Green Dragon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Saúde.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde Fevereiro de 2008.

Green Dragon é uma bebida de alto teor alcóolico onde se mistura maconha. O objetivo é extrair o THC para o álcool, fazendo assim uma bebida muito potente, que em questão de gotas pode proporcionar o mesmo efeito da maconha fumada. Quando na forma desta tintura, o THC já diluído em álcool ficará solúvel em água. Trata-se tecnicamente de uma maceração. Popularmente é uma garrafada.

Preparação[editar | editar código-fonte]

O Green Dragon é um método de se extrair os princípios ativos encontrados na maconha. Estes componentes químicos, principalmente o THC, são insolúveis em água, mas solúveis em solventes orgânicos, como o álcool, portanto a necessidade do uso de uma bebida alcóolica de mais alto teor possível. Embora outros solventes orgânicos (como o álcool isopropílico ou o metanol) possam ser usados para a extração, eles são altamente tóxicos ao corpo humano, sendo assim, na prática, impossíveis de serem usados. Não há restrição porém ao uso de "álcool de farmácia", ou seja, o álcool 92° GL, aliás, este pode ser o melhor álcool possível de ser encontrado em muitos casos. O mais recomendado, porém, é o álcool de cereais, que é formulado especialmente para medicamentos, perfumes e bebidas e possui até 95° GL de teor alcoólico. Normalmente poderá encontrá-lo em lojas de produtos naturais e cereais.

Existem duas formas ou caminhos mais comuns de extração.

O primeiro, lento, envolve simplesmente a pulverização da maconha e sua imersão em uma garrafa com o álcool (ou bebida de alto teor). Ela deve ficar submersa por um período de várias semanas ou meses, agitando-se diariamente o preparado. Com o passar do tempo os canabinóides irão migrar da planta para o solvente. Um cuidado importante para que este processo é manter a garrafa selada e em um lugar escuro, uma vez que o THC decompõe sob a influência da luz.

O segundo, rápido, envolve o aquecimento do álcool para que se melhore seu poder como solvente. É preferível, a fim de se evitar acidentes, que este processo de aquecimento do álcool seja feito em "banho-maria". Os vapores do álcool, que tem ponto de ebulição por volta de 78,4 °C, são altamente inflamáveis, portanto muito cuidado deve ser tomado ao se aquecer a mistura. A maioria dos canabinóides será extraída por este método depois de 20 minutos de aquecimento.

Paralelamente a isso, se a maconha for secada no forno antes de sua adição ao álcool, em ambos os casos, a potência do preparado resultante aumenta consideravelmente, uma vez que este pré-aquecimento converte os insolúveis ácidos de THC em THC solúvel por decarboxilação. Este processo é feito em tempo de consumo quando a maconha é fumada. Mas no caso da extração do Green Dragon, esta etapa deve ser emulada com o pré-aquecimento. Entretanto se a maconha for elevada a uma temperatura muito alta (200 °C), ela começará a liberar o THC, perdendo assim o princípio ativo rapidamente. Para a segurança de não se perder o THC, a temperatura no forno nunca deve ultrapassar 175 °C. Mais ainda, alguns canabinóides vaporizam a temperaturas tão baixas como 126,7 °C, desta forma um cozimento mais prolongado e em uma temperatura menor (20 minutos à 93,4 °C, como citado em algumas receitas famosas) é mais recomendado.