intelligent Life in Outer Space. Stanford Alumni Association/Freeman, San Francisco.


[SETI] Bracewell, R.N. 1978. Detecting nonsolar planets by spinning infrared interferometer. Nature 274: 780-781.


[EXTRASOLAR PLANETS] Briggs, M.H. 1961. Organic constituents of meteorites. Nature 191: 1137-1140.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Briggs, M.H. 1962. Properties of the organic microstructures of some carbonaceous chondrites. Nature 195: 1076-1077.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Briggs, M.H., Kitto, G.B. 1962. Complex organic micro-structures in the Mokoia meteorite. Nature 193: 1123-1127.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Brown, H. 1964. Planetary systems associated with main-sequence stars. Science 145: 1177-1181.


[EXTRASOLAR PLANETS] Calvin, M. 1959. Round trip from space. Evolution 13: 362-377.


[EXOBIOLOGY; ORIGIN OF LIFE] Calvin, M. 1975. Chemical evolution. Amer. Sci. 63(2): 169-177.


[CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Calvin, W.H. 1994. The emergence of intelligence. Sci. Amer. 271(4): 79-85.


[BIOLOGICAL EVOLUTION; ORIGIN OF INTELLIGENCE] Cameron, A.G.W. (Ed.) 1963. Interestellar Communication: The Search for Extraterrestrial Life. Benjamin, New York.


[SETI] Chyba, C.F. 1997. A left-handed Solar System? Nature 389: 234-235.


[METEORITES; ORIGIN OF LIFE] Chyba, C.F., Sagan, C. 1992. Endogenous production, exogenous delivery and impact-shock synthesis of organic molecules: an inventory for the origins of life. Nature 355: 125-132.


[METEORITES; ORIGIN OF LIFE] Chyba, C.F., Thomas, P.J., Brookshaw, L., Sagan, C. 1990. Cometary delivery of organic molecules to the early Earth. Science 249: 366-373.


[ORIGIN OF LIFE] Claus, G., Nagy, B. 1961. A microbiological examination of some carbonaceous chondrites. Nature 192: 594-596.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Cocconi, G., Morrison, P. 1959. Searching for interestellar communications. Nature 184: 844-846.


[SETI] Cohen, J. 1995. Getting all turned around over the origins of life on Earth. Science 267: 1265-1266.


[ORIGIN OF LIFE] Corrêa e Castro, R.M. 1996. Life in Mars and biogeography. J. Comp. Biol. 1(3/4): 163-164.


[EXOBIOLOGY; MARS; ORIGIN OF LIFE] Crick, F.H.C. 1968. The origin of the genetic code. J. Mol. Biol. 38: 367-379.


[CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Cronin, J.R., Moore, C.B. 1971. Amino acids analyses of the Murchison, Murray, and Allende carbonaceous chondrites. Science 172: 1327-1329.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Cronin, J.R., Pizzarello, S. 1997. Enantiomeric excesses in meteoritic amino acids. Science 275: 951-955.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Cronin, J.R., Pizzarello, S., Moore, C.B. 1979. Amino acids in the Antarctic carbonaceous chondrite. Science 206: 335-337.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Dickerson, R.E. 1978. Chemical evolution and the origin of life. Sci. Amer. 239(3): 62-80.


[ORIGIN OF LIFE] Drake, F., Sagan, C. 1973. Interstellar radio communication and the frequency selection problem. Nature 245: 257-258.


[SETI] Drake, F.D. 1960. How can we detect radio transmissions form distant planetary systems? Sky and Telescope 39(3): 140-143.


[SETI] Eberhart, J. 1983. Natural Mars laser: a beacon for SETI? Science News September: 181.


[MARS; SETI] Edelson, E. 1980. Who Goes There? The Search for Intelligent Life in the Universe. McGraw-Hill Book Company, New York. 196 p.


