Igreja Matriz da Raposeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a igreja na Raposeira. Se procura a capela dedicada a Nossa Senhora da Guadalupe perto da Raposeira, veja Capela de Nossa Senhora de Guadalupe (Raposeira).
Igreja Matriz da Raposeira
Estilo dominante Manuelino
Religião Igreja Católica Romana
Diocese Diocese do Algarve
Ano de consagração Nossa Senhora da Encarnação
Website Página oficial
Património Nacional
DGPC 70927
SIPA 1243
Geografia
País Portugal Portugal
Local Raposeira
Coordenadas 37° 4' 57.93" N 8° 53' 23.59" O
Localização em mapa dinâmico

A Igreja Matriz da Raposeira, também conhecida como Igreja de Nossa Senhora da Encarnação, é um edifício religioso situado na localidade de Raposeira, no Distrito de Faro, em Portugal.

Descrição[editar | editar código-fonte]

A igreja situa-se num largo à entrada da aldeia da Raposeira, junto à Estrada Nacional 125.[1]

O edifício integra-se no estilo Manuelino, sendo de aparência geralmente sóbria e com poucos elementos decorativos, típica de uma igreja de ambiente rural e de uma região mais afastada dos grandes centros.[2] Ainda assim, é de grande interesse para o estudo da evolução tardo-gótica nacional, uma vez que devido à sua situação periférica manteve grande parte dos elementos originais, não tendo sido alvo de grandes campanhas de obras que lhe tenham alterado significativamente a aparência, embora tenham sido introduzidos alguns elementos barrocos no século XVIII.[2] Desta forma, é considerada como um dos principais exemplos do estilo manuelino na zona Sudoeste de Portugal, e um testemunho de uma época de grande desenvolvimento naquela região, durante a transição para o século XVI.[2]

O portal de entrada, em estilo Manuelino, foi executado em calcário da região, material que era tradicionalmente nos elementos mais nobres dos edifícios, como as molduras dos vãos.[3] Devido à sua delicadeza e qualidade, o calcário possibilitou um grande nível de detalhe nos elementos decorativos do portal,[3] com arquivoltas, capitéis de decoração fitomórfica e geométrica,[4] colunas de fustes lisos, e bases de ornamentação igual à dos capitéis.[5] O registo superior é provavelmente barroco, sendo rasgado por um janelão quadrangular e rematado por uma empena triangular.[2] Anexa ao lado Sul da igreja está a torre sineira, provavelmente também da época barroca, com quatro janelas em arcos de volta perfeita, e rematada por uma pirâmide, com pináculos nos ângulos.[2] O portal de acesso ao cemitério também foi construído no estilo manuelino,[5] apresentando igualmente elementos decorativos de formas geométricas e vegetalistas.[6]

A igreja é composta por uma só nave de dois tramos, com uma capela-mor de planta rectangular, e cobertura em madeira.[2] A capela-mor é coberta por uma abóbada, com um arco triunfal manuelino tripartido em colunelos suportados por capitéis, com decorações em arenito vermelho.[6] Em cada lado do arco triunfal erguem-se retábulos setecentistas de estrutura rectangular,[2] com talha dourada do século XVIII.[5] As tribunas em arco de volta perfeita, emolduradas por arquivoltas, possuem imagens de Cristo Crucificado[2] e de Nossa Senhora da Encarnação, esta última do século XVI.[5] Incluem igualmente uma tela ilustrando São Miguel e o demónio, e alfaias da prata dos séculos XVI a XVIII.[5] No interior destaca-se igualmente a pia de água benta, também no estilo manuelino.[4]

História[editar | editar código-fonte]

A igreja foi provavelmente construída na primeira metade do século XVI, devido à presença de vários elementos no estilo manuelino,[4] e às semelhanças com a Igreja da Luz, no concelho de Lagos, erguida na década de 1520, e com a Capela da Misericórdia de Albufeira.[2] O edifício não conheceu campanhas de obras de grandes dimensões ao longo da sua história, embora tenha sido ligeiramente alterada durante a primeira metade do século XVIII, com a introdução de elementos barrocos, nomeadamente os dois retábulos de talha dourada junto ao arco triunfal.[1]

A cobertura do edifício abateu em 1873, tendo sido posteriormente reconstruída.[5] Foi ligeiramente danificado pelo Sismo de 1969.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b VIEGAS, Patrícia (2000). «Igreja Paroquial de Raposeira / Igreja de Nossa Senhora da Encarnação». Sistema de Informação para o Património Arquitectónico. Direcção-Geral do Património Cultural. Consultado em 12 de Outubro de 2021 
  2. a b c d e f g h i j «Igreja da Raposeira». Património Cultural. Direcção-Geral do Património Cultural. Consultado em 12 de Outubro de 2021 
  3. a b FERNANDES e JANEIRO, 2008:119
  4. a b c «Igreja Matriz da Raposeira». Visit Algarve. Região de Turismo do Algarve. Consultado em 12 de Outubro de 2021 
  5. a b c d e f Vilas e Aldeias do Algarve Rural, 2003:27
  6. a b «Igreja de Nossa Senhora da Encarnação - Raposeira». Património Religioso. Câmara Municipal de Vila do Bispo. Consultado em 8 de Janeiro de 2021 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre a Igreja Matriz da Raposeira

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Leitura recomendada[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este(a) artigo sobre capela, igreja ou catedral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.