Henri Boulad

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Henri Boulad
Nascimento 28 de agosto de 1931
Alexandria (Egito)
Cidadania Egito, Líbano, Hungria, Síria
Etnia Sírios, Italianos
Alma mater
Ocupação professor universitário, padre, escritor,
Prêmios
  • Comandante da Ordem Francesa das Palmas Acadêmicas
Religião catolicismo

Henri Boulad SJ (Alexandria, Egito, 28 de agosto de 1931) é um jesuíta egípcio, místico e escritor. Além de sua cidadania egípcia e libanesa, ele também tem cidadania húngara desde 2017.

Henri Boulad, filho de família ítalo-síria, ingressou na ordem jesuíta em 1950 e completou seu noviciado de dois anos em Bikfaya, no Líbano. Ele então estudou literatura em Laval de 1952 a 1954 e filosofia em Chantilly de 1954 a 1957. Ele lecionou no colégio jesuíta no Cairo por dois anos e estudou teologia católica no Líbano de 1959 a 1963. Ele foi ordenado sacerdote em 1963 no rito melquita.[1] Em 1965, ele participou de um programa de treinamento interno dos Jesuítas em Pomfret (Connecticut) e completou um doutorado em psicologia na Universidade de Chicago.[2]

Ele trabalha no Egito desde 1967. Foi superior dos jesuítas de Alexandria, superior regional dos jesuítas do Egito e professor de teologia no Cairo. De 1984 a 1995 foi chefe da Caritas no Egito e presidente da Caritas Norte da África e Oriente Médio. De 1991 a 1995 foi vice-presidente da Caritas International para o Oriente Médio e Norte da África. Em 2004 tornou-se reitor do Colégio Jesuíta do Cairo.

Com sua carta SOS pour l'Église d'aujourd'hui (“SOS para a Igreja de hoje”) ao Papa Bento XVI, escrita em 2007 e publicada em 2009, ele pediu um repensar na Igreja Católica e defendeu um teológico e a reconsideração espiritual e o aprofundamento do anúncio da Igreja combinados com reformas pastorais e catequéticas, que deveriam ser acordadas no contexto de um sínodo geral da Igreja universal.[1] Em 2010, ele afirmou que a Europa "perdeu sua alma".[3]

Ele adquiriu a cidadania húngara na primavera de 2017.[4][5] De acordo com seu próprio relato, ele deseja expressar seu apoio à política restritiva de refugiados da Hungria sob o presidente Viktor Orbán desta forma.[6]

Boulad publicou seus numerosos livros em quatorze idiomas,[2] incluindo francês, árabe e alemão.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Henri Boulad


Referências

  1. a b Henri Boulad schreibt Benedikt XVI.: SOS für die Kirche von heute. In: Imprimatur 43 (2010), Februar 2010, S. 49–52.
  2. a b „Wer ist Henri Boulad?“ Online-Steckbrief von Hidda Westenberger, Abruf im Mai 2017.
  3. Henri Boulad: „Europa ist die Seele abhanden gekommen“, APA-Presseaussendung zu einem Interview in der Kärntner Kirchenzeitung, 13. August 2010, Abruf im Mai 2017.
  4. Jesuit monk P. Henri Boulad S.J. takes Hungarian citizenship oath. Pressemitteilung vom Büro des ungarischen Ministerpräsidenten, 17. März 2017, Abruf im Mai 2017.
  5. Elég volt kérnie, és magyar állampolgár lett egy alexandriai jezsuita pap („Um die ungarische Staatsbürgerschaft zu erhalten, brauchte ein Jesuit aus Alexandria nur zu fragen“). In: index, 27. März 2017, Abruf im Mai 2017.
  6. Wegen Orbans Migrationspolitik: Bekannter Jesuit Boulad nun ein Ungar. In: Kath.net, 12. Mai 2017, Abruf vom gleichen Tag.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.