[SETI] Edwards, M.R. 1998. From a soup or a seed? Pyritic metabolic complexes in the origin of life. TREE 13(5): 178-181.


[CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Eiseley, L.C. 1953. Is man alone in space? Sci. Amer. 189(1): 80- 86.


[EXOBIOLOGY] Engel, M.H., Macko, S.A. 1997. Isotopic evidence for extraterrestrial non- racemic amino acids in the Murchison meteorite. Nature 389: 265-268.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES; ORIGIN OF LIFE] Engel, M.H., Macko, S.A., Silfer, J.A. 1990. Carbon isotope composition of individual amino acids in the Murchison meteorite. Nature 348: 47-49.


[METEORITES; ORIGIN OF LIFE] Engel, M.H., Nagy, B. 1982. Distribution and enantiomeric composition of amino acids in the Murchison meteorite. Nature 296: 837-840.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES; ORIGIN OF LIFE] Epstein, S., Krishnamurthy, R.V., Cronin, J.R., Pizzarello, S., Yuen, G.U. 1987. Unusual stable isotope ratios in amino acid and carboxylic acid extracts from the Murchison meteorite. Nature 326: 477-479.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Fegley, B., Jr., Prinn, R.G., Hartman, H., Watkins, G.H. 1986. Chemical effects of large impacts on the Earth's primitive atmosphere. Nature 319: 305-308.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES; ORIGIN OF LIFE] Fitch, F., Schwarcz, H.P., Anders, E. 1962. 'Organized elements' in carbonaceous chondrites. Nature 193: 1123-1125.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Folsome, C.E., Lawless, J., Romiez, M., Ponnamperuma, C. 1971. Heterocyclic compounds indigenous to the Murchison meteorite. Nature 232: 108-109.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Fox, S.W. 1960. How did life begin? Science 132: 200-208.


[CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Freitas, R.A., Jr. 1983. Naming extraterrestial life. Nature 301: 106.


[EXOBIOLOGY] Freudenthal, H. 1960. Lincos: Design of a Language for Cosmic Intercourse. North Holland, Amsterdam.


[SETI] Gibbs, W.W. 1998. extraterrestrial life endangered: other explanations now appear more likely than Martian bacteria. Sci. Amer. 278(4): 13-14.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Gibson, E.K., Jr., McKay, D.S., Thomas-Keprta, K.L., Romanek, C.S. 1997. The case for relic life on Mars. Sci. Amer. 277(6): 36-41.


[EXOBIOLOGY; MARS; METEORITES] Goldanskii, V.I., Kuzmin, V.V. 1991. Chirality and cold origin of life. Nature 352: 114.


[ORIGIN OF LIFE] Gray, R. 1994. A search of the "Wow" locale for intermittent radio signals. Icarus 112: 485-489.


[SETI] Hafner, E.M. (1969): Techniques of interestellar communication. In: Exobiology, The Search for Extraterrestrial Life. (Eds.: Freundlich, M.M., Wagner, B.B.). AAS Publications Office, Tarzana, CA, pp. 37-63.


[SETI] Halpern, B. 1969. Optical activity for exobiology and the exploration of Mars. Appl. Opt. 8: 1349-1353.


[EXOBIOLOGY; MARS] Han, J., Simoneit, B.R., Burlingame, A.L., Calvin, M. 1969. Organic analysis on the Pueblito de Allende meteorite. Nature 222: 364-365.


[METEORITES] Hawrylewicz, B., Gowdy, B., Ehrlich, R. 1962. Micro-organisms under a simulated Martian environment. Nature 193: 497.


[EXOBIOLOGY; MARS] Hayatsu, R. 1965. Optical activity in the Orgueil meteorite. Science 149: 443-447.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Hayatsu, R. 1966. Artifacts in polarimetry and optical activity in meteorites. Science 153: 859-861.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Hayes, J.M. 1967. Organic constituents of meteorites - a review. Geochem. Cosmochem. Acta 31: 1395-1440.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Heidmann, J. 1992. Intelligences Extra-Terrestres. Éditions Odile Jacob, Paris.


