Escola de Edessa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:
  • Não tem fontes.
  • Texto necessita de revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa.

A Escola de Edessa foi um estabelecimento de ensino teológico do mundo sírio. Localizava-se na antiga cidade de Edessa (atual cidade de Sanliurfa, no sul da Turquia). Ela foi provavelmente fundada no século II d.C. pela dinastia Abgar. Em 363, Nísibis, uma cidade síria a leste de Edessa, foi capturada pelos persas sassânidas, fazendo com que os professores da escola de Nísibis, incluindo Efrém, o Sírio, fossem para a Escola de Edessa, enriquecendo-a com novos conhecimentos e energias. Quando Efrém assumiu a diretoria da escola, o prestígio dela aumentou ainda mais.

No ano 489, o arcebispo Ciro, sob a ordem do imperador bizantino Zenão I, ordenou o fechamento da escola, empurrando os professores e alunos de volta a Nísibis. As razões para isso foram que ensinos nestorianos haviam sido introduzidos na escola, levando muitos a aceitar o nestorianismo. A Igreja Bizantina expulsou os nestorianos em 489, fazendo com que eles se estabelecessem na Pérsia zoroastriana.

Era formada por uma tradição erudita que realizava trabalhos teológicos e exegéticos (Teodoro foi o primeiro exegéta) com base na estrutura de pensamento de Teodoro de Mopsuéstia. [1]

Ver Também[editar | editar código-fonte]

  • (Walker, Williston. A História da Igreja Cristã. 3ª ed. ASTE: São Paulo - 2006.