Escola Superior de Comunicação Social

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Escola Superior de Comunicação Social, Lisboa

A Escola Superior de Comunicação Social (ESCS) é uma unidade orgânica do Instituto Politécnico de Lisboa, oferecendo quatro cursos, com uma forte componente teórico-prática, que garantem uma aproximação privilegiada ao mercado de trabalho: Publicidade e Marketing, Relações Públicas e Comunicação Empresarial, Jornalismo e Audiovisual e Multimédia.

“Se formos apenas mais uma escola, seremos uma escola a mais”. Este é o mote da ESCS desde que abriu as portas, em 1989. Hoje, a escola oferece quatro cursos com uma forte componente teórico-prática e cada vez mais virados para as novas realidades do mundo da comunicação.

A ideia fundadora[editar | editar código-fonte]

Foi em 1979 que a primeira proposta foi apresentada ao Governo e nela falava-se numa Escola Superior de Jornalismo, inserida no Instituto Politécnico de Lisboa. Mas quando a primeira Comissão Instaladora foi nomeada, em 1987, sob direcção do Dr. António Pinto Leite, percebeu-se desde logo que o projecto se deveria estender para além da formação de jornalistas e em Novembro de 1988 o Ministério da Educação aceitou a mudança de nome: estava lançada a Escola Superior de Comunicação Social. O primeiro Conselho Científico da escola é fundado em Junho de 1989 e é ele que abre as portas aos primeiros alunos, nesse mesmo ano, com os cursos de Publicidade e Marketing e Relações Públicas (que viria a chamar-se Comunicação Empresarial a partir de 1998/99 e Relações Públicas e Comunicação Empresarial a partir de 2006/07).

A nova casa[editar | editar código-fonte]

Em 1994, a ESCS mudou de casa e desde então mora neste edifício. A singularidade do espaço, projectado pelo arquitecto Carrilho da Graça, já lhe valeu vários prémios, entre os quais o Prémio SECIL em 1994 e uma Menção Honrosa do Prémio Valmor em 1993. Foi inaugurado pelo então Primeiro Ministro, Cavaco Silva. Esse dia marcou também a entrega dos diplomas aos primeiros bacheréis da escola, das mãos do Presidente da República, Mário Soares. No princípio de 1995, a Comissão Instaladora foi extinta, o que levou à eleição do primeiro Conselho Directivo, que tomou posse em Abril desse ano. Só no ano seguinte (1996/97) se viria a iniciar o curso de Jornalismo, completando-se o projecto original da escola. Os Cursos de Estudos Superiores Especializados (CESE) passam a ser desenvolvidos na ESCS como forma a aprofundar o bacharelato e a conferir grau equivalente à licenciatura. Mas logo em Setembro de 1997, surge legislação que acaba com os CESE e autoriza as licenciaturas nos Institutos Politécnicos.

O caminho para o futuro[editar | editar código-fonte]

O ano lectivo de 2002/03 marca uma viragem na ESCS: os cursos da escola são reformulados e é criado um tronco comum no primeiro ano. Os cursos estão agora mais voltados para o futuro, com uma partilha de conhecimentos que aprofunda o conceito de comunicação de que vive a escola. Pensando nas novas necessidades do mundo da comunicação, nasce também nesse ano o curso de Audiovisual e Multimédia, fruto de uma cooperação entre a ESCS e entidades internacionais. Na verdade, a ESCS tem-se aproximado de outras instituições, nacionais e estrangeiras, para promover ou estar presente em diversos projectos académicos como cursos de especialização, pós-graduações e doutoramentos. Em 2006 avança para a adequação das suas licenciaturas de acordo com o Protocolo de Bolonha e propõe um conjunto de quatro mestrados.

Um dos mestrados, inovador na área da Comunicação, é o Mestrado em Gestão Estratégica das Relações Públicas (GERP), que evidencia a componente estratégica presente na disciplina de Relações Públicas, um conceito contemporâneo dentro da área.

Esta escola procura aliar uma boa base teórica a uma dimensão prática que aproxime o aluno do mundo profissional. Aqui há uma aposta numa formação superior de qualidade na área da comunicação. Porque a ESCS acredita que «se for apenas mais uma escola, será uma escola a mais.»

Estratégia de Diferenciação[editar | editar código-fonte]

A Escola Superior de Comunicação Social aposta numa estratégia de diferenciação, visível através de diversos protocolos e programas que executa, como é o caso dos Estágios, dos Programas Extra-curriculares, dos Intercâmbios e dos Prémios Tripla.

Com o objetivo de fornecer experiências de trabalho aos seus alunos, a ESCS detém um jornal, intitulado "8.ª Colina"[1], difundido desde 2013 em formato digital. A ESCS FM consiste numa rádio da Faculdade, online, onde é dada aos alunos a oportunidade de contactarem com o mundo da rádio.[2] Outro exemplo é o programa semanal E2, produzido por alunos da instituição, que é transmitido no canal RTP2 desde maio de 2004.[3]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • «8ª Colina | Extracurriculares | ESCS». ESCS. Consultado em 6 de maio de 2016. 
  • «ESCS FM | Extracurriculares | ESCS». ESCS. Consultado em 6 de maio de 2016. 
  • «E2 | Extracurriculares | ESCS». ESCS. Consultado em 6 de maio de 2016.