[SETI] Hinz, P.M., Angel, J.R.P., Hoffmann, W.F., McCarthy, D.W., Jr., McGuire, P.C., Cheselka, M., Hora, J.L., Woolf, N.J. 1998. Imaging circunstellar environments with a nulling interferometer. Nature 395: 251-253.


[EXTRASOLAR PLANETS] Hodgson, G.W., Baker, B.L. 1964. Evidence for porphyrins in the Orgueil meteorite. Nature 202: 125-131.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Horowitz, P. 1978. A search for ultra-narrowband signals of extraterrestrial origin. Science 201: 733-735.


[SETI] Horowitz, P., Sagan, C. 1993. Five years of Project META: an all-sky narrow- band radio search for extraterrestrial signals. Ap. J. 415(1): 218-233.


[SETI] Huang, S.S. 1959. Occurrence of life in the universe. Amer. Sci. 47: 397-402.


[EXOBIOLOGY; EXTRASOLAR PLANETS] Huang, S.S. 1960. Life outside the Solar System. Sci. Amer. 202(4): 55-63.


[EXOBIOLOGY; EXTRASOLAR PLANETS] Huber, C., Wächtershäuser, G. 1998. Peptides by activation of amino acids with CO on (Ni,Fe)S surfaces: implications for the origin of life. Science 281: 670-672.


[CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Jackson, F., Moore, P. 1962. Life in the Universe. Norton, New York.


[EXOBIOLOGY] Jakosky, B.M. 1998. Searching for life in our solar system. Sci. Amer. Presents 9(1): 16-21.


[EXOBIOLOGY] Jerison, H.J. 1973. Evolution of the Brain and Intelligence. Academic Press, New York.


[BIOLOGICAL EVOLUTION; ORIGIN OF INTELLIGENCE] Jerison, H.J. 1976. Paleoneurology and the evolution of mind. Sci. Amer. 234(1): 92-101.


[BIOLOGICAL EVOLUTION; ORIGIN OF INTELLIGENCE] Jerison, H.J. 1980. The evolution of intelligence. Interciencia 5 (5): 273-280.


[BIOLOGICAL EVOLUTION; ORIGIN OF INTELLIGENCE] Joyce, G.F. 1992. Directed molecular evolution. Sci. Amer. 267(6): 48-55.


[CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Jungclaus, G., Cronin, J.R., Moore, C.B., Yuen, G.U. 1976. Aliphatic amines in the Murchison meteorite. Nature 261: 126-128.


[METEORITES] Kuiper, T.B.H., Morris, M. 1977. Searching for extraterrestial civilizations. Science 196: 616-621.


[SETI] Kvenvolden, K., Lawless, J., Pering, K., Peterson, E., Flores, J., Ponnamperuma, C., Kaplan, I.R., Moore, C. 1970. Evidence for extraterrestrial amino-acids and hydrocarbons in the Murchison meteorite. Nature 228: 923-926.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Kvenvolden, K.A., Lawless, J.G., Ponnamperuma, C. 1971. Nonprotein amino acids in the Murchison meteorite. PNAS 68(2): 486-490.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Lancet, M.S., Anders, E. 1970. Carbon isotope fractionation in the Fischer- Tropsch synthesis and in meteorites. Science 170: 980-982.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Lawden, D.E. 1964. Chemical evolution and the origin of life. Nature 202: 412.


[CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Lawless, J.G., Kvenvolden, K.A., Peterson, E., Ponnamperuma, C. 1971. Amino acids indigenous to the Murray meteorite. Science 173: 626-627.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Lawless, J.G., Kvenvolden, K.A., Peterson, E., Ponnamperuma, C. 1972. Evidence for amino-acids of extraterrestrial origin in the Orgueil meteorite. Nature 236: 66-67.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Lawless, J.G., Yuen, G.U. 1979. Quantification of monocarboxylic acids in the Murchison carbonaceous meteorite. Nature 282: 393-398.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Lawless, J.G., Zeitman, B., Pereira, W.E., Summons, R.E., Duffield, A.M. 1974. Dicarboxylic acids in the Murchison meteorite. Nature 251: 40-42.


