Gonçalo Pereira, o Liberal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde abril de 2015). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

D. Gonçalo Peres Pereira, ou simplesmente Gonçalo Pereira (- a. 1298), chamado “o Liberal” foi um nobre português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de D. Pedro Rodrigues Pereira e de sua mulher Maria Pires Gabere ou Gravel.

3.º Senhor da Honra de Pereira, Conde e Rico-Homem do Reino de Portugal, foi Grande-Comendador da Ordem do Hospital em 1271, etc.

Casamentos e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou primeira vez com Urraca Vasques Pimentel, filha de D. Vasco Martins Pimentel e de Maria Anes de Fornelo, da qual teve um filho e duas filhas:

Casou segunda vez com Inês Lourenço Carnes-Más, filha de Lourenço Anes Carnes-Más e de sua mulher, da qual teve uma filha:

  • Estevainha Gonçalves Pereira (d. 4 de Maio de 1337), casada primeira vez com Vasco Anes de Soalhães (c. 1280 -), 2.º Senhor do Morgado de Soalhães, do qual foi segunda mulher, sem geração, e casou segunda vez com João Rodrigues Pimentel (- a. 18 de Abril de 1335), Senhor do Morgado de Semelhe, com geração, que instituiu o Morgado de Torres Novas por Testamento de 4 de Maio de 1337, de que fez cabeça a Capela da Santíssima Trindade, que instituíra com seu marido João Rodrigues Pimentel e sogra na Igreja de São Pedro da dita vila, e chamou para Administrador a seu filho Gonçalo Anes e, na falta, a sua filha Leonor Rodrigues e, na falta desta, a outra filha Maria Rodrigues

Fora do casamento, com Marinha Vasques, teve um filho bastardo:

  • Rui Gonçalves Pereira (1280 -?) casado por três vezes, a primeira com Beringeira Nunes Barreto, a segunda com Elvira Garcia Picata e a terceira com Leonor Rodrigues de Alvelos

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências