Grande Indonésia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mapa da Grande Indonésia, incluindo Indonésia, Malásia, Brunei, Cingapura e Timor Leste.

A Grande Indonésia, ou como é chamada na Indonésia e na Malásia, a Indonesia Raya ou Melayu Raya, era um conceito político que buscava trazer a chamada raça malaia, da qual apenas faziam parte os malaios, unindo os territórios britânicos da Malásia e Bornéu com as Índias Orientais Neerlandesas. Foi defendida por estudantes e graduados do Sultan Idris Training College para professores malaios no final dos anos 1920, e indivíduos de Sumatra e Java, incluindo Muhammad Yamin e Sukarno na década de 1950.[1] A Indonesia Raya ("Grande Indonésia") é também o nome do hino nacional indonésio.

Desenvolvimento da ideia na era colonial[editar | editar código-fonte]

No final da década de 1920, a ideia de formar uma nova nação independente cresceu entre o povo das Índias Orientais Neerlandesas, especialmente entre os pribumi instruídos (indonésios nativos). Enquanto na península malaia, a ideia da Grande Malaia foi proposta. Nas Índias Orientais Neerlandesas, os jovens ativistas dos nacionalistas indonésios estavam mais interessados em formar uma Indonésia independente. Em 1928, o Juramento dos Jovens foi declarado em Batavia (hoje Jacarta) por ativistas jovens nacionalistas indonésios proclamando três ideais; uma pátria, uma nação e apoiar uma língua unificadora.[2]

Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Em julho de 1945, o KRIS (Kesatuan Rakyat Indonesia Semenanjung) ou o Sindicato dos Povos Peninsulares indonésios, que posteriormente seria modificado para "Kekuatan Rakyat Indonesia Istimewa" (Força Especial do Povo Indonésio) foi formado na Malásia Britânica sob a liderança de Ibrahim Yaacob e Dr. Burhanuddin Al-Hemy com o objetivo de alcançar a independência da Grã-Bretanha e união com a República da Indonésia. Este plano foi consultado com Sukarno e Hatta.[3]

Em 12 de agosto de 1945, Ibrahim Yaacob encontrou-se com Sukarno, Hatta e Dr. Radjiman em Taiping, Perak. Sukarno foi para o aeroporto de Taiping em seu voo de volta de Saigon para Jacarta. Anteriormente Sukarno foi convocado pelo Marechal de Campo Hisaichi Terauchi em Dalat para discutir sobre a independência da Indonésia e receber uma declaração direta de Terauchi de que o Império Japonês permitiu a independência da Indonésia.[4]

Referências

  1. McIntyre, Angus (1973). "The 'Greater Indonesia' Idea of Nationalism in Malaysia and Indonesia". Modern Asian Studies. 7 (1): 75–83. doi:10.1017/S0026749X0000439X.
  2. Sumpah Pemuda
  3. Reinventing Indonesia: menemukan kembali masa depan bangsa (em indonésio). PT Mizan Publika. 2008. p. 72 ISBN 978-979-433-516-1.
  4. Rushdy Hoesein (2010). Terobosan Sukarno dalam Perundingan Linggarjati (em indonésio). Penerbit Buku Kompas. p. 39. ISBN 978-979-709-489-8.