Hanibaliano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o cônsul em 292, veja Afrânio Hanibaliano. Para para o meio-irmão de Constantino, veja Hanibaliano (filho de Constâncio Cloro).
Flávio Hanibaliano
Follis de Hanibaliano.
Nascimento século IV
Tolosa
Morte setembro de 337
Constantinopla
Nacionalidade
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Império Romano
Progenitores Pai: Flávio Dalmácio
Cônjuge Constantina
Ocupação General
Filiação Dalmácio (irmão); Constantino (tio)

Flávio Hanibaliano (em latim: Flavius Hannibalianus; século IV, Tolosa - setembro de 337, Constantinopla) foi um membro da dinastia constantiniana, que governou o Império Romano no século IV. Era sobrinho do imperador Constantino (r. 306–337), sob quem viria a servir como oficial militar. Em 335, casar-se-ia com Constantina, filha mais velha de Constantino

Vida[editar | editar código-fonte]

Hanibaliano era o filho de Flávio Dalmácio, e então sobrinho do imperador Constantino (r. 306–337).[1] Hanibaliano e seu irmão Dalmácio foram educados em Tolosa, onde sua família vivia, pelo reitor Exupério.[2] Na década de 320, Constantino chamou Flávio Dalmácio e seus filhos a Constantinopla. Hanibaliano casou-se com a filha mais velha de Constantino, Constantina, em 335 e foi feito nobilíssimo.[3] [4] [5]

Na ocasião da campanha de Constantino contra o Império Sassânida (337), foi feito Rex Regum et Ponticarum Gentium, "rei dos reis e do povo pôntico";[1] [5] a ele foi atribuído a cidade de Cesareia, as províncias do Ponto e Capadócia e parte do Reino da Armênia.[6]

Provavelmente Constantino pretendia colocá-lo no trono persa, após a derrota dos mesmos. A campanha persa não ocorreu, pois Constantino faleceu em maio de 337.[2] Hanibaliano morreu, assim como seu irmão, no expurgo da família real que se seguiu em Constantinopla.[5] [7] [8]

Referências

  1. a b Marcelino século IV, p. XIV; I-2
  2. a b DiMaio 1996
  3. Zósimo século VI, p. II; 39.2.
  4. Gibbon 1825, p. 99; 110; 126
  5. a b c Martindale 1971, p. 407
  6. Gibbon 1825, p. 113
  7. Zósimo século VI, p. III; 40.3.
  8. Gibbon 1825, p. 122-123

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Gibbon, Edward (1825). A História do Declínio e Queda do Império Romano [S.l.: s.n.] 
  • Martindale, J. R.; A. H. M. Jones (1971). The Prosopography of the Later Roman Empire. Vol. I AD 260-395 (Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press).