Henrique, o Leão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pormenor de uma gravura retratando Henrique, o Leão

Henrique, o Leão (Ravensburg, 1129Brunsvique, 8 de agosto de 1195), Duque da Saxônia e da Baviera, foi um nobre medieval do século XII, cujo apelido tornou-se o símbolo do brasão de Brunsvique.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Estátua que representa Henrique, o Leão

Henrique, o Leão era descendente da linhagem dos Guelfos (Welfen) e nasceu aproximadamente em 1129, na Alemanha, vindo a falecer em 8 de agosto de 1195 na cidade de Brunsvique. Aos treze anos, tornou-se regente do Ducado da Saxônia e fundou cidades como Lubeck e Munique. Foi grande conquistador e respeitado por reunificar, novamente, a Saxônia e a Baviera.

Vida privada e pública[editar | editar código-fonte]

Representação da coroação de Henrique, o Leão e da sua esposa Matilde de Inglaterra

Casou-se em primeiras núpcias com Clemência de Zähringen, de quem se separou quando iniciou manobras e golpes contra o Imperador Frederico Barbarossa, que tinha a Família dos Zähringens como vassala e fiel.

Aos 36 anos de idade, em 1168, contraiu novas núpcias com Matilde de Inglaterra, filha de Henrique II da Inglaterra e Leonor da Aquitânia [1].

Desta maneira, uniu o Reino de Braunschweig/Luneburg e a Inglaterra. o que permitiu, séculos depois, a ascensão dos Hanôver ao trono inglês, no século XIX de onde destacamos os Reis Jorge III, Jorge IV e a Rainha Vitória.

Em 1180, por ter recusado ajuda ao Imperador Romano-Germânico Barba Ruiva na campanha da Itália, foi formalmente despojado de seus feudos e, expulso, procurou abrigo, com a mulher e os filhos na Inglaterra, governada por seu sogro Henrique II[2].

Realizações principais[editar | editar código-fonte]

Henrique - o Leão decidiu fazer de Brunsvique - cidade acerca de 60 quilômetros de Hanôver - sua residência oficial em 1142, construindo, assim, o castelo de Dankwarderodee estabelecendo o leão como emblema de seu brasão e poder. Em 1166, mandou esculpir uma imagem desse animal em bronze, que passou a ser símbolo da cidade [3], que foi colocado no centro da cidade como um símbolo.

Construiu, também, a Catedral de São Brás - com interior todo decorado por motivos bizantinos -, cujas portas são marcadas por arranhões, os quais, segundo velha lenda, teriam sido deixados por um leão que o Duque teria salvado a vida em uma de suas peregrinações[4]. Na realidade, entretanto, Henrique nunca encontrou um leão em suas andanças pela fé. [5]

Seu filho Oto IV tornou-se, em 1208, Imperador. Contudo, em 1212, foi excomungado pelo papa Inocêncio III e substituído por Frederico II [6].

Braunschweig ficou conhecida como a Cidade do Leão, em homenagem a Henrique, O Leão e transformou-se na principal cidade da Europa Central medieval.

Referências

  1. Williamson, Paul (1998). Escultura gótica: 1140-1300 (São Paulo: Cosac Naify Edições). p. 304. 
  2. Loyn, H R (1990). Dicionário da Idade Média Jorge Zahar Editor Ltda [S.l.] p. 370. 
  3. http://www.bser.de/braunschweig/tbsenglisch.htm
  4. , Campos, Cynthia Machado (2006). A política da língua na era Vargas: proibição do falar alemão e resistências no sul do Brasil (São Paulo: Editora Unicamp,). p. 351. 
  5. Schneider, Wolf (s/d). De Babilônia a Brasília: a cidade como destino do homem, de Ur a Utopia (São Paulo: Editora Boa Leitura). p. 339. 
  6. LENZENWEGER, Josef et. al. (1995). História da Igreja Católica (São Paulo: Editora = Edições Loyola). p. 393. 


Henrique, o Leão
Nascimento: 1129 Morte: 1195
Precedido por
Alberto, o Urso
Duque da Saxónia
1142–1180
Sucedido por
Bernardo III
Precedido por
Henrique XI
Duque da Baviera
1156–1180
Sucedido por
Otão I