Thor (Marvel Comics)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde março de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Thor
Thor por Esad Ribic.jpg

Arte de Esad Ribic
Dados da publicação
Publicado por Marvel Comics
Primeira aparição Journey Into Mistery #83
(agosto de 1962)
Criado por Stan Lee
Larry Lieber
Jack Kirby
(Baseado no deus da mitologia nórdica.)
Características do personagem
Alter ego Thor Odinson
Espécie Deus
Terra natal Asgard
Afiliações Vingadores, Asgardianos
Codinomes conhecidos Deus do Trovão
Siegmund
Siegfried
Dr. Donald Blake
Jake Olson
Sigurd Jarlson
Eric Masterson
Habilidades
  • Força super humana(potencialmente ilimitada)
  • Resistência super humana(invulnerabilidade)
  • Velocidade sobre-humana
  • Autossustento
  • Imunidade divina
  • Longevidade sobre humana (imortalidade relativa)
  • Resistência mental
  • Capacidade de comandar os elementos da tempestade

Capacidades de Mjolnir

  • Capacidade de Voo
  • Manipulação de Energia
  • Criação de Portais Dimensionais
  • Controle da terra
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Thor Odinson é um personagem de HQ presente no Universo Marvel, publicado pela editora norte-americana Marvel Comics. Baseado no deus Thor, originário da Mitologia Nórdica, ele foi criado por Stan Lee, Larry Lieber e Jack Kirby, com colaboração de Joe Sinnot. Sua primeira aparição foi na revista Journey into Mystery #83, publicada nos EUA em 1962[1] .“Como você cria alguém mais forte do que o ser mais forte? Não faça dele humano – faça dele um deus.” Foi assim que Stan Lee descreveu a origem de Thor, criado em 1962 para ser mais forte do que o herói mais poderoso do Universo Marvel (pelo menos na época), o Hulk.


História[editar | editar código-fonte]

Quando O Poderoso Thor surgiu nos quadrinhos Marvel, os artistas se inspiraram nas lendas nórdicas, com seus deuses e ameaças tão fantásticas. Mas ele só foi retratado como o verdadeiro deus nórdico e não um humano com poderes, quando Lee assumiu os roteiros da personagem, que no início ficaram a cargo de seu irmão, Larry Lieber. Assim foi criado um dos mais poderosos membros dos Vingadores[1] .

Em várias histórias Thor Odinson enfrenta divindades de outras mitologias. Um dos confrontos mais memoráveis foi quando combateu Hércules, numa série de histórias de Lee/Kirby e que introduziram os deuses gregos no Universo Marvel. Também já enfrentou o deus egípcio Seth[1] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Odin, o deus supremo de Asgard (o céu dos nórdicos) e de Jord, a deusa da Terra (também chamada de Midgard ou Gaea), Thor Odinson é o príncipe de um outro mundo existente numa dimensão acima de Midgard, a Terra. Nesse mundo existem outros diversos reinos, como por exemplo, a terra dos gigantes de gelo ( Jotunheim e Valhalla, o lugar para onde vão os espíritos dos guerreiros que morrem em combate. Trata-se justamente de uma adaptação da mitologia nórdica, traduzida no Universo Marvel como apenas mais uma dimensão paralela.

Os nove mundos de Asgard são ligados pela Ponte do Arco-Íris (Bifrost), que é guardada por Heimdall, o eterno guardião da ponte. Thor possui um irmão adotivo chamado Loki, o traiçoeiro deus das trapaças e mentiras. Devido à sua má índole e à inveja que sente por Thor ser o filho mais querido de Odin, Loki está sempre a tramar a morte do irmão e a posse de Asgard.

