Heleusa Figueira Câmara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão deste artigo (desde setembro de 2019).
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde setembro de 2019).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde setembro de 2019).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis e independentes (desde setembro de 2019). Fontes primárias, ou com conflitos de interesse, não são adequadas para verbetes enciclopédicos. Ajude a incluir referências.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde setembro de 2019). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Edit-delete-not encyclopedic3.svg
Este artigo ou parte de seu texto pode não ser de natureza enciclopédica. (desde setembro de 2019)
Justifique o uso dessa marcação e tente resolver essas questões na página de discussão.
Heleusa Figueira Câmara
Nascimento 14 de maio de 1944
Vitória da Conquista
Morte 6 de janeiro de 2019 (74 anos)
Vitória da Conquista
Nacionalidade brasileira
Alma mater Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Ocupação professora, pesquisadora, poetisa, teatróloga e contista

Heleusa Figueira Câmara (Vitória da Conquista, 14 de maio de 1944 − Vitória da Conquista, 6 de janeiro de 2019[1]) foi uma poetisa, contista, teatróloga e professora Titular e Emérita[2][3] da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Ocupou o cargo de Vice-reitora da UESB (1991-1995) e de Secretária Municipal de Educação e Cultura do município de Vitória da Conquista (1997-2000).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha do médico Ubaldino Gusmão Figueira e da professora Maria Stella Moraes Figueira, Heleusa cresceu no seio de uma família tradicional em Vitória da Conquista, com formação religiosa protestante. Casou-se em 1963, aos dezenove anos, com o engenheiro civil Almir Querino Câmara, pai de seus quatro filhos - Diana, Mônica, Danilo e Verônica.

Vida acadêmica[editar | editar código-fonte]

Após o nascimento de seus filhos, retomou os estudos e ingressou no Ensino Superior. Em 1980 obteve Licenciatura em Letras pela Fundação Educacional do Nordeste Mineiro. No ano seguinte tornou-se professora da recém-fundada Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), em Vitória da Conquista. Entre 1982 e 1983 concluiu sua Especialização em Língua Portuguesa-Redação pela Pontifica Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP).

Foi também na PUC/SP que Heleusa obteve o mestrado em Ciências Sociais e o doutorado em Ciências Políticas. O primeiro título veio com dissertação intitulada Além dos Muros e das Grades: Discursos Prisionais, sob orientação do Professor Edson Passetti. Embora produzida entre os anos de 1997 e 1999, resulta, em verdade, de pesquisas realizadas por Heleusa ao longo de uma década com escritos de pessoas encarceradas em unidades prisionais de Vitória da Conquista.[4]O trabalho foi escolhido como a melhor dissertação de mestrado defendida na PUC/SP em 1999, e premiado com a publicação em livro de título homônimo, lançado pela EDUC em 2001.

O título de Doutora em Ciências Políticas foi obtido em 2004, com tese intitulada Leitura e Poder: Lembranças de Leitores[5], novamente sob orientação do Professor Edson Passetti. Neste trabalho, sua investigação enverada-se pelas materialidades discursivas ligadas aos temas da educação em presídios, escrita popular, reverberações da mídia, leitura e interpretação, memória e representações.

Além da produção científica, que inclui ainda artigos em revistas e capítulos de livros[6], Heleusa debruçou-se sobre a poesia, a ficção e o teatro [7].[8]Em 1982 publicou Mulheres acorrentadas[9], livro de contos, prefaciado por Afrânio Coutinho, com capa de Calasans Neto[10]. Em 1986 foi encenada sua peça teatral Cartas na Mesa, sob a direção de Gildásio Leite. Em 1990 foi encenada sua peça teatral infantil Fantasia Serrana, musical dirigida por Gildásio Leite e promovido pelo Conservatório de Música de Vitória da Conquista. Em 1991 publicou o livro Quarenta Graus de Outono[11], romance, com apresentação de Antônio Carlos Villaça, posfácio de Carlos Nejar e ilustrações de Calasans Neto. O lançamento ocorreu na Fundação Casa de Ruy Barbosa, no Rio de Janeiro. Por esta obra recebeu, em 1992, o Prêmio Djalma Gomes, conquistando o 1º lugar no Concurso Nacional de Literatura da Academia Feirense de Letras. Em 2006 recebeu a Medalha da Ordem do Mérito do Livro, da Leitura e da Biblioteca, conferida pela Fundação Biblioteca Nacional.

Atuação em instituições educacionais, culturais e sociais[editar | editar código-fonte]

Foi professora titular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), campus de Vitória da Conquista, entre os anos de 1981 e 2014. Lecionou as disciplinas Comunicação nas Organizações, no curso de Administração de Empresas, e Linguagem e Identidade; foi também professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade.

Teve participação importante em periódicos acadêmicos nacionais: foi membro do Conselho Consultivo da Revista Verve, do Núcleo de Sociabilidade Libertária da PUC/SP (Nu-Sol), vinculado ao Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais da mesma instituição; membro do Conselho Editorial Nacional da Revista Entreidéias, da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Membra Fundadora da Academia Conquistense de Letras (ACL) e presidente da mesma entre os anos de 1986 e 1990; Membro fundador do Conselho da Comunidade para Assuntos Penais da Comarca de Vitória da Conquista e presidente do CCCVC de setembro de 1989 a 1995; Diretora do Museu Regional de Vitória da Conquista - Casa Henriqueta Prates (1995 a 1996); Fundadora e curadora voluntária do Museu Literário Profa. Amélia Barreto de Souza (2007 a dez/2018); e Membro Correspondente da Academia de Letras da Bahia[12].

Referências

  1. PMVC, Gabinete Civil (6 de janeiro de 2019). «Nota de pesar pelo falecimento da professora Heleusa Figueira Câmara». Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista. Consultado em 19 de setembro de 2019 
  2. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, UESB (22 de maio de 2018). «Resolução CONSU nº 002/2018 de 22/05/2018» (PDF). Transparência de dados da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Consultado em 19 de setembro de 2019 
  3. Lisboa, Emanuela (23 de maio de 2018). «UESB confere Título de Professor Emérito a três docentes». Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Consultado em 20 de setembro de 2019 
  4. Câmara, Heleusa Figueira VerfasserIn. Além dos muros e das grades (discursos prisionais). [S.l.: s.n.] ISBN 8528302199. OCLC 250042755 
  5. Câmara, Heleusa Figueira (2005). Leitura e poder: lembranças de leitores. São Paulo: TEDE PUC/SP. Consultado em 19 de setembro de 2019 
  6. «Heleusa Figueira Camara». Escavador. Consultado em 11 de outubro de 2019 
  7. «Heleusa Figueira Câmara». Google Acadêmico. Consultado em 19 de setembro de 2019 
  8. PMVC, Cultura, Turismo, Esporte e Lazer (13 de maio de 2019). «Heleusa Câmara, uma vida dedicada às letras». Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista. Consultado em 19 de setembro de 2019 
  9. Câmara, Heleusa (1982). Mulheres Acorrentadas. Rio de Janeiro: Cátedra. 101 páginas. Consultado em 19 de setembro de 2019 
  10. Calasans Neto: gravuras - Página 115
  11. Câmara, Heleusa (1991). Quarenta graus de outono. Rio de Janeiro: M. Ohno Editor. 85 páginas. Consultado em 19 de setembro de 2019 
  12. ALB, Notícias (14 de dezembro de 2016). «Heleusa Figueira Câmara é o novo membro correspondente da ALB». Academia de Letras da Bahia. Consultado em 19 de setembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]