[METEORITES] Lederberg, J. 1960. Exobiology: approaches to life beyond the Earth. Science 132: 393-400.


[EXOBIOLOGY; ORIGIN OF LIFE] Lederberg, J. 1965. Signs of life: criterion-system of exobiology. Nature 207: 9-13.


[EXOBIOLOGY] Lemarchand, G.A. 1998. Is there intelligent life out there? Sci. Amer. Presents 9(4): 96-104.


[SETI] Levin, G.V., Heim, A.H., Clendenning, J.R., Thompson, M.F. 1962. "Gulliver" - a quest for life on Mars. Science 138: 114-121.


[EXOBIOLOGY; MARS] Lovelock, J.E. 1975. Thermodynamics and the recognition of alien biospheres. Proc. R. Soc. Lond. B 189: 167-181.


[EXOBIOLOGY; SETI] MacGowan, R.A., Ordway, F.I., III 1966. Intelligence in the Universe. Prentice-Hall, Englewood Cliffs, New Jersey.


[SETI] Maher, K.A., Stevenson, D.J. 1988. Impact frustration of the origin of life. Nature 331: 612-614.


[CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Marcy, G.W., Butler, R.P. 1998. Giant planets orbiting faraway stars. Sci. Amer. Presents 9(1): 10-15.


[EXTRASOLAR PLANETS] Matthew, W.D. 1921. Life in other worlds. Science 54: 239.


[EXOBIOLOGY] Mayr, E. 1995. A critique of the search for extraterrestrial intelligence. Bioastronomy News 7(3): 2-4.


[BIOLOGICAL EVOLUTION; SETI] McKay, D.S., Gibson, E.K., Jr., Thomas-Keprta, K.L., Vali, H., Romanek, C.S., Clemett, S.J., Chillier, X.D.F., Maechling, C.R., Zare, R.N. 1996. Search for past life on Mars: possible relic biogenic activity in Martian meteorite ALH84001. Science 273: 924-930.


[EXOBIOLOGY; MARS; METEORITES] Meinschein, W.G., Frondel, C., Laur, P., Mislow, K. 1966. Meteorites: optical activity in organic matter. Science 154: 377-380.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Miller, S.L. 1953. A production of amino acids under possible primitive Earth conditions. Science 117: 528-529.


[ORIGIN OF LIFE] Miller, S.L. 1955. Production of some organic compounds under possible primitive Earth conditions. J. Am. Chem. Soc. 77: 2351.


[ORIGIN OF LIFE] Miller, S.L., Orgel, L.E. 1974. The Origins of Life on the Earth. Prentice-Hall, Engelwood Cliffs.


[ORIGIN OF LIFE] Miller, S.L., Urey, H.C. 1959. Organic compound synthesis on the primitive Earth. Science 130: 245-251.


[CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Minsky, M. 1985. Communication with alien intelligence. Byte April: 127-138.


[SETI] Morowitz, H., Sagan, C. 1967. Life in the clouds of Venus? Nature : 1259-1260.


[EXOBIOLOGY; VENUS] Morrison, P. 1962. Carbonaceous "snowflakes" and the origin of life. Science 135: 663-664.


[EXOBIOLOGY; METEORITES; ORIGIN OF LIFE] Morrison, P., Billingham, J., Wolfe, J. (Eds.) 1979. The Search for Extraterrestrial Intelligence. Dover, New York.


[SETI] Murray, B., Gulkis, S., Edelson, R.E. 1978. Extraterrestrial intelligence: an observational approach. Science 199: 485-492.