Em sua juventude, Thor Odinson tinha comportamento arrogante e impulsivo e, em uma de suas aventuras, cometeu uma grave falta. Perseguindo um pássaro de pedra que causava muita destruição, acabou invadindo o reino dos Gigantes de Gelo e violou o tratado estabelecido por Odin. Para punir o filho e lhe ensinar a virtude que lhe faltava, este disse:

"Tu és o filho favorito de Odin! Além de valente e nobre, tua alma é imaculada! Mas ainda assim és incompleto! Não tens humildade! Para consegui-la deverás conhecer a fraqueza… sentir dor! E para isso necessitas deixar o Reino Dourado e despir-te de tua aparência divina! A Terra, lá aprenderás que ninguém pode ser verdadeiramente forte se, em realidade, não for humilde! Por um tempo não mais serás o Deus do Trovão! A tua memória também tirarei! Agora, vai! Uma nova vida te espera!".

Assim nasceu o Doutor Donald Blake, com as memórias de uma vida humana, sem saber quem era na verdade. Sendo um talentoso médico, porém manco de uma perna, Thor foi, pouco a pouco, aprendendo a lição da humildade até que seu destino se cumpriu.

Na primeira aventura de Thor Odinson como Donald Blake publicada pela Marvel, ele avistou uma nave espacial que trazia a bordo os seres conhecidos como Homens de Saturno. Ao fugir deles, entra na caverna e encontra o martelo mágico. Como curiosidade, os fãs observaram que os alienígenas tinham a mesma aparência de personagens de uma história anterior de Jack Kirby, na fase pré-Marvel. A trama tinha a ver com as misteriosas estátuas da Ilha de Páscoa, e os perfis dos alienígenas são bem semelhantes aos das cabeças dos monumentos (moais) erigidos pelos lendários nativos. Ao bater o cajado contra o chão, ele transformou-se no Poderoso Thor e em sua mão estava o fiel martelo mágico Mjolnir, que só podia ser levantado por Thor ou alguém de igual nobreza de alma. Aos poucos suas memórias retornaram, e quando encontrou Odin toda a verdade lhe foi revelada.

Assim, Midgard (a Terra) ganhou mais um poderoso defensor, pois a compaixão de Thor com os mortais e a ligação mística com sua mãe fez com que ele preferisse por várias vezes continuar em Midgard à retornar definitivamente à Asgard, mesmo recebendo punições de Odin (tais como a vez em que foi privado de metade de seus poderes).

Thor Odinson, na época em que estava "transmutado" em Don Blake era apaixonado pela sua enfermeira, Jane Foster, que todavia só estava interessada no deus nórdico. Para aproximar seu personagem da mitologia, Lee/Kirby fizeram com que Thor a levasse para Asgard, para se casar com ela, mas Odin mostrou que a garota não estava preparada para viver com os deuses. Thor acabou se convencendo disso e deixou Jane de lado, passando a namorar a deusa Sif. A partir daí,formou-se um triângulo amoroso envolvendo o casal e o melhor amigo de Thor, o valente deus Balder. As constantes ausências de Thor prejudicaram o relacionamento com Sif, fazendo com que a deusa se tornasse uma personagem secundária.

Atuando como ativo herói na Terra, Thor Odinson foi um dos fundadores da equipe dos Vingadores ao lado do Homem de Ferro, Homem-Formiga, Vespa e Hulk. Permanecendo na equipe por muitos anos, Thor se envolveu em inúmeras batalhas para defender os seres humanos, sendo mundialmente reconhecido como um herói de grande valor.

Na sua última saga, o Ragnarok é finalmente desencadeado por Loki e demais inimigos de Asgard.

Todos os deuses morrem com exceção do próprio Loki (decapitado) e de Thor, possuidor de todos os poderes de Odin. Thor descobre que são apenas marionetes de seres ainda mais poderosos que eles próprios, "Aqueles que vivem nas sombras", que alimentam-se do ciclo contínuo de morte e renascimento dos deuses nórdicos.

Determinado a não permitir que isso continue, Thor rompe o padrão de morte e renascimento causando a morte definitiva dos orgulhosos deuses nórdicos.

Posteriormente seu martelo reaparece no oeste americano, sendo encontrado pelo governo, Doutor Destino e pelo Quarteto Fantástico.

Morte[editar | editar código-fonte]

Ao enfrentar a serpente filho do loki, thor jogou seu martelo contra ela e não o soltou, o martelo mato a serpente, mas infelizmente a serpente envenenou thor com um veneno e ele morreu logo após matar a serpente.

Poderes e habilidades[editar | editar código-fonte]

Thor é virtualmente um deus de outra realidade, possuindo vastos poderes ilimitados. Desta maneira, possui força ilimitada e velocidade sobre-humanas. Também é capaz de controlar os elementos da tempestade, gerando tempestades, raios, furacões e geadas. Além de possuir armas poderosas, como o martelo mágico Mjolnir e o cinturão da força Mejingjord.

Thor é conhecido por ser o mais forte entre os asgardianos, capaz de erguer sem esforço objetos que pesam toneladas como até montanhas. Seu corpo resiste a fogo, frio extremo e até balas e explosões. Com seus sentidos aguçados, pode seguir a trilha de um inimigo por meses sem perder o rastro. E, devido aos seus milênios de idade, se tornou um mestre de todo tipo de combate, desarmado com espadas, lanças ou martelos[2] .

  • Força física sobre-humana: Aparentemente, uma das maiores das HQs, estando no mesmo nível de nomes como Superman e Hulk. Até hoje não houve nada que ele não tenha conseguido carregar, puxar, levantar, ou empurrar. Entre alguns feitos de super força estão: fazer um planeta tremer com uma martelada, romper cabos de adamantium #um dos metais mais resistentes do Universo Marvel#, puxar a imensa Serpente Midgard que ficava enrolada em volta da Terra ou mesmo destruir luas com apenas um golpe. Thor já atacou o alienígena Bill Raio Beta com tanta força que destruiu o planetoide onde eles estavam e empurrou a árvore Yggdrasil em sentido contrário; que, segundo as lendas nórdicas, representava o eixo do Universo, além de vencer todos os Vingadores juntos. Thor quando entrava no estado "loucura do guerreiro" #Berserker# ficava com a sua força muito mais elevada. Nesse estado ele já venceu seres cósmicos extremamente poderosos como o Surfista Prateado, Drax, Adam Warlock, Bill Raio Beta, entre outros. A força de Thor, por não ter um limite estabelecido, é potencialmente infinita. Diversas vezes Thor mencionou que contém sua força e poder enquanto luta na Terra, ele próprio fez uma promessa de nunca usar a totalidade de sua força e poder, mesmo que sua vida esteja em risco.
  • Resistência física sobre-humana: Thor também possui umas das resistências mais elevadas no universo dos quadrinhos. A resistência de Thor é consideravelmente maior do que a de Asgardianos regulares graças a sua herança genética divina. Thor pode resistir aos rigores do espaço, às pressões dos oceanos, do núcleo terrestre, quedas orbitais, explosões ou rajadas de energia, disparos de armas de fogo do mais grosso calibre, além de resistir à temperaturas extremamente altas ou baixas.
  • Velocidade sobre-humana: Thor pode se mover muito mais rapidamente que um ser humano normal, graças as vantagens oriundas da raça asgardiana. A capacidade de reação de Thor também é muito superior, se comparado a um humano normal graças aos seus sentidos sobre humanos. Thor, em velocidade de voo, pode deslocar-se a velocidades extremamente altas. Além disso, quando no espaço sideral, ele pode finalmente utilizar de toda a sua velocidade de voo sem se preocupar em causar efeitos nocivos a seres, objetos ou lugares.
  • Imunidade divina: Ser um deus cujo patrimônio genético é derivado do soberano Asgardiano, Odin, deus dos deuses na Mitologia Nórdica, e da deusa da Terra, Jord, traz inúmeras dádivas. Uma delas é a sua imunidade divina. Thor possui absoluta imunidade a todos os tipos de doenças e infecções que afetam os seres humanos. Além disso, Thor ainda possui imunidade total à toxinas, venenos, ácidos, temperaturas extremas, eletricidade,metais pesados,asfixia,e envenenamento por radiação — podendo resistir com grande facilidade à explosões de bombas atômicas, por exemplo, sem qualquer sequelas futuras.
  • Longevidade sobre-humana: Thor, como todos os outros Asgardianos, não é imortal #como muitos pensam ser#. Pelo menos não no sentido literal da palavra. Entretanto, Thor envelhece a um ritmo muito, mais muito mais lento do que um ser humano comum, possuindo incontáveis ​​milênios de idade. A vida dos mortais são comparáveis ​​a nada mais do que um piscar de olhos se comparada a longevidade de um asgardiano. Thor tem observado o ciclo de diversas eras humanas ou mesmo alienígenas. O consumo das Maçãs Douradas da deusa Iddun é essencial para um Asgardiano manter seu vigor físico, bem como a longevidade absurda. Se faz necessário o consumo desse fruto de tempos em tempos, sendo as Maças douradas da deusa Iddun o alimento sagrado responsável pela "imortalidade" daquele que o consumir.
  • Capacidade de controlar os elementos da tempestade: Thor é comumente conhecido como o "Deus do Trovão". Ele comanda os elementos da tempestade onde, quando e como quiser. Já invocou tempestades e raios no espaço, onde não existe atmosfera. Pode invocar a mais rigorosa das tempestades. Tais poderes podem tanto ser usados de maneira muito efetiva, visando causar dano, ou reparar/evitar algum tipo de avariação à algo ou alguém.Graças ao poderoso martelo mágico Mjolnir, Thor pode canalizar e potencializar esses efeitos, pois esse magnífica arma serve como um foco catalizador. Os elementos da tempestade sob domínio do deus do trovão são: chuva, vento, raio, gelo e neve.
  • Habilidade de combate e experiência: A vida do guerreiro Thor estende-se por milênios. Grande parte dela é marcada por combates contra gigantes do gelo, trolls, elfos negros, demônios e toda sorte de criaturas mitológicas. Sendo assim, nada mais natural que Thor adquirisse exímia perícia no combate corpo a corpo. Além disso, para conquistar o direito de posse do seu martelo de Uru, o Mjolnir, Thor teve que passar por diversos e rigorosos testes para provar ser digno de empunhar o arma encantada.

