Thor (Marvel Comics)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Thor
Thor por Esad Ribic.jpg
Dados da publicação
Publicado por Marvel Comics
Primeira aparição Journey Into Mistery #83 (Agosto de 1962)
Criado por Stan Lee
Larry Lieber
Jack Kirby
(Baseado no deus da mitologia nórdica.)
Características do personagem
Alter ego Thor Odinson
Espécie Æsir (Asgardiano)
Terra natal Asgard
Afiliações Asgardianos
Vingadores
Ocupação Princípe de asgard, Médico (como Donald Blake)
Base de operações Asgard, Torre dos Vingadores
Parentesco Bor (avô morto), Odin (pai), Gaia (mãe), Frigga (madrasta morta), Loki (irmão adotivo)
Situação presente Ativo
Codinomes conhecidos Deus do Trovão, Siegmund, Siegfried, Dr.Donald Blake, Jake Olson, Sigurd Jarlson, Eric Masterson, Filho de Odin
Habilidades Sendo asgardiano Thor possui:
  • Força, resistência, velocidade e durabilidade sobre-humanas
  • Vigor físico super-humano
  • Longevidade
  • Fator de cura acelerado
  • Invulnerabilidade
  • Mestre em combate corpo-a-corpo

Com o martelo Mjölnir:

  • Absorção de raios elétricos
  • Manipulação climática
  • Eletrocinese
  • Voo
  • Teletransporte interdimensional
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Thor é um super-herói de histórias em quadrinhos publicadas pela Marvel Comics. Baseado no deus Thor, originário da Mitologia Nórdica, ele foi criado por Stan Lee, Larry Lieber e Jack Kirby.

Estreando na Era de Prata dos quadrinhos, o personagem apareceu pela primeira vez em Journey into Mystery #83 (agosto de 1962). Ele é membro fundador da equipe de super-heróis Vingadores.[1]

Chris Hemsworth interpreta Thor nos filmes do Universo Marvel Cinematográfico: Thor, Os Vingadores, Thor: O Mundo Sombrio e Vingadores: Era de Ultron e vai reprisar seu papel em Thor: Ragnarok, em Vingadores: Guerra Infinita, e no quarto filme ainda não intitulado.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O super-herói Thor estreou na antologia de ficção científica fantasia Journey into Mystery #83 (agosto de 1962), criada por Stan Lee, Larry Lieber e Jack Kirby.[2] Usar Thor em uma história em quadrinhos de super-heróis não era novidade, a Fox Feature Syndicate publicou uma versão em 1940,[3] a própria Marvel (quando ainda se chamava Atlas) teve a sua versão publicada em Venus #12-13 (fevereiro-abril de 1951).[4] Ainda na década de 50, Jack Kirby havia criado uma versão de Thor para a DC Comics.[5]


Quando O Poderoso Thor surgiu nos quadrinhos Marvel, os artistas se inspiraram nas lendas nórdicas, com seus deuses e ameaças tão fantásticas. Mas ele só foi retratado como o verdadeiro deus nórdico e não um humano com poderes, quando Lee assumiu os roteiros do personagem, que no início ficaram a cargo de seu irmão, Larry Lieber. Assim foi criado o mais poderoso membro dos Vingadores[1].

Em várias histórias Thor Odinson enfrenta divindades de outras mitologias. Um dos confrontos mais memoráveis foi quando combateu Hércules, numa série de histórias de Lee/Kirby e que introduziram os deuses gregos no Universo Marvel. Também já enfrentou o deus egípcio Seth[1].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Odin, o deus supremo de Asgard (o céu dos nórdicos) e de Jord, a deusa da Terra (também chamada de Midgard ou Gaia), Thor Odinson é o príncipe de um outro mundo existente numa dimensão acima de Midgard, a Terra. Nesse mundo existem outros diversos reinos, como por exemplo, a terra dos gigantes de gelo (Jotunheim e Valhala, o lugar para onde vão os espíritos dos guerreiros que morrem em combate). Trata-se justamente de uma adaptação da mitologia nórdica, traduzida no Universo Marvel como apenas mais uma dimensão paralela.