[SETI] Nagy, B. 1965. Optical activity in the Orgueil meteorite. Science 150: 1846.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Nagy, B., Claus, G., Hennessy, D.J. 1962. Organic particles embedded in minerals in the Orgueil and Ivuna carbonaceous chondrites. Nature 193: 1129-1133.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Nagy, B., Fredriksson, K., Kudynowski, J., Carlson, L. 1963. Ultra-violet spectra of organized elements. Nature 200: 565-566.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Nagy, B., Meinschein, W.G., Hennessy, D.J. 1961. Mass spectroscopic analysis of the Orgueil meteorite: evidence for biogenic hydrocarbons. Ann. N.Y. Acad. Sci. 93: 25.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Nagy, B., Murphy, M.T.J., Modzeleski, V.E., Rouser, G., Claus, G., Hennessy, D.J., Colombo, U., Gazzarrini, F. 1964. Optical activity in saponified organic matter isolated from the interior of the Orgueil meteorite. Nature 202: 228-233.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Oberbeck, V.R., Fogleman, G. 1989. Impacts and the origin of life. Nature 339: 434.


[CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Oparin, A.I. 1938. The Origin of Life. MacMillan Company, Ney York.


[ORIGIN OF LIFE] Orgel, L.E. 1973. The Origins of Life: Molecules and Natural Selection. John Wiley & Sons, New York.


[ORIGIN OF LIFE] Orgel, L.E. 1994. The origin of life on the Earth. Sci. Amer. 271 (4): 53-61.


[ORIGIN OF LIFE] Oró, J. 1961. Comets and the formation of biochemical compounds on the primitive Earth. Nature 190: 389-390.


[ORIGIN OF LIFE] Oró, J. 1961. Mechanism of synthesis of adenine from hydrogen cyanide under possible primitive Earth conditions. Nature 191: 1193-1194.


[CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Oró, J. 1963. Studies in experimental organic cosmochemistry. Ann. N.Y. Acad. Sci. 108: 464-481.


[EXOBIOLOGY] Peltzer, E.T., Bada, J.L. 1978. alfa-Hydroxycarboxylic acids in the Murchison meteorite. Nature 272: 443-444.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Pering, K.L., Ponnamperuma, C. 1971. Aromatic hydrocarbons in the Murchison meteorite. Science 173: 237-239.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Pillinger, C.T. 1982. Not quite full circle? - non-racemic amino acids in the Murchison meteorite. Nature 296: 802.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Pollard, W.G. 1979. The prevalence of Earthlike planets. Amer. Sci. 67: 653-659.


[EXTRASOLAR PLANETS] Ponnamperuma, C., Klein, H.P. 1970. The coming search for life on Mars. Quart. Rev. Biol. 45(3): 235-258.


[EXOBIOLOGY; MARS] Sagan, C. 1961. On the origin and planetary distribution of life. Radiation Res. 15: 174-192.


[EXOBIOLOGY] Sagan, C. 1963. Direct contact among galactic civilizations by relativistic interstellar space-flight. Planet. Spac. Sci. 11: 485-498.


[SETI] Sagan, C. (1964): Exobiology. A critical review. In: Life Sciences and Space Research. (Eds.: Florkin, M., Dollfus, A.). North-Holland, Amsterdam, pp. 35-53.


[EXOBIOLOGY] Sagan, C. 1967. Life on the surface of Venus? Nature 216: 1198- 1199.


[EXOBIOLOGY; VENUS] Sagan, C. (Ed.) 1973. Communication with Extraterrestrial Intelligence. MIT Press, Cambridge, Mass.


[SETI] Sagan, C. 1974. The origin of life in a cosmic context. Orig. Life 5: 497-505.


[EXOBIOLOGY; ORIGIN OF LIFE] Sagan, C. 1975. The recognition of extraterrestial intelligence. Proc. R. Soc. Lond. B 189: 143-153.