O martelo Mjolnir[editar | editar código-fonte]

Odin criou para Thor a mais fiel e poderosa arma possível, o martelo Mjolnir. Feito de um minério místico especial chamado Uru e forjado no coração de uma estrela pelos Deuses ferreiros de Asgard Brokk e Eitri, os lendários ferreiros. Essa fantástica arma, quando arremessada, sempre retorna à mão do possuidor. O Martelo mágico também é capaz de criar tempestades e furacões, gerar raios, abrir portais entre dimensões, desferir golpes poderosos, possibilitar a habilidade de voo, além absorver qualquer tipo de energia e relançá-la ampliada. Thor, ao girar o martelo místico a incríveis velocidades, cria um escudo intransponível. Como se não bastasse, o martelo ainda é imbuído com diversos encantamentos misteriosos. De acordo com a magia colocada no martelo, somente aquele que fosse digno poderia erguê-lo, um subterfúgio criado por Odin, temendo que arma tão poderosa pudesse cair em mãos errôneas e perigosas.

Durante a fase que ainda tinha que viver como mortal, para permanecer como Thor, Don Blake não podia ficar sem a arma mística por mais de 1 minuto. Depois que recobrou a memória, Thor não mais voltava a ser humano sem a sua vontade. Assim, o deus do Trovão poderia ficar sem o martelo o quanto quisesse sem se desproteger, contando para isso com as suas vastas capacidades físicas, além da experiência de muitos séculos de batalhas.

