Saltar para o conteúdo

Princípio da dignidade da pessoa humana: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
m (Foram revertidas as edições de 177.30.98.114 para a última revisão de Sitenl, de 12h34min de 16 de dezembro de 2017 (UTC))
Etiqueta: Reversão
{{Global/Brasil|data=novembro de 2017}}
 
O '''princípio da dignidade da pessoa humana''' é um valor moral e espiritual inerente à pessoa, ou seja, todo ser humano é dotado desse preceito, e tal constitui o princípio máximo do [[estado democrático de direito]]. Está elencado no rol de Princípios Fundamentais da [[Constituição Brasileira de 1988]].
 
Está elencado no rol de Principios Fundamentais da [[Constituição Brasileira de 1988]].<ref>{{Citar periódico|data=2017-06-07|titulo=Princípios Fundamentais na Constituição do Brasil|jornal=Wikipédia, a enciclopédia livre|url=https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Princ%C3%ADpios_Fundamentais_na_Constitui%C3%A7%C3%A3o_do_Brasil&oldid=48988650|idioma=pt}}</ref>
 
Ganhou a sua formulação clássica por [[Immanuel Kant]], na "''Fundamentação da Metafísica dos Costumes''" (título original em [[língua alemã|alemão]]: ''"Grundlegung zur Metaphysik der Sitten"'', de [[1785]]), que defendia que as pessoas deveriam ser tratadas como um fim em si mesmas, e não como um meio (objetos),<ref>KANT, Immanuel. Fundamentação da Metafísica dos Costumes e Outros Escritos. Trad. Leopoldo Holzbach. São Paulo: Martin Claret, 2004, p. 58.</ref><ref>KANT. ''Idem'', p. 64.</ref> e que assim formulou tal princípio: ''"No reino dos fins, tudo tem ou um preço ou uma dignidade. Quando uma coisa tem preço, pode ser substituída por algo equivalente; por outro lado, a coisa que se acha acima de todo preço, e por isso não admite qualquer equivalência, compreende uma dignidade."''<ref>KANT. ''Idem'', p. 65.</ref>
13 984

edições