Os nove mundos de Asgard são ligados pela Ponte do Arco-Íris (Bifrost), que é guardada por Heimdall, o eterno guardião da ponte. Thor possui um irmão adotivo chamado Loki, o traiçoeiro deus das trapaças e mentiras. Devido à sua má índole e à inveja que sente por Thor, por ser este o filho mais querido de Odin, Loki está sempre a tramar a morte do irmão e a posse de Asgard.

Em sua juventude, Thor Odinson tinha comportamento arrogante e impulsivo e, em uma de suas aventuras, cometeu uma grave falta. Perseguindo um pássaro de pedra que causava muita destruição, acabou invadindo o reino dos Gigantes de Gelo e violou o tratado estabelecido por Odin. Para punir o filho e lhe ensinar a virtude que lhe faltava, este disse:

"Tu és o filho favorito de Odin! Além de valente e nobre, tua alma é imaculada! Mas ainda assim és incompleto! Não tens humildade! Para consegui-la deverás conhecer a fraqueza… sentir dor! E para isso necessitas deixar o Reino Dourado e despir-te de tua aparência divina! A Terra, lá aprenderás que ninguém pode ser verdadeiramente forte se, em realidade, não for humilde! Por um tempo não mais serás o Deus do Trovão! A tua memória também tirarei! Agora, vai! Uma nova vida te espera!".

Assim nasceu o Doutor Donald Blake, com as memórias de uma vida humana, sem saber quem era na verdade. Sendo um talentoso médico, porém manco de uma perna, Thor foi, pouco a pouco, aprendendo a lição da humildade até que seu destino se cumpriu.

Na primeira aventura de Thor Odinson como Donald Blake publicada pela Marvel, ele avistou uma nave espacial que trazia a bordo os seres conhecidos como Homens de Saturno. Ao fugir deles, entra na caverna e encontra o martelo mágico. Como curiosidade, os fãs observaram que os alienígenas tinham a mesma aparência de personagens de uma história anterior de Jack Kirby, na fase pré-Marvel. A trama tinha a ver com as misteriosas estátuas da Ilha de Páscoa, e os perfis dos alienígenas são bem semelhantes aos das cabeças dos monumentos (moais) erigidos pelos lendários nativos. Ao bater o cajado contra o chão, ele transformou-se no Poderoso Thor e em sua mão estava o fiel martelo mágico Mjolnir, que só podia ser levantado por Thor ou alguém de igual nobreza de alma. Aos poucos, suas memórias retornaram, e quando encontrou Odin toda a verdade lhe foi revelada.

Assim, Midgard (a Terra) ganhou mais um poderoso defensor, pois a compaixão de Thor com os mortais e a ligação mística com sua mãe fez com que ele preferisse, por várias vezes, continuar em Midgard à retornar definitivamente à Asgard, mesmo recebendo punições de Odin (tais como a vez em que foi privado de metade de seus poderes).

Thor Odinson, na época em que estava "transmutado" em Don Blake, era apaixonado pela sua enfermeira, Jane Foster, que todavia só estava interessada no deus nórdico. Para aproximar seu personagem da mitologia, Lee/Kirby fizeram com que Thor a levasse para Asgard, para se casar com ela, mas Odin mostrou que a garota não estava preparada para viver com os deuses. Thor acabou se convencendo disso e deixou Jane de lado, passando a namorar a deusa Sif. A partir daí, formou-se um triângulo amoroso envolvendo o casal e o melhor amigo de Thor, o valente deus Balder. As constantes ausências de Thor prejudicaram o relacionamento com Sif, fazendo com que a deusa se tornasse uma personagem secundária.

Atuando como ativo herói na Terra, Thor Odinson foi um dos fundadores da equipe dos Vingadores ao lado do Homem de Ferro, Homem-Formiga, Vespa e Hulk. Permanecendo na equipe por muitos anos, Thor se envolveu em inúmeras batalhas para defender os seres humanos, sendo mundialmente reconhecido como um herói de grande valor.

Na sua última saga, o Ragnarok é finalmente desencadeado por Loki e demais inimigos de Asgard.

