Friedrich Ludwig Wilhelm Varnhagen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Friedrich Ludwig Wilhelm Varnhagen
Nascimento 1783
Morte 1842 (59 anos)

Friedrich Ludwig Wilhelm Varnhagen (17831842) foi um engenheiro militar alemão, naturalizado português, que veio para o Brasil em 1809, contratado pela Coroa para construir os altos fornos da Real Fábrica de Ferro São João do Ipanema, na região de Sorocaba, na então Capitania de São Paulo. Nessa época era tenente-coronel[1].

Frederico Luiz nasceu no bairro de Wetterburg, na cidade de Arolsen, estado de Hesse, Alemanha [2] . Seu pai, Johann Adolf Varnhagen, era pastor e historiador naquela cidade. Em 1802 estava na fábrica de ferro de Neubauer, em Waldeck, Alemanha, quando conheceu Guilherme Eschwege[3], com quem iria para Portugal no ano seguinte, aos 19 anos, para a Fábrica de Ferro de Figueiró dos Vinhos.

Por recomendação de D.Miguel Pereira Forjaz, serviu com muita distinção no exército do Norte em Portugal na época da restauração, sendo empregado na fábrica da Foz D'Alge e quando da invasão francesa se uniu ao exército como 1º Tenente da Artilharia. Em 1831, Varnhagen foi demitido do serviço imperial brasileiro.

Veio ao Brasil em 1809, fez o projeto inicial da Fábrica de Ferro de Ipanema, mas foi preterido na direção, que só assumiu em 1814. Construiu dois Altos Fornos e duas forjas de refino, seguindo o padrão que conheceu em Portugal. Produziu o primeiro gusa em 1818 e conduziu 2 campanhas experimentais, até 1821. Em 1820 desentendeu-se com José Bonifácio e deixou o Brasil em 1821, quando D. João VI voltou para Portugal.

Na área da imprensa, colaborou no periódico O Panorama[4] (1837-1868).

Seu filho, o historiador Francisco Adolfo de Varnhagen, nasceu em Ipanema.

Referências

  1. ESCHWEGE, Wilhelm Ludwig von. Pluto Brasiliensis: memórias sobre as riquezas do Brasil em ouro, diamantes e outros minerais. Disponível na Biblioteca Brasiliana, acessado em 1 de fevereiro de 2013.
  2. http://www.varnhagen.de/DE/Stammtafel2.htm
  3. Sommmer, Frederico (1952). Guilherme Luiz, Barão de Eschwege. São Paulo: Melhoramentos. 121 páginas 
  4. Rita Correia (23 de Novembro de 2012). «Ficha histórica: O Panorama, jornal literário e instrutivo da sociedade propagadora dos conhecimentos úteis.» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 13 de Maio de 2014 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.