Golães

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Portugal Portugal Golães 
  Freguesia  
Símbolos
Brasão de armas de Golães
Brasão de armas
Localização
Golães está localizado em: Portugal Continental
Golães
Localização de Golães em Portugal
Coordenadas 41° 28' 01" N 8° 11' 45" O
Município FAF1.png Fafe
Administração
Tipo Junta de freguesia
Presidente Filipe Ribeiro Silva (PS)
Características geográficas
Área total 4,7 km²
População total (2021) 2 021 hab.
Densidade 430 hab./km²
Outras informações
Orago São Lourenço
Localização da Freguesia de Golães

Golães é uma freguesia portuguesa do município de Fafe, com 4,7 km² de área[1] e 2021 habitantes (censo de 2021)[2]. A sua densidade populacional é de 430 hab/km². Está situada na margem direita do rio Vizela, afluente do Ave, que a separa da freguesia sede, Fafe. Faz fronteira com as freguesias de Fornelos, a Nascente; Passos, a Norte; Arões (S. Romão), a Poente; e numa pequena parte com Cepães, a Sul.

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Golães
AnoPop.±%
1864 746—    
1878 850+13.9%
1890 938+10.4%
1900 973+3.7%
1911 1 163+19.5%
1920 1 091−6.2%
1930 1 326+21.5%
1940 1 469+10.8%
1950 1 686+14.8%
1960 1 880+11.5%
1970 1 578−16.1%
1981 2 083+32.0%
1991 2 127+2.1%
2001 2 157+1.4%
2011 2 135−1.0%
2021 2 021−5.3%

História[editar | editar código-fonte]

O povoamento do território de Golães deverá ser bastante remoto, apesar de no levantamento arqueológico de 1983, efetuado por Henrique Regalo, não constarem no local vestígios de remotas ocupações, limitando-se o referido autor a registar duas pontes e alegadas vias medievais: a Ponte de Bouça ou de S. Gidos e a de Barroco.

O topónimo "Golães" é um derivado do baixo latim "(campus) Goulanus", ou seja "o campo de Goula", fazendo referência a um possível povoador ou senhor destas terras.[3]

A primeira referência documental a esta freguesia, data de 1014 e trata da doação efetuada por Ramiro II de Leão ao Mosteiro de Guimarães, onde se inclui o "Mandamento de Arones cum Varzanella et Golanes et Quintianes", não sendo possível através deste documento, comprovar se já existiria a paróquia. Esta surge nas Inquirições de 1220, com um orago diferente do actual:"ecclesie Sancte Ovaye de Golaes". A alteração do orago ter-se-á dado entre 1320 e 1528, surgindo nesta data, como "São Lourenço de Gulães".

No campo eclesiástico, a paróquia pertenceu inicialmente a D. Sancha Paes, por doação de D. Afonso Henriques, em 1175; posteriormente, esteve na posse do Mosteiro de Santo Tirso, alegadamente a partir de 1253.

Cultura[editar | editar código-fonte]

O artesanato é ainda uma das atividades de destaque, o que revela o interesse da população pelos seus costumes, sendo a pirotecnia e a manufactura dos chapéus, os ofícios mais enraizados na sua cultura.

Património[editar | editar código-fonte]

No que se refere ao património cultural e edificado, destacam-se nesta freguesia: as pontes medievais de São Gidos e de Barrôco, a Fonte de Degojo, a Igreja Paroquial, a capela de Nossa S.ra de Fátima - Varziela e a Capela de Santo André, o sarcófago e o Museu Hidroelétrico de Santa Rita, som equipamentos e materiais de 1914, considerada uma relíquia da arqueologia industrial.

Referências

  1. «Carta Administrativa Oficial de Portugal CAOP 2013». descarrega ficheiro zip/Excel. IGP Instituto Geográfico Português. Consultado em 10 de Dezembro de 2013. Arquivado do original em 9 de dezembro de 2013 
  2. INE. «Censos 2021 - resultados preliminares». Consultado em 29 de julho de 2021 
  3. Infopédia. «Goulão | Definição ou significado de Goulão no Dicionário Infopédia de Toponímia». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 7 de setembro de 2021 


Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.