Gottscheerish

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gottscheerish (Granish)
Falado em: Eslovênia
Região: Carníola
Total de falantes: quase extinta
Família: Indo-europeia
 Germânico
  Ocidental
   Alto-alemão
    Germ. centro-ocidental
     Gottscheerish
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
Inscrição em Gottscheerish em uma placa na parede da Capela da Santo Sepulcro perto da Igreja de Corpus Christi em Trata, Kočevje
Os nomes de lugares tradicionais Gottscherish nem sempre são os mesmos que os nomes alemães
Os nomes de lugares de Gottscheerisch mostram que o estágio do sistema de som de Gottscheerisch é diferente do alemão padrão
Nome da Cidade de Kočevje em esloveno, alemão e Gottscheerish
Melodia e primeira estória da música popular de Gottscheer Də mêrarin ("A mulher pelo mar") [1]

Gottscheerish[2][3] (Göttscheabarisch,[4] em alemão: Gottscheerisch, em esloveno: kočevarščina) é uma língua Germânica, um dialeto da língua alemã, que era o principal idioma de comunicação entre os Gottscheers no enclave de Gottschee, em Carníola, Eslovênia antes de 1941. É ocasionalmente referido como Granish ou Granisch nos Estados Unidos (Alemão Krainisch Carníola '), um termo também usado na língua eslovena.[5][6][7] Hoje, há apenas alguns falantes na Eslovênia e no mundo.

História[editar | editar código-fonte]

O Gottscheerish pertence ao subgrupo bávaro meridional dos dialetos Bávaros. Os dialetos bávaros de Caríntia são os mais próximos. Gottscheerish compartilha muitas propriedades com os dialetos bávaros de enclaves de língua alemã dos Alpes orientais, entre eles a língua címbria do Vêneto, Itália, o Sappada (Pladen) e Timau (Tischelwang) em Friuli-Venezia Giulia e Sorica (Zarz) de Alta Carniola (Eslovênia). A língua se desenvolveu independentemente por mais de 600 anos a partir da presença dos primeiros colonizadores de língua alemã do Tirol Oriental e Caríntia Ocidental, por volta de 1330.

Os alemães Gottscheer usaram Gottscheerish como linguagem oral para a comunicação diária, enquanto a sua língua escrita era no Alemão padrão. No entanto, Canções populares e contos populares recolhidos nos séculos XIX e XX foram publicados em Gottscheerish.

Já no século XIX muitos falantes de Gottscheerish deixaram seus lares para emigrar para os Estados Unidos. Após o a reassentamento da maioria dos Gottscheers pelas forças de ocupação alemãs em 1941 durante a Segunda Guerra Mundial, apenas algumas centenas de falantes de Gottscheerish permaneceram em sua terra natal. Após a guerra Gottscheerish foi proibido em Iugoslávia.

Situação atual[editar | editar código-fonte]

De acordo com UNESCO, o Gottscheerish é uma "língua criticamente ameaçada". A maioria dos seus falantes vivem nos EUA, com uma comunidade significativa em Queens, Nova Iorque. [8] A maioria deles é da geração mais antiga, que passou sua infância no condado de Gottschee. Existem também falantes em Canadá, Áustria e Alemanha mas, assim como nos Estados Unidos, eles quase não têm oportunidade de praticá-lo. A linguagem diária na família e em outros locais é o inglês e o alemão ou o dialeto local, respectivamente.[9]

Na Eslovênia existem algumas famílias que preservaram Gottscheerish apesar da proibição após a Segunda Guerra. Hoje, no entanto, provavelmente não há mais crianças aprendendo como primeira língua. A maioria dos falantes Gottscheerish vivem em Gottschee, vale Moschnitze valley]] (Črmošnjiško-Poljanska dolina) entre Kočevske Poljane e Črmošnjice, Semič , onde algumas famílias de Gottscheer colaboraram com os Partisans iugoslavos e, portanto, foram autorizados a ficar. [4][10]

Escrita[editar | editar código-fonte]

Como uma linguagem principalmente ou exclusivamente falada, a representação escrita de Gottscheerish variou consideravelmente. A tabela a seguir mostra como alguns dos fonemas mais problemáticos foram representados em diferentes sistemas de escrita.

Phoneme Schröer (1870)[11] Tschinkel (1908)[12] Schauer (1926)[13] Contemporary[14]
/ɕ/
/ɛ/ e ä
/ə/ ə ä ə
/j/ j j j
/kʰ/ kh k kh
/kx/
/ɵ/ ö ȯ ó ö
/s/ s, ß s ß s, ß
/ʃ/ sch š sch sch
/ts/ z ts z ts
/tʃ/ tsch tsch tsch
/ʉ/ ü u ü
/x/ ch χ ch ch
/ʑ/ ż
/ʒ/ ş ž sh sh

O símbolo ə para xevá é freqüentemente distorcido nas representações de Gottscheerish, substituído incorretamente pelo símbolo do diferencial parcial ou umlaut ä.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

O inventário fonológico de Gottscheerish difere do Alemão padrão de várias maneiras, especialmente em relação às consoantes palatais. O inventário fonológico aqui é baseado na gramática de Hans Tschinkel em 1908.[12] Tschinkel does not explicitly distinguish between phonemic and phonetic status.

=Consoantes[editar | editar código-fonte]

As consoantes entre parênteses são variantes fonéticas / posicionais, variantes idioléticas ou variantes dialetais.[15]

Bilabial Labiodental Dental Palatal Velar Faringeal
Plosiva tênue p t k
aspirada
forte b d g
Fricativa tênue f s (ɕ) ʃ x h
forte w v z (ʑ) ʒ
Africada pf ts kx
Nasal m n (ɲ) ŋ
Vibrante r
Lateral l (ʎ)

Na parte mais ocidental de Gottschee, conhecida como “Platô da Procura” (em alemão: Suchener Hochtal), od fonemas /s/ e /ʃ/ se juntaram em /ɕ/ e os fonemas /z/ e /ʒ/ se juntaram em /ʑ/.[16] O fonema /r/ é raramente percebido como [ʁ].[17] A fonema /l/ é percebido como [ʟ] depois de vogais anteriores e depois de obstruentes labiais/velares.[18]

Vogais[editar | editar código-fonte]

Tschinkel apresenta um grande inventário de vogais para Gottscheerish, especialmente para ditongos e grupos de vogais. Ele não distingue estritamente entre valores fonêmicos e fonéticos.[19]

Anterior Central Posterior
Fechada i ʉ ʉː u
Meio fechada e ɵ ɵː o
Meio aberta ɛ ə
Aberta a

Ditongos decrescentes: ai, ao, au, aʉ, ea, ei, ia, iə, oa, oɛ, oi, ou, ɵi, ɵʉ, ua, ui, uə, ʉi, ʉə, əi, aːi, aːo

Ditongos crescentes: i̯a, i̯aː, i̯ɛ, i̯e, i̯eː, i̯i, i̯iː, i̯o, i̯oː, i̯ɵ, i̯ɵː, i̯u, i̯uː, i̯ʉ, i̯ʉː, i̯ə

Tritongos decrescentes: oai, uai, eau, iəu, ʉəu, oːai, uːai

Tritongos crescentes-decrescentes: i̯ai, i̯au, i̯aʉ, i̯ea, i̯ei, i̯iə, i̯ou, i̯ɵʉ, i̯uə, i̯əi, u̯ai

Tetratongos: oai, i̯uai, i̯oːai, i̯uːai

Gramática[editar | editar código-fonte]

Pronomes pessoais[editar | editar código-fonte]

Conforme Hans Tschinkel os pronomes pessoais são:[20]

Singular Plural Formal (sg./pl.)
Case 1ª pessoa 2ª pessoa 3 ª pessoa 1ª pessoa 2ª pessoa 3ª pessoa 2ª pessoa
Português eu você, tu ele 3ª neutro Ela nós vocês, vós eles(as) você
Nominativo iχ, ī, i, iχχe dū̇, du̇ ār, ar, a īns, is, əs, ’s žī, ži biər, bər iər, ər, dər žai žai
Genitivo maindər daindər žaindər (īmonš) īrdər inžər, inžə(r)dər aijər, airər, aijə(r)dər īr īr
Dativo miər, miərə, mər diər, diərə, dər īmon (īmonə), mon īr (īrə), ir inš ai in, ən, ’n, nən in, ən, ’n, nən
Acusativo mī, mi dī, di in, ən, ’n īns, əs, ’s žai, žə inš ai žai, žə, ž’ žai, žə, ž’

Numeração[editar | editar código-fonte]

Os seguintes números são dados de forma abreviada na transcrição de Hans Tschinkel.[21]

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Ortografia de Karl Schröer (1870):

Gottscheerish[22] Alemão[22] Inglês

Bie wrüe işt auf dar Hanşel junc,
ar stéanot şmóaronş gûr wrüe auf,
ar legot şih gûr schíander ån,
ar géanot ahin of es kîrtàgle.

Wie früh ist auf der Hänsel jung,
er stund des morgens gar früh auf,
er legte sich gar schön (schöner) an,
er gieng hin auf den Jahrmarkt.

How early young Johnny is up,
He got up very early this morning,
He put on his fine clothes,
He went to the parish fair.

Ortografia Hans Tschinkel (ca. 1908):

Gottscheerish[23][Note 1] Alemãoref>Petschauer, Erich. 1980. Das Jahrhundertbuch der Gottscheer. Klagenfurt: Leustik, p. 79.</ref> Inglês

Du̇ hoscht lai oin Ammoin,
oin Attoin dərzu̇ə,
du̇ hoscht lai oin Hoimət,
Gottschəabarschər Pu̇ə.

Du hast nur eine Mutter
einen Vater dazu,
du hast nur eine Heimat,
Gottscheer Bub.

You have only one mother
One father as well.
You have only one homeland,
Gottschee boy.

Amostra de texto[editar | editar código-fonte]

Bie wrüe işt auf dar Hanşel junc, ar stéanot şmóaronş gûr wrüe auf, ar legot şih gûr schíander ån, ar géanot ahin of es kîrtàgle.