O encantamento do digno: O encantamento do martelo faz com que somente alguém digno o suficiente possa erguê-lo, fazendo com que os inimigos de Thor, ou qualquer um com objetivos não nobres nunca consigam se apossar da arma encantada, pois não são dignos de usá-la. Além disso, não basta ter apenas a intenção heroica ou mesmo agir como tal. O coração deve ser tão puro ou mais que o do próprio Thor. Um nobre guerreiro alienígena chamado Bill Raio Beta, conseguiu tal proeza e, após duelar com Thor, recebeu de Odin um outro martelo chamado Rompedor de Tormentas. Um segundo martelo seria dado a um humano chamado Eric Masterson que se tornaria o super-herói Trovejante (Thunderstrike, no original), uma versão mais fraca e humanizada do Poderoso Thor. Também já foi capaz de erguer o martelo o Capitão América; e, obviamente, o próprio Odin. Recentemente foi mostrado ser possível 'driblar' o encantamento utilizando-se de alguns requisitos, como a mistura de grande força bruta combinado em um ambiente de força gravitacional baixíssima, como demonstrado pelo Hulk Vermelho duelando com Thor no espaço.

Identidade secreta[editar | editar código-fonte]

Em suas primeiras histórias, Thor tinha como identidade secreta a do médico manco Dr. Donald Blake (como punição recebida de Odin, para que ele aprendesse o dom da humildade). Após evoluir como pessoa, ele foi abençoado por Odin e abandonou essa identidade. Anos depois, em um período de grande afinidade com Midgard, ele assumiu outra identidade secreta: a de um operário/engenheiro da construção civil chamado Sigurd Jarlson, disfarçado apenas com roupas civís, óculos de grau e rabo-de-cavalo. Bem depois, e por um curto período de tempo, o martelo/cajado foi empunhado por Erik Masterson, que se transformava em Thor por que também era "digno". Após devolver o martelo ao dono verdadeiro (Donald Blake), Erik Masterson recebeu de Odin um 2º martelo, ou máça, chamado "Rompe-Tormentas", e passou a se transformar no Super-herói "Trovejante", com poderes bem parecidos com os do deus do trovão, porém em um nível menor. Thor também passou um bom tempo tendo como identidade secreta o paramédico e motorista de ambulância, Jake Olsen. Atualmente, após voltar do esquecimento/limbo, retomou sua identidade secreta de médico, Dr. Donald Blake, a qual continua usando até hoje.

Lista de amigos e aliados[editar | editar código-fonte]

Lista dos principais inimigos[editar | editar código-fonte]

Publicação no Brasil[editar | editar código-fonte]

Thor foi publicado pela primeira vez no Brasil em 1967, através da parceria entre os postos Shell, editora EBAL e TV Bandeirantes que exibia o bloco de animações The Marvel Super Heroes, Thor era um das atrações do bloco, ao lado de Capitão América, Namor, Incrível Hulk e Homem de Ferro.

Como estratégia de marketing , os postos Shell distribuiram gratuitamente a revista "Dois Super-Heróis Shell Homem de Ferro e Capitão América - Capitão Z #0"[3] e vendeu a NCr$ 0,50 as revistas "Mais um Super-Herói Shell - O Poderoso Thor" #0" e Superxis - Dois Super Heróis Shell - Píncipe Submarino / O Incrível Hulk # 0, as edições seguintes seriam vendidas em bancas pela EBAL[4] . Após a publicação em Capitão Z, o deus do Trovão passou a ser publicado na quarta versão da revista "Álbum Gigante", a revista teve 33 edições e foi publicada até Maio de 1970[5] . Em Junho do mesmo ano, Thor passou a ser publicado na revista A Maior, onde também eram publicadas as histórias do Capitão América e Homem de Ferro[5] .

O Inusitado crossover entre X-Men e Thor[editar | editar código-fonte]

Na década de 1960, a EBAL optou por não publicar personagens da Marvel que não tivesse desenhos animados exibidos no país, os títulos restantes da editora americana foram em várias editoras distintas, X-Men, Surfista Prateado e Capitão Marvel por exemplo, foram publicados pela editora GEP (Grafica Editora Penteado)[6] em Uma Revista GEP (a partir do #8 chamada de Edições GEP)[7] .