Todos os deuses morrem com exceção do próprio Loki (decapitado) e de Thor, possuidor de todos os poderes de Odin. Thor descobre que são apenas marionetes de seres ainda mais poderosos que eles próprios, "Aqueles que vivem nas sombras", que alimentam-se do ciclo contínuo de morte e renascimento dos deuses nórdicos.

Determinado a não permitir que isso continue, Thor rompe o padrão de morte e renascimento causando a morte definitiva dos orgulhosos deuses nórdicos.

Posteriormente seu martelo reaparece no oeste americano, sendo encontrado pelo governo, o Doutor e pelo Quarteto Fantástico.

Poderes e habilidades[editar | editar código-fonte]

Thor é virtualmente um deus de outra realidade, possuindo vastos poderes. Desta maneira, possui uma enorme força e velocidade sobre-humanas. Também é capaz de controlar os elementos da tempestade, gerando tempestades, raios, furacões e geadas. Além de possuir armas poderosas, como o martelo mágico Mjolnir.

Thor é conhecido por ser o mais forte entre os asgardianos, capaz de erguer sem esforço objetos que pesam milhões de toneladas como até montanhas. Seu corpo resiste a fogo, frio extremo e até balas e bombas atômicas. Com seus sentidos aguçados, pode seguir a trilha de um inimigo por meses sem perder o rastro. E, devido aos seus milênios de idade, se tornou um mestre de todo tipo de combate, desarmado, com espadas, lanças ou martelos[6].

  • Voo : pode flutuar desafiando a gravidade em qualquer mobilidade.
  • Super força: Thor possui uma das maiores forças do universo marvel, podendo até mesmo girar a arvore Yggdrasil em sentido ao contrário.
  • Geração de raios : pode gerar raios e controla-los em alta velocidade.
  • Imortalidade : não pode morrer mesmo que seja muito ferido e golpeado.
  • Resistência sobre-humana : Thor pode resistir a qualquer dano, pode sobreviver sem oxigênio, ele pode resistir a uma bomba atômica.
  • Velocidade sobre-humana : Thor pode correr numa velocidade acima do som, chegando ate mesmo na velocidade da luz.
  • Manipulação do tempo : Thor com o seu martelo pode manipular o tempo, podendo manipular o tempo e o clima, ele pode viajar no tempo, pode fazer chover, criar furacões, tempestades.
  • Manipulação magica : Thor com o seu Martelo pode manipular grandes, quantidade de magia asgardiana podendo criar varias coisas como ilusões.
  • Teletransporte : Thor pode criar portais para outros planeta, galáxias, dimensões e universos.

O martelo Mjölnir.[editar | editar código-fonte]

Odin criou para Thor a mais fiel e poderosa arma possível, o martelo Mjolnir. Feito de um minério místico especial chamado Uru e forjado no coração de uma estrela pelos Deuses ferreiros de Asgard, Brokk e Eitri, os lendários ferreiros. Essa fantástica arma, quando arremessada, sempre retorna à mão do possuidor. O Martelo mágico também é capaz de criar portais entre dimensões, desferir golpes poderosos, além absorver qualquer tipo de energia e relançá-la ampliada. Thor, ao girar o martelo místico a incríveis velocidades, cria um escudo intransponível. Como se não bastasse, o martelo ainda é imbuído com diversos encantamentos misteriosos. De acordo com a magia colocada no martelo, somente aquele que fosse digno poderia erguê-lo, um subterfúgio criado por Odin, temendo que arma tão poderosa pudesse cair em mãos errôneas e perigosas.

Durante a fase que ainda tinha que viver como mortal, para permanecer como Thor, Donald Blake não podia ficar sem a arma mística por mais de 1 minuto. Depois que recobrou a memória, Thor não mais voltava a ser humano sem a sua vontade. Assim, o deus do Trovão poderia ficar sem o martelo o quanto quisesse sem se desproteger, contando para isso com as suas vastas capacidades físicas, além da experiência de muitos séculos de batalhas.

