Globo terrestre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Um moderno globo terrestre com relevo, em montagem típica.

O globo terrestre é uma representação em escala reduzida do planeta Terra. Com seu formato esférico, ele representa a superfície terrestre de maneira mais fiel que o planisfério.[1]

Sua forma é arredondada, porém, não permite a visualização de toda a superfície ao mesmo tempo, Se observamos o Brasil, por exemplo, não conseguimos ver o Japão, que fica no lado oposto do globo. Já no Mapa Planisfério conseguimos ver o Mapa-múndi em plano, vendo todos os países[1].

O primeiro globo terrestre, chamado Globo Terrestre de Nürnberg, foi fabricado durante os anos 1490-1492 pelo cartógrafo alemão Martin Behaim.[2]

Um globo terrestre tem às vezes relevo, mostrando a topografia. Se usar uma escala exagerada para o relevo, de forma que resulte visível.[3]

A maior parte dos globos terrestres modernos incluem também paralelos e meridianos, de modo que se possa efetuar uma localização na superfície do planeta.[4]

Bases de apoio[editar | editar código-fonte]

Os globos terrestres típicos (figura) são construídos de forma que, ao apoiarem-se, o plano da órbita (plano eclíptico) apresente-se sempre representado na horizontal local, e o eixo de rotação apresente-se inclinado em relação à vertical de forma a refletir a "inclinação do eixo da Terra" em relação ao plano de sua órbita.

A configuração típica é uma configuração didática simplificada. Se o objetivo fosse posicionar corretamente o globo de forma que este refletisse a posição real do planeta no espaço, requerer-se-iam globos com bases de apoio distintas para cada localidade do planeta, bem como ausência de eixos de rotação nos modelos. No referencial de um observador estático na superfície da Terra, o globo planetário nunca se move.

Para posicionar-se o globo de forma a refletir a posição real do planeta no espaço, uma peão de xadrez pode ajudar. Coloque o peão sobre o globo exatamente na posição (cidade) em que você se encontre. Posicione o conjunto de forma que o peão fique em pé, na vertical local. Em torno do eixo axial do peão, gire o conjunto de forma a levar o polo norte do globo a orientar-se (mas não necessariamente apontar) o ponto cardeal norte local. Procedimentos feitos, a posição do globo reflete agora a posição real do planeta no espaço, e o peão representa o observador local.

Na configuração real, a projeção do eixo de rotação do globo na esfera celeste indicará a posição do polo celeste elevado.

A fim de facilitar a tarefa, alguns globos são montados sobre suporte que lhes conferem liberdade de rotação tridimensional, podendo-se posicioná-los sobre os apoios em qualquer configuração desejada.


Referências

  1. a b Projeto RADIX; Valquíria Pires; Bellucci. Geografia. Editora Scipione. p. 17 ISBN 978-852627345-0
  2. jornalpatropi.com.br. Primeiro globo terrestre, faltava um continente - Página visitada 16/8/12
  3. informação.gov.br. O Globo Terrestre - Descritivo. - Página visitada 16/8/12
  4. mundovestibular.com. Geografia. O Globo Terrestre - Página visitada 16/8/12
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Globo terrestre