Henrique José de Carvalho e Melo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Henrique José de Carvalho e Melo
Nascimento 28 de janeiro de 1748
Lisboa
Morte 26 de maio de 1812
Rio de Janeiro
Cidadania Portugal
Progenitores
Ocupação aristocrata

Henrique José de Carvalho e Melo (Lisboa, 28 de janeiro de 1748Rio de Janeiro, 26 de maio de 1812), 2.º conde de Oeiras e 2.º marquês de Pombal, foi um gentil-homem da real câmara da rainha D. Maria I, alto aristocrata e político.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Lisboa, filho de Sebastião José de Carvalho e Melo, 1.º conde de Oeiras e 1.º marquês de Pombal, e de sua segunda mulher, Leonor Ernestina Eva Wolfanga Josefa Daun. Foi herdeiro dos vínculos instituídos por seus avós, e aumentados por seu pai. O título de marquês de Pombal de juro e herdade foi-lhe concedido por decreto de 26 de junho de 1786 da rainha D. Maria I.[1]

Foi-lhe concedido o senhorio da vila de Oeiras, com vasta jusrisdição sobre a respectiva Câmara, o reguengo de Oeiras e ainda um alargado conjunto de direitos e rendimentos em várias alcaidarias.

O 2.º marquês de Pombal exerceu alguns lugares honoríficos, além do de gentil-homem da real câmara. Casou em 1764 com D. Maria Antónia de Meneses, filha de D. José de Meneses, da casa dos condes de Caparica. O casla não teve filhos, pelo que o título passou a seu irmão, José Francisco Xavier de Carvalho e Daun, que foi o 3.º conde de Oeiras, 3.º marquês de Pombal, e 1.º conde da Redinha.[1]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]