[SETI] Sagan, C. 1977. The Dragons of Eden: Speculations on the Evolution of Human Intelligence. Random House, New York.


[BIOLOGICAL EVOLUTION; ORIGIN OF INTELLIGENCE] Sagan, C. 1994. The search for extraterrestrial life. Sci. Amer. 271 (4): 71-77.


[EXOBIOLOGY; EXTRASOLAR PLANETS; SETI] Sagan, C. 1995. The abundance of life-bearing planets. Bioastronomy News 7(4): 1-4.


[EXTRASOLAR PLANETS; SETI] Sagan, C., Drake, F. 1975. The search for extraterrestial intelligence. Sci. Amer. 232(5): 80-89.


[SETI] Sagan, C., Lederberg, J. 1962. Microenvironments for life on Mars. PNAS 48: 1473-1475.


[EXOBIOLOGY; MARS] Sagan, C., Sagan, L.S., Drake, F. 1972. A message from Earth. Science 175: 881-884.


[SETI] Sagan, C., Salpeter, E.E. 1976. Particles, environments, and possible ecologies in the Jovian atmosphere. Ap. J. 32: 737-755.


[EXOBIOLOGY; JUPITER] Sagan, C., Thompson, W.R., Carlson, R., Gurnett, D., Hord, C. 1993. A search for life on Earth from the Galileo spacecraft. Nature 365: 715-721.


[EXOBIOLOGY; SETI] Shimoyama, A., Ponnamperuma, C. 1979. Amino acids in the Yamato carbonaceous chondrite from Antarctica. Nature 282: 394-396.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Shklovskii, I.S., Sagan, C. 1966. Intelligent Life in the Universe. Holden-Day/Delta-Dell, San Francisco.


[SETI] Simpson, G.G. 1964. Organisms and molecules in evolution. Science 146: 1535-1538.


[BIOLOGICAL EVOLUTION; CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Simpson, G.G. 1964. The nonprevalence of humanoids. Science 143: 769-775.


[BIOLOGICAL EVOLUTION; EXOBIOLOGY] Sinton, W.M. 1959. Further evidence of vegetation on Mars. Science 130: 1234-1237.


[EXOBIOLOGY; MARS] Smith, J.W., Kaplan, I.R. 1970. Endogenous carbon in carbonaceous meteorites. Science 167: 1367-1370.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Spitzer, L., Jr. 1962. The beginnings and future of space astronomy. Amer. Sci. 50(3): 472-484.


[EXTRASOLAR PLANETS] Steffes, P.G., DeBoer, D.R. 1994. A SETI search of nearby solar-type stars at the 203-GHz positronium hyperfine resonance. Icarus 107: 215-218.


[SETI]

Studier, M.H., Hayatsu, R., Anders, E. 1965. Organic compounds in carbonaceous chondrites. Science 149: 1455-1459.

[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Sullivan, W.T., Brown, S., Wetherill, C. 1978. Eavesdropping: the radio signature of the Earth. Science 199: 377-388.


[EAVESDROPPING; SETI] Tipler, F.J. 1982. We are alone in our galaxy. New Sci. 96(1326): 33-35.


[SETI] Urey, H.C. 1962. Lifelike forms in meteorites. Science 137: 623- 628.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Urey, H.C. 1962. Origin of life-like forms in carbonaceous chondrites. Nature 193: 1119-1123.


[EXOBIOLOGY; METEORITES] Urey, H.C. 1966. Some general problems relative to the origin of life on Earth or elsewhere. Amer. Nat. 100: 285-288.


[EXOBIOLOGY; ORIGIN OF LIFE] von Hoerner, S. 1961. The search for signals from other civilizations. Science 134: 1839-1843.


[SETI] von Hoerner, S. 1962. The general limits of space travel. Science 137: 18-23.


[SETI] Wald, G. 1964. The origin of life. PNAS 52: 595-611.


[CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Weinberg, S. 1994. Life in the Universe. Sci. Amer. 271(4): 22-27.


[ORIGIN OF LIFE] Wilson, A.T. 1960. Sythesis of macromolecules under possible primeval Earth conditions. Nature 188: 1007-1009.


[CHEMICAL EVOLUTION; ORIGIN OF LIFE] Woeller, F., Ponnamperuma, C. 1969. Organic synthesis in a simulated Jovian atmosphere. Icarus 10: 386-392.


[CHEMICAL EVOLUTION; EXOBIOLOGY; JUPITER] Yuen, G., Blair, N., Des Marais, D.J., Chang, S. 1984. Carbon isotopic composition of low molecular weight hydrocarbons and monocarboxylic acids from Murchison meteorite. Nature 307: 252-254.


[CHEMICAL EVOLUTION; METEORITES] Yuen, G.U., Kvenvolden, K.A. 1973. Monocarboxylic acids in Murray and Murchison carbonaceous meteorites. Nature 246: 301-303.

Explicação[editar código-fonte]

Sobre isso, parece que ainda não entendeste meu ponto de vista, por isso vou explicar de novo, para ver se desta vez entendes: eu sei que exobiologia é um assunto estudado, e que a existência de vida extraterrestre é uma possibilidade estudada. O que discuto são as besteiras que constituíam a primeira versão do artigo, e que infelizmente ainda estão presentes na seção (Tipos recorrentes no campo da Ufologia). O que foi acrescentado ao artigo posteriormente é absolutamente válido, mas está no lugar errado: "Tipologia extraterrestre" não é o nome adequado para este conteúdo, deveria estar em "vida extraterrestre", exobiologia ou algo parecido. Não se podem categorizar seres que nunca foram vistos e dizer que isso é científico.

Quanto ao que está marcado no artigo, que apaguei e reverteste, a saber:

"Esta afirmação, partindo de um internacionalmente consagrado homem de ciência, contraria o "senso comum" de que os homens de ciência são, em maioria, céticos no que diz respeito à possibilidade de vida fora da Terra."

isso é um mero POV (Ponto de Vista), pois de onde tiraste que é um "senso comum que os cientistas são, em maioria, céticos no que diz respeito à possibilidade de vida fora da Terra"?? De onde vem essa informação? Onde foi feita tal pesquisa? Eu acho o contrário, que a maioria dos cientistas acredita em vida extraterrestre, mas como é minha opinião não a coloco no artigo. Enquanto a pesquisa que descobriu isso não for informada, isso continuará a ser um POV, e por isso deve ser apagado. Não vou apagar de novo, já fiz isso uma vez e reverteste, por isso peço que tu mesmo apagues esse trecho. Espero ter esclarecido por que sou a favor da eliminação desse artigo. --Mschlindwein msg 00:49, 5 Março 2006 (UTC)

Transferi de minha página de discussão o texto acima, pois, neste caso, é o local apropriado. Considero válidas as explicações e as acho boas, inclusive. Contribuem com o artigo. No que depender da parte que estou a redigir serão consideradas.--Arte msg 01:47, 5 Março 2006 (UTC)

Star Trek - Jornada nas Estrelas[editar código-fonte]

A parte correspondente a Star Trek - Jornada nas Estrelas deve ser movida para jornada nas estrelas. Concordão?

Lembro-me bem de Jornada nas Estrelas... um certo Capitão em um certo Planeta, em dificil situação, tira um aparelho de alguma parte de seu corpo e diz: Teleportar... e lá está ele em sua nave. Ficção? Bem, na época todos diziam: que ficção esta e algum tempo depois eis que alguem lança um telefone sem fio e as pessoas começam a usar... o tal do celular... e agora só falta pouco para o teletransporte... A vida em outros planetas não pde ter evoluido também?

Está págína[editar código-fonte]

Está página é bom com assunto interessante, mas está muito bagunçada. Precisa ser marcada para revisão!