Hígia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Hígia
Deusa da saúde
Hygeia Musei Capitolini MC1099.jpg
Hígia
Museus Capitolinos
Romano equivalente Salus

Hígia ou Higeia (em grego clássico: Ὑγίεια), na mitologia grega, era a filha de Esculápio e a deusa da saúde,[1] limpeza e sanidade (e posteriormente: a Lua). Ela exercia uma importante parte no culto do pai. Enquanto seu pai era mais associado diretamente com a cura, ela era associada com a prevenção da doença e a continuação da boa saúde. Seu equivalente na mitologia romana era Salus.

Hígia era assunto de um culto local desde pelo menos o século VII a.C. era "Atena Hígia" era um dos títulos dados a Atena, como Plutarco reconta:

No entanto, o culto de Hígia como uma deusa independente não começou a ser divulgado até o Oráculo de Delfos a ter reconhecido, e depois da devastadora praga sobre Atenas em 429 e 427 a.C. e em Roma em 293 a.C.. Seus templos primários eram em Epidauro, Corinto, Cós e Pérgamo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Hígia

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. The New Century Classical Handbook; Catherine Avery, redator; Appleton-Century-Crofts, New York, 1962, p. 578: "Hygea...[Also: Hygieia.] In Greek mythology the goddess of health. She was the daughter of Asclepius" ("Hygea...[Também: Hygieia.] Na mitologia grega a deusa da saúde. Ela era a filha de Esculápio")