As revistas da GEP possuia mais paginas que uma revista original americana, que so possuia 20 paginas e apenas uma historia, para isso eram produzidas historias inéditas por artistas brasileiros.[8] Thor e os Vingadores aparecem em um crossover com os X-Men, na edição 3[9] . Uma historia publicada na Edições GEP #8 gerou polemica, isso por que foi publicada nessa revista, a historia "Os X-Men enfrentam... Thor, o Viking!", escrita por Gedeone Malagola (que era o editor da revista) e desenhada por Walter S. Gomes. Na trama o leitor é apresentado a uma versão alternativa do Poderoso Thor, semelhante as histórias da revista What If? (O Que Aconteceria Se...), lançada em pela Marvel em 1977[10] .

Na história, Thor permanecerá congelado em bloco de gelo por séculos e desperta após a explosão de um submarino. Ao despertar, passa a ser uma ameaça a população do seculo 20 e enfrenta os X-Men, com a explosão seu martelo Mjölnir (chamado de Martelo dos Deuses) fica radiotivo e o corpo de Thor é protegido por uma carga magnética, por fim Thor é derrotado pelos X-Men e enviado ao passado através de uma máquina do tempo presente no Instituto Xavier. Mesmo se tratando de uma outra versão para o Thor (que não possuia a identidade secreta de Donald Blake), a personagem possuia o mesmo visual do Thor publicado pela EBAL, por isso a publicação da história desagradou o editor Adolfo Aizen dono da EBAL, que pediu a Miguel Penteado (dono da GEP), que não publicasse histórias com a personagem[11] .

GEA[editar | editar código-fonte]

Em 1972, após deixar de ser publicados pela EBAL, Thor ganha a revista "O Poderoso Thor" pela GEA (Grupo de Editores Associados), a revista teve apenas duas edições.[12]

Bloch Editores[editar | editar código-fonte]

Em 1975, os títulos da Marvel passam a ser licenciados pela Bloch Editores, seguindo a estratégia usada pela EBAL em 1967, o bloco de animações The Marvel Super Heroes era exibido no programa do Capitão Aza, que divulgava o "Clube do Bloquinho", criado em parceira com a editora.[13] Na Bloch, foi lançada uma nova revista com o nome de "O Poderoso Thor" em formatinho.[14]

Abril[editar | editar código-fonte]

Em 1979, Thor passa a ser publicado em formatinho pela Editora Abril nas revistas mix Heróis da TV [6] , Capitão América e Superaventuras Marvel[15] . Entre 1998 e 1999, a Editora Abril lançou a mini-série Heróis Renascem, a mini-série surgiu em 1996, após o evento Massacre Marvel, a ideia da editora era recontar as origens de alguns dos heróis Marvel, foram lançadas novas revistas do Capitão América, Os Vingadores, Quarteto Fantástico e Homem de Ferro ambientadas em um novo universo (já que no Universo Marvel tradicional os personagens foram dados como mortos)[16] .

As revistas foram produzidas pelos quadrinistas Jeph Loeb, Jim Lee e Rob Liefeld, (artistas que outrora fizeram sucesso na Marvel e fundaram a Image Comics), após um ano, a mini-série gerou muita controvérsia e a editora resolveu trazer os heróis ao seu universo tradicional[16] . No Brasil todas essas revistas foram lançadas no formato americano (17 x 26 cm), papel jornal e contendo apenas uma história por edição [12] . Em 2000, a editora resolveu cancelar seus mixes, Thor passou a ser publicados nas revistas Grandes Heróis Marvel (tanto na 2ª versão em formatinho, quanto na versão "Premium"), Marvel 98 e Marvel 2000[5] .

