Galactus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Galactus
200px

Dados da publicação
Publicado por Marvel Comics
Primeira aparição Fantastic Four #48 (Março de 1966)
Criado por Stan Lee
Jack Kirby
Características do personagem
Alter ego Galan
Nome completo Desconhecido
Espécie Entidade cósmica
Terra natal Planeta Taa
Afiliações Arautos de Galactus
Parceria Surfista Prateado, Terrax, Morte
Codinomes conhecidos Ashta,[1] Galan (nome real), Devorador de Planetas, Devorador de Mundos, O Grande G.
Habilidades Galactus é uma das entidades mais poderosas e temidas do universo marvel. Não há quase nada na existência que ele não possa fazer ou realizar, indiferente do local ou época em que esteja pois seu incomensurável poder cósmico é tão espantoso que chega a beirar a onisciência e a onipotência.
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Galactus, algumas vezes chamado de Devorador de Mundos, é uma personagem de histórias em quadrinhos, uma entidade cósmica dentro do universo Marvel da Marvel Comics. Criado por Stan Lee e Jack Kirby, ele estreou em Quarteto Fantástico nº48, o inicio de um arco de história algumas vezes considerado como a melhor colaboração entre Lee e Kirby.

Quando Galactus ameaçou destruir a Terra, o Quarteto Fantástico (auxiliado pelo Vigia Uatu e pelo arauto rebelde de Galactus, o Surfista Prateado) o derrotou ameaçando-o com o Nulificador Total. Galactus jurou nunca mais tentar atacar a Terra.

Apresentado inicialmente como vilão, mais tarde teve sua função no Universo esclarecida em um julgamento onde várias raças tentavam decidir o destino de Reed Richards — que estava sendo julgado por ter salvo a vida de Galactus e, portanto, ser co-responsável pelas vidas que o Devorador de Mundos tirou depois disto, como no ato de consumir o mundo-sede do império skrull, por exemplo. Através de um depoimento de Odin— só aceito plenamente após a intervenção da entidade cósmica Eternidade— foi a público que sua função é a de encontrar um planeta seguro, que fosse capaz de sobreviver a próxima entropia do universo, uma vez que o próprio Galactus seria o único sobrevivente de uma entropia anterior.[2]

Apesar de ser conhecido como Devorador de Mundos, Galactus não conseguiu se alimentar do planeta mãe dos Espectros. A corrupção da raça dos Espectros era tamanha que foi capaz de contaminar o planeta em que viviam, tornando-o inadequado.

História da publicação[editar | editar código-fonte]

Em 1966, Galactus foi apresentado na revista Fantastic Four (Quarteto Fantástico) v1. números 48-50 (Março a Maio de 1966).

Em 1968, Galactus apareceu num flashback na revista Demolidor v1. nº 37 (Fevereiro de 1968) antes de retornar fisicamente para a Terra a fim de recuperar seu arauto, o Surfista Prateado, e em aparições nas edições 72 a 77 da revista Fantastic Four (Março a Agosto de 1968). Galactus aparece também em flashback na origem do Surfista Prateado, contada em detalhes na revista The Silver Surfer vol. 1, nº 1 (Agosto de 1968).

Em 1969, a origem de Galactus foi revelada numa série de aparições na revista Thor vol. 1 nº 160-162 (Janeiro a Março de 1969) e nº168-169 (Setembro a outubro de 1969).

Em 1983, Super-Villain Classics nº1 (Maio de 1983) reimprimiu este conto de 20 páginas com edições do escritor Mark Gruenwald, dos desenhistas John Byrne e Ron Wilson, e de Jack Abel e Vince Colletta para criar uma história atualizada de sua origem intitulada "Galactus". Em 1996, a publicação de 1983 foi reimpressa como A Origem de Galactus nº1 (Fev. 1996).

Galactus fez numerosas aparições especiais através das décadas, e em 2000 estrelou a minissérie Galactus, o Devorador (Set. 1999 - Mar. 2000).

Biografia fictícia do personagem[editar | editar código-fonte]

Renascimento[editar | editar código-fonte]

Originalmente chamado de Galan no planeta Taa, Galactus é o único sobrevivente do Big Crunch que destruiu o universo anterior, acontecido antes do Big Bang que gerou o Universo Marvel atual (o "nosso" universo).