O Encantamento do Digno: O encantamento do martelo faz com que somente alguém digno o suficiente possa erguê-lo, fazendo com que os inimigos de Thor, ou qualquer um com objetivos não nobres nunca consigam se apossar da arma encantada, pois não são dignos de usá-la. Além disso, não basta ter apenas a intenção heróica ou mesmo agir como tal. O coração deve ser tão puro ou mais que o do próprio Thor. Um nobre guerreiro alienígena chamado Bill Raio Beta, conseguiu tal proeza e, após duelar com Thor, recebeu de Odin um outro martelo chamado Rompedor de Tormentas. Um segundo martelo seria dado a um humano chamado Eric Masterson que se tornaria o super-herói Trovejante (Thunderstrike, no original), uma versão mais fraca e humanizada do Poderoso Thor. Também já foi capaz de erguer o martelo o Capitão América; e, obviamente, o próprio Odin. Como é preciso ter um coração puro um bebe conseguiria levantar o martelo porque ele é puro.

Identidade secreta[editar | editar código-fonte]

Em suas primeiras histórias, Thor tinha como identidade secreta a do médico manco Dr. Donald Blake (como punição recebida de Odin, para que ele aprendesse o dom da humildade). Após evoluir como pessoa, ele foi abençoado por Odin e abandonou essa identidade. Anos depois, em um período de grande afinidade com Midgard, ele assumiu outra identidade secreta: a de um operário/engenheiro da construção civil chamado Sigurd Jarlson, disfarçado apenas com roupas civís, óculos de grau e rabo-de-cavalo. Bem depois, e por um curto período de tempo, o martelo/cajado foi empunhado por Erik Masterson, que se transformava em Thor porque também era "digno". Após devolver o martelo ao dono verdadeiro (Donald Blake), Erik Masterson recebeu de Odin um 2º martelo e passou a se transformar no super-herói "Trovejante", com poderes bem parecidos com os do deus do trovão, porém em um nível menor. Thor também passou um bom tempo tendo como identidade secreta o paramédico e motorista de ambulância, Jake Olsen. Atualmente, após voltar do esquecimento/limbo, retomou sua identidade secreta de médico, Dr. Donald Blake.

Lista de amigos e aliados[editar | editar código-fonte]

Lista dos principais inimigos[editar | editar código-fonte]

Publicação no Brasil[editar | editar código-fonte]

Thor foi publicado pela primeira vez no Brasil em 1967, através da parceria entre os postos Shell, EBAL e TV Bandeirantes que exibia o bloco de animações The Marvel Super Heroes, Thor era um das atrações do bloco, ao lado de Capitão América, Namor, Incrível Hulk e Homem de Ferro.

Como estratégia de marketing , os postos Shell distribuiram gratuitamente a revista "Dois Super-Heróis Shell Homem de Ferro e Capitão América - Capitão Z #0"[7] e vendeu a NCr$ 0,50 as revistas "Mais um Super-Herói Shell - O Poderoso Thor" #0" e Superxis - Dois Super Heróis Shell - Píncipe Submarino / O Incrível Hulk # 0, as edições seguintes seriam vendidas em bancas pela EBAL[8]. Após a publicação em Capitão Z, o deus do Trovão passou a ser publicado na quarta versão da revista "Álbum Gigante", a revista teve 33 edições e foi publicada até Maio de 1970[3]. Em Junho do mesmo ano, Thor passou a ser publicado na revista A Maior, onde também eram publicadas as histórias do Capitão América e Homem de Ferro[3].

O Inusitado crossover entre X-Men e Thor[editar | editar código-fonte]

Na década de 1960, a EBAL optou por não publicar personagens da Marvel que não tivessem desenhos animados exibidos no país, os títulos restantes da editora americana foram publicados em várias editoras distintas, X-Men, Surfista Prateado e Capitão Marvel por exemplo, foram publicados pela editora GEP (Gráfica Editora Penteado)[9] em Uma Revista GEP (a partir do #8 chamada de Edições GEP)[10].

As revistas da GEP possuíam mais páginas que uma revista original americana, que tinham 20 páginas e apenas uma história. Assim, eram produzidas histórias inéditas por artistas brasileiros.[11] Thor e os Vingadores aparecem em um crossover com os X-Men, na edição 3[12]. Uma história publicada na Edições GEP #8 gerou polêmica, isso por que foi publicada nessa revista, a história "Os X-Men enfrentam... Thor, o Viking!", escrita por Gedeone Malagola (que era o editor da revista) e desenhada por Walter S. Gomes. Na trama, o leitor é apresentado a uma versão alternativa do Poderoso Thor, semelhante as histórias da revista What If? (O Que Aconteceria Se...), lançada em pela Marvel em 1977[13].

Na história, Thor permanecerá congelado em um bloco de gelo por séculos e desperta após a explosão de um submarino. Ao despertar, passa a ser uma ameaça à população do século XX e enfrenta os X-Men, com a explosão de seu martelo Mjölnir (chamado de "Martelo dos Deuses"). Este fica radioativo e o corpo de Thor é protegido por uma carga magnética. Por fim, Thor é derrotado pelos X-Men e enviado ao passado através de uma máquina do tempo presente no Instituto Xavier. Mesmo se tratando de uma outra versão para o Thor (que não possuía a identidade secreta de Donald Blake), o personagem possuía o mesmo visual do Thor publicado pela EBAL.[14].

GEA[editar | editar código-fonte]

Em 1972, após deixar de ser publicados pela EBAL, Thor ganha a revista "O Poderoso Thor" pela GEA (Grupo de Editores Associados), a revista teve apenas duas edições.[15]

Bloch Editores[editar | editar código-fonte]

Em 1975, os títulos da Marvel passam a ser licenciados pela Bloch Editores, seguindo a estratégia usada pela EBAL em 1967, o bloco de animações The Marvel Super Heroes era exibido no programa do Capitão Aza, que divulgava o "Clube do Bloquinho", criado em parceira com a editora.[16] Na Bloch, foi lançada uma nova revista com o nome de "O Poderoso Thor" em formatinho.[17]

Abril[editar | editar código-fonte]

Em 1979, Thor passa a ser publicado em formatinho pela Editora Abril nas revistas mix Heróis da TV [9], Capitão América e Superaventuras Marvel[18]. Entre 1998 e 1999, a Editora Abril lançou a mini-série Heróis Renascem, a mini-série surgiu em 1996, após o evento Massacre Marvel, a ideia da editora era recontar as origens de alguns dos heróis Marvel, foram lançadas novas revistas do Capitão América, Os Vingadores, Quarteto Fantástico e Homem de Ferro ambientadas em um novo universo (já que no Universo Marvel tradicional os personagens foram dados como mortos)[19].

As revistas foram produzidas pelos quadrinistas Jeph Loeb, Jim Lee e Rob Liefeld, (artistas que outrora fizeram sucesso na Marvel e fundaram a Image Comics), após um ano, a mini-série gerou muita controvérsia e a editora resolveu trazer os heróis ao seu universo tradicional[19]. No Brasil todas essas revistas foram lançadas no formato americano (17 x 26 cm), papel jornal e contendo apenas uma história por edição.[15] Em 2000, a editora resolveu cancelar seus mixes, Thor passou a ser publicados nas revistas Grandes Heróis Marvel (tanto na 2ª versão em formatinho, quanto na versão "Premium"), Marvel 98 e Marvel 2000.[3]

Panini Comics[editar | editar código-fonte]

Em 2003, a Panini Comics passou a publicar os títulos da Marvel no país.[20] Assim como na Editora Abril, Thor não teve um título mensal próprio,[21], apenas publicações de arcos de histórias fechados[22] com suas histórias eram publicadas na revista Os Novos Vingadores até 2010. Em 2011, entrou na revista O Invencível Homem de Ferro, que passou a se chamar Homem de Ferro & Thor.