Panini Comics[editar | editar código-fonte]

Em 2003, a Panini Comics passou a publicar os títulos da Marvel no país.[17] Assim como na Editora Abril, Thor não teve um título mensal próprio,[18] , apenas publicações de arcos de histórias fechados[19] com suas histórias eram publicadas na revista Os Novos Vingadores até 2010. Em 2011, entrou na revista O Invencível Homem de Ferro, que passou a se chamar Homem de Ferro & Thor.

Outras mídias[editar | editar código-fonte]

Desenhos animados[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Em 2011, foi lançado um filme sobre Thor, dirigido por Kenneth Branagh, e com o Deus do Trovão sendo vivido pelo ator australiano Chris Hemsworth. A produção foi aludida um ano antes na sequência pós-créditos de Homem de Ferro 2, na qual a S.H.I.E.L.D. encontra Mjolnir em uma cratera no Novo México. Hemsworth repetiu o papel no filme Os Vingadores, em 2012. E um novo filme intitulado Thor: The Dark World que será a sequência de Thor foi lançado em novembro de 2013.[21]

Videogames[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Thor (Thor Odinson) - Marvel Universe: The definitive online source for Marvel super hero bios.
  2. O guia curioso dos Super Heróis - Coleção Mundo Estranho ISBN 978-85364 1307-5
  3. Gilberto M. M. Santos. Dois Super-Heróis Shell Homem de Ferro e Capitão América - Capitão Z #0. Universo HQ.
  4. Gilberto M. M. Santos. Mais um Super-Herói Shell - O Poderoso Thor" #0. Universo HQ.
  5. a b c Alexandre Callari, Bruno Zago e Daniel Lopes (2011). Quadrinhos no Cinema - O guia completo dos super-heróis. ISBN 9788563993182
  6. a b Toni Rodrigues. Heróis da TV #1 - 2ª Série. Universo HQ.
  7. Leonardo Vicente Di Sessa (24/08/2006). Uma Revista GEP na GibiHouse. HQ Maniacs.
  8. Matéria: A Incrível História Dos X-Men (em português). site HQManiaca (19/05/2008). Página visitada em 09/08/2009.
  9. Alexandre Callari, Bruno Zago e Daniel Lopes (2012). Quadrinhos no Cinema 2 - O guia completo dos super-heróis. ISBN 978-85-63993-397
  10. Leonardo Vicente Di Sessa (14/09/2010). Spoiler: What If? alcança as 200 edições. HQManiacs.
  11. , Revista Mundo dos Super-Heróis nº 4, José Salles Europa, Os X-Men Realmente Clássicos, Abril de 2007
  12. a b Heitor Pitombo. (junho de 2007). "Marvel - 40 Anos de Brasil" (em português). Revista Crash 5: 15 a 21. Editora Escala. ISSN 19808739.
  13. Roberto Guedes (08/06/2007). Nos tempos do Clube do Bloquinho (em português). site Bigorna.net. Página visitada em 09/08/2009.
  14. Gilberto M. M. Santos.O Poderoso Thor (Editora Bloch. Universo HQ
  15. Ricardo Malta Barbeira. Os Maiores Clássicos do Poderoso Thor. Universo.
  16. a b Sérgio Codespoti (31/03/06). Loeb e Liefeld retornam ao universo de Heróis Renascem. Universo HQ.
  17. Érico "Orph" Assis (16 de Janeiro de 2002). Parênteses: TPBs brasileiros - uma proposta. Omelete. Página visitada em 17/05/2010.
  18. Lielson Zeni. Os Novos Vingadores #76. Universo HQ.
  19. Zé Oliboni. Coleção Pocket Panini #1 -Thor- Filho de Asgard. Universo HQ.
  20. Hi-Res Promotional Image From Upcoming "Thor" Animated Series, Press Release. Marvel.toonzone.net (2008-11-17). Página visitada em 2010-09-13.
  21. Marcelo Hessel (09 de Janeiro de 2012). Thor 2 já tem previsão de filmagens (em Português).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]