Português

Como o jovem Johnny está pronto, Ele se levantou muito cedo esta manhã, Ele vestiu suas belas roupas, Ele foi à feira da paróquia.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Adolf Hauffen: Die deutsche Sprachinsel Gottschee. Graz 1895, p. 245. Após Karl Bartsch, Karl Julius Schröer: "Das Fortleben der Kudrunsage". Em: Germania 14, pp. 323-336: p. 333.
  2. Andrew Willis: Brussels faces shortage of English-language interpreters. Euobserver.com, 19-02-2009
  3. Newflashenglish.com: UN says 2,500 languages face extinction Arquivado em 25 de abril de 2012, no Wayback Machine., p. 2.
  4. a b Maridi Tscherne: Wörterbuch Gottscheerisch-Slowenisch. Einrichtung für die Erhaltung des Kulturerbes Nesseltal, Koprivnik/Nesseltal 2010.
  5. Moseley, Christopher. 2007. Encyclopedia of the World's Endangered Languages. New York: Routledge.
  6. Zarja / The Dawn. 1996. 68(5–6) (May–June), p. 27.
  7. Planinšič, J. 1976. "Bodimo ponosni, da smo Slovenci." Slovenska država 27(2): 3.
  8. Turin, Mark. 2012. "New York, a graveyard for languages." BBC, 16 December.
  9. Anja Moric: Usoda Kočevskih Nemcev - Ohranjanje identitete kočevskih Nemcev. Diplomsko delo, Univerza v Ljubljani, 2007
  10. «Pokrajinski muzej Kočevje: Vsi niso odšli / Not all of them left» (PDF). Consultado em 2 de abril de 2012.. Arquivado do original (PDF) em 2 de abril de 2012 
  11. Schröer, Karl Julius. 1870. Wörterbuch der Mundart von Gottschee. Vienna: K. u. k. Staatsdruckerei.
  12. a b Tschinkel, Hans. 1908. Grammatik der Gottscheer Mundart. Halle: Max Niemeyer.
  13. Schauer, August (ed). 1926. Gottscheer Kalender. Author.
  14. "Help with Pronunciation," Gottscheer Relief Association, New York
  15. Tschinkel, Hans. 1908. Grammatik der Gottscheer Mundart. Halle: Max Niemeyer, pp. 20–30.
  16. Tschinkel, Hans. 1908. Grammatik der Gottscheer Mundart. Halle: Max Niemeyer, p. 26.
  17. Tschinkel, Hans. 1908. Grammatik der Gottscheer Mundart. Halle: Max Niemeyer, p. 22.
  18. Glover, Justin. 2012. "Coronal Dissimilation in Gottschee German." Paper presented at the 4th Annual Tampa Workshop in Linguistics, 9–10 March 2012. Tampa.
  19. Tschinkel, Hans. 1908. Grammatik der Gottscheer Mundart. Halle: Max Niemeyer, pp. 12–20.
  20. Tschinkel, Hans. 1908. Grammatik der Gottscheer Mundart. Halle: Max Niemeyer, pp. 267–270.
  21. Tschinkel, Hans. 1908. Grammatik der Gottscheer Mundart. Halle: Max Niemeyer, pp. 265–266.
  22. a b Schröer, Karl Julius. 1870. Wörterbuch der Mundart von Gottschee. Vienna: K. u. k. Staatsdruckerei, p. 266.
  23. Tschinkel, Hans et al. 1984. Gottscheer Volkslieder. Nachträge zu Bd. 1. Mainz: B. Schott's Söhne, p. 470.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Karl Julius Schröer: Wörterbuch der Mundart von Gottschee. K. k. Hof- und Staatsdruckerei, Wien 1870.
  • Adolf Hauffen: Die deutsche Sprachinsel Gottschee. Geschichte und Mundart, Lebensverhältnisse, Sitten und Gebräuche, Sagen, Märchen und Lieder. K.K. Universitäts-Buchdr. und Verlags-Buchh. Styria, Graz 1895. S. 19-33: Die Gottscheer Mundart.
  • Hans Tschinkel: Grammatik der Gottscheer Mundart. Niemeyer, Halle a. S. 1908.
  • Walter Tschinkel: Wörterbuch der Gottscheer Mundart. 2 Bände. Mit Illustrationen von Anni Tschinkel. Studien zur Österreichisch-Bairischen Dialektkunde. Verlag der Österreichischen Akademie der Wissenschaften, Wien 1973.
  • Maridi Tscherne: Du höscht lai oin Hoimöt. Domovina je ena sama. Pesmarica pesmi v kočevarskem narečju. Slovensko kočevarsko društvo Peter Kosler, Ljubljana 2010.
  • Maridi Tscherne: Beartərpiəchla - Göttscheabarisch-Kroinarisch. Kočevarsko-slovenski slovarček. Zavod za ohranitev kulturne dediščine Nesseltal Koprivnik, Koprivnik/Nesseltal 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Erro de citação: Existem elementos <ref> para um grupo chamado "Note", mas não foi encontrado nenhum <references group="Note"/> correspondente (ou falta um elemento de fecho </ref>)