Em outras mídias[editar | editar código-fonte]

Desenhos animados[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Thor (filme)

Em 2011, foi lançado um filme sobre Thor, dirigido por Kenneth Branagh, e com o Deus do Trovão sendo vivido pelo ator australiano Chris Hemsworth. A produção foi aludida um ano antes na sequência pós-créditos de Homem de Ferro 2, na qual a S.H.I.E.L.D. encontra o Mjolnir em uma cratera no Novo México. Hemsworth repetiu o papel no filme Os Vingadores, em 2012, uma sequêcia do seu primeiro filme solo intitulado de Thor: O Mundo Sombrio que foi lançado em novembro de 2013.[24]O terceiro filme do personagem será lançado em 2017, com o título Thor: Ragnarök.

Videogames[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Thor (Thor Odinson) - Marvel Universe: The definitive online source for Marvel super hero bios.
  2. DeFalco, Tom; Gilbert, Laura, ed. (2008). "1960s". Marvel Chronicle A Year by Year History. Dorling Kindersley. 88 p. ISBN 978-0756641238
  3. a b c d Alexandre Callari, Bruno Zago e Daniel Lopes (2011). Quadrinhos no Cinema - O guia completo dos super-heróis. ISBN 9788563993182
  4. M. Keith Booker (2014). Comics through Time: A History of Icons, Idols, and Ideas [4 volumes]: A History of Icons, Idols, and Ideas ABC-CLIO [S.l.] pp. 882, 1795, 1796. 9780313397516. 
  5. Kirby in Van Hise, James (abril de 1985). "Superheroes: The Language That Jack Kirby Wrote". Comics Feature (New Media/Irjax) (34).
  6. O guia curioso dos Super Heróis - Coleção Mundo Estranho ISBN 978-85364 1307-5
  7. Gilberto M. M. Santos. «Dois Super-Heróis Shell Homem de Ferro e Capitão América - Capitão Z #0». Universo HQ. 
  8. Gilberto M. M. Santos. «Mais um Super-Herói Shell - O Poderoso Thor" #0». Universo HQ. 
  9. a b Toni Rodrigues. «Heróis da TV #1 - 2ª Série». Universo HQ. 
  10. Leonardo Vicente Di Sessa (24/08/2006). «Uma Revista GEP na GibiHouse». HQManiacs. 
  11. Roberto Guedes (19/05/2008). «Matéria: A Incrível História Dos X-Men». site HQManiacs. Consultado em 09/08/2009. 
  12. Alexandre Callari, Bruno Zago e Daniel Lopes (2012). Quadrinhos no Cinema 2 - O guia completo dos super-heróis. ISBN 978-85-63993-397
  13. Leonardo Vicente Di Sessa (14/09/2010). «Spoiler: What If? alcança as 200 edições». HQManiacs. 
  14. José Salles. (abril). "Os X-Men Realmente Clássicos". Revista Mundo dos Super-Heróis (4). Europa.
  15. a b Heitor Pitombo. (junho de 2007). "Marvel - 40 Anos de Brasil" (em português). Revista Crash (5): 15 a 21. Editora Escala. ISSN 19808739.
  16. Roberto Guedes (08/06/2007). «Nos tempos do Clube do Bloquinho». site Bigorna.net. Consultado em 09/08/2009. 
  17. Gilberto M. M. Santos.O Poderoso Thor (Editora Bloch. Universo HQ
  18. Ricardo Malta Barbeira. «Os Maiores Clássicos do Poderoso Thor». Universo. 
  19. a b Sérgio Codespoti (31/03/06). «Loeb e Liefeld retornam ao universo de Heróis Renascem». Universo HQ. 
  20. Érico "Orph" Assis (16 de Janeiro de 2002). «Parênteses: TPBs brasileiros - uma proposta». Omelete. Consultado em 17/05/2010. 
  21. Lielson Zeni. «Os Novos Vingadores #76». Universo HQ. 
  22. Zé Oliboni. «Coleção Pocket Panini #1 -Thor- Filho de Asgard». Universo HQ. 
  23. «Hi-Res Promotional Image From Upcoming "Thor" Animated Series, Press Release». Marvel.toonzone.net. 2008-11-17. Consultado em 2010-09-13. 
  24. Marcelo Hessel (09 de Janeiro de 2012). «Thor 2 já tem previsão de filmagens». 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]