Galan era um explorador do espaço investigando o iminente fim do universo. Posteriormente, Taa foi mergulhada em uma praga radioativa que matou quase todos os seus habitantes. No último instante, Galan consegue escapar do planeta condenado numa nave espacial com alguns outros sobreviventes. Ao invés de morrer vítima da radiação que já tinha extinto a vida em todo o universo, Galan propõe aos seus companheiros que eles pilotassem a nave diretamente até o centro do Big Crunch. Enquanto eles aproximavam do Ovo Cósmico - ponto central do Big Crunch e fonte da radiação exterminadora - sua tripulação e sua nave são prontamente destruídas. No momento em que o universo de Galan encontra seu fim, a encarnação da Fênix daquela realidade acumula as emoções positivas de todos os seres vivos do cosmos para preservá-las da perdição eterna, acionando a Sentença do Universo — aquela encarnação universal da Eternidade — a fim de encontrar com Galan.[3] [4] Dentro do Ovo Cósmico a Sentença do Universo se revela para Galan e lhe informa que embora ambos fossem morrer no cataclisma, eles iriam renascer como uma espécie única de herdeiro nascido no próximo universo. A Sentença do Universo então se funde ao corpo do mortal Galan, estabelecendo-o como o único sobrevivente do Big Crunch. Esta união leva ao seu renascimento no universo atual como o Galactus.[5] Após o Big Bang e a formação da realidade atual, Galactus passa por uma gestação num casulo de energia cósmica para completar sua metamorfose. E após milhões de anos enfim emerge como uma entidade de vasto poder cósmico, essencial e intrínseco ao recém-formado universo.[5]

Galactus é considerado uma das cinco entidades essenciais dentro do Universo Marvel , juntamente com Eternidade, Morte, Infinito, e Oblivion. Galactus foi mencionado como a "3ª força do Universo"[6] ao lado de Eternidade e Morte. Eternidade e Morte consideram Galactus um semelhante e um irmão, sendo que Morte certa vez se referiu a Galactus como "marido, pai, irmão e filho"[7] . Atualmente tem como arauto o Surfista Prateado apos a saga Aniquilação, Galactus possui controle total sobre a matéria, telepatia ilimitada, controle cósmico, rajadas cósmicas, teletransporte e muitos outros poderes cósmicos.

Poderes e habilidades[editar | editar código-fonte]

A totalidade de seus poderes ainda é desconhecida, mas sabe-se que Galactus utiliza seu incomensurável poder cósmico para vários fins, entre eles: é capaz de mudar a realidade conforme sua vontade em escala cósmica, transmutar qualquer coisa que desejar, teletransportar objetos e pessoas, já foi capaz de teletransportar até mesmo galáxias inteiras, sente todo o espectro eletromagnético, possui consciência cósmica, pode curar e conceder a outros seres seus poderes, pode ressuscitar os mortos, pode recriar mundos inteiros (incluindo seus habitantes) em seus mínimos detalhes, pode criar buracos negros e outros corpos cósmicos, criar portais interdimensionais, possui a capacidade de criar e entrar em qualquer plano astral, manipulação da matéria à nível subatômico, possui uma quase total onisciência e onipotência, pode se mover a velocidades superiores ao da luz que é a chamada velocidade de dobra, pode manipular a gravidade, telepatia ilimitada, telecinésia ilimitada, cria campos de força impenetráveis, a manipulação de almas mortais, força em escala divina, sendo capaz de erguer mundos inteiros de uma só vez, entre muitos outros.


Referências

  1. Stormbreaker: The Saga of Beta Ray Bill #1 (Março de 2005)
  2. Fantastic Four vol.1, #262 (1984)
  3. Official Handbook of the Marvel Universe: Data Corrections Fantastic Four 2005. URL last checked 2006-09-01.
  4. Adventures of X-Men #12
  5. a b Super-Villain Classics #1 (Maio de 1983)
  6. Silver Surfer vol. 3 #10
  7. Fantastic Four vol. 1, #257
  • Galactus apareceu no Livro do Desafio Infinito

Ligações externas[editar | editar código-fonte]