Igreja Siríaca Ortodoxa no Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou seção foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde fevereiro de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.

Igreja Siríaca Ortodoxa de Antioquia no Brasil ou Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia no Brasil é uma parte da Igreja Ortodoxa Síria no Brasil. Esta Igreja oriental autodenomina-se como ortodoxa Miafisita, ou pré-calcedoniana, que é caracterizada pela herança cultural e étnica dos arameus.

No Brasil foi iniciada com a chegada de imigrantes sírios, em 1904, e em 1949 foi fundada a Sociedade Beneficente Siro-Ortodoxa de São Paulo.

Em 1959 a igreja recebeu o raban Moussa Matanos Salama, que mais tarde foi sagrado bispo. Mas na década de 1980, a igreja adotou (por iniciativa particular do então Mor Crisóstomos Moussa Matanos Salama) uma postura missionária/nacionalizante, que gerou a formação da Igreja Católica Ortodoxa Siriana do Brasil, uma vertente missionária da Igreja Ortodoxa Síria voltada para brasileiros sem ascendência síria (ou oriental como um todo), porém em plena comunhão com o patriarcado siríaco ortodoxo de Antioquia.

Desde sua formação, por ter absolvido missionários oriundos de outras confissões cristãs e não possuir um centro de formação aos moldes orientais, incorporou posturas e práticas de devoção popular comuns fundidas do Catolicismo Romano Popular (novenas, promessas etc) até ao neopentecostalismo ( exorcismos, visões, revelações particulares, profecias etc.). Atualmente, encontra-se organizada sob a Nunciatura Apostólica no Brasil. Possui a Catedral Sirian Ortodoxa Nossa Senhora da Anunciação, em Taguatinga - DF, e a Catedral Sirian Ortodoxa São Miguel, em Aparecida de Goiânia - GO, além do Mosteiro Sirian Ortodoxo São Basílio e Santo Efrém, em Samambaia - DF. Ainda que, dada sua origem missionária, algumas comunidades e paróquias mantenham práticas sincrético-religiosas, desde 2009 e, especialmente com a chegada do Arcebispo e Núncio Apostólico Mor Tito Paulo George Hanna - Dom Tito Paulo Tuza - tanto o clero quanto as novas vocações têm passado por um processo de restauração das Tradições Siríaco Ortodoxas, enviando seminaristas para estudarem na Síria, nos centros de formação tradicionais do Patriarcado e formando monges para darem formação no Mosteiro do Brasil. Atualmente, muitas comunidades missionárias, especialmente as formadas nos últimos 15 anos, já não se caracterizam pelo uso de práticas sincrético-religiosas, ao mesmo tempo que as que ainda continuam estão em processo contínuo de adaptação e correção.

  • O atual Delegado Patriarcal da Igreja Sirian (Siríaca) Ortodoxa de Antioquia no Brasil (para as missões) é Sua Eminência Mor Tito Paulo Tuza, que é também arcebispo (metropolita) da diocese (eparquia) sirian ortodoxa do Distrito Federal, cargo que assumiu após a morte de S.E. Mor Leolino Gomes Neto. Mor Tito é também Núncio Apostólico e Arcebispo Presidente da Igreja no Brasil, cargo que assumiu após Sua Eminência Mor José Faustino Filho completar 75 anos e se tornar arcebispo emérito. Assim, Mor Tito é também arcebispo (metropolita) das diocese (eparquia) sirian ortodoxa de Goiás, Tocantins e Pará, e sua cátedra fica na Catedral Sirian Ortodoxa de São Miguel, em Aparecida de Goiânia - GO. Todas as comunidades missionárias do Brasil estão diretamente ligadas à Nunciatura.

O documento que oficializa essa nomeação é a Bula Patriarcal número 300 - E, pode ser conferida no CONIC (Conselho das Igrejas Cristãs no Brasil) do qual, a Igreja Siriaca Ortodoxa no Brasil é membro.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]