Francisco Moreira Freire Correia Manoel Torres de Aboim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Francisco de Aboim, Visconde de Idanha

Francisco Moreira Freire Correia Manoel Torres de Aboim, 1.º Visconde de Idanha, foi um político, académico e empresário agrícola português.

Família[editar | editar código-fonte]

Filho de João Baptista Moreira Freire Correia Manoel Torres de Aboim, irmão do 1.º Visconde de Vila Boim, e de sua mulher Josefina Arcângela de Castro Teles de Eça Monteiro e Cunha.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Moço Fidalgo da Casa Real, foi Presidente da Câmara Municipal de Sintra, Delegado do Governo nas Companhias de Moçâmedes, Deputado da Nação, Sócio da Sociedade de Geografia de Lisboa e da Academia Indo-Chinesa de Paris, Comendador da Ordem de Isabel a Católica de Espanha e Proprietário em Idanha, junto a Belas, Sintra.[1]

O título de 1.º Visconde de Idanha foi-lhe concedido, em duas vidas, por Decreto de D. Carlos I de Portugal de 7 de Junho de 1894.[1]

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou primeira vez com Maria José da Silva Rego (? - 17 de Maio de 1888), filha de José Maria da Silva Rego e de sua mulher Maria da Assunção Vieira, com geração, dos quais foi filho primogénito Raul Rego Correia Freire Manoel Torres de Aboim, 2.º Visconde de Idanha.[1]

Casou segunda vez com D. Ana Josefa Amélia de Torralba y Baigorri, nascida em 1873 em Madrid, com geração.[1] Filha do 2º casamento: Virginia da Assunção Moreira Freire Corrêa Manoel Torres de Aboim, casada com Sebastião Sarzedas, filho de Joaquim António dos Reis Tenreiro Sarzedas, Governador Civil de Évora.

Referências

  1. a b c d e Soveral, Manuel Abranches de - "História genealógica dos Correa Manoel de Aboim", Caminhos Romanos, 2014, ISBN 979-989-8379-38-2, p. 185 a 196; e "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zúquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Segundo, p. 654