Igreja da Misericórdia (Leiria)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Igreja da Misericórdia de Leiria
Estilo dominante Maneirismo / Estilo chão; Barroco
Início da construção 1544; reconstruída em 1707
Fim da construção século XVIII
Função inicial Igreja da Misericórdia
Função atual Centro de Diálogo Interculturas
Património Nacional
Classificação  Monumento de Interesse Público
Data 2015
Geografia
País Portugal
Cidade Leiria

A Igreja da Misericórdia de Leiria é uma igreja erigida inicialmente no século XVI e reedificada no século XVIII; situa-se na Rua Miguel Bombarda (antiga Rua da Misericórdia), no centro histórico da cidade de Leiria, Portugal.[1]

Em 2015 a igreja foi classificada como Monumento de Interesse Público (portaria nº 208/2015).[2]

História / Características[editar | editar código-fonte]

Planta: 2 – Nave; 3 – Capela-mor; 4 – Sacristia

A igreja foi construída na sequência da fundação da Misericórdia em Leiria (séc. XVI), na primitiva Rua Nova dos Judeus (séc. XIV), depois designada por Rua da Misericórdia (séc. XIX), no local onde se situava a sinagoga medieval que servia a população judaica residente no centro histórico da cidade, de cuja presença subsistem diversos vestígios arquitetónicos. A expulsão da população judaica em 1496 levou à destruição da sinagoga e, meio século mais tarde, à edificação da igreja (1544).[2]

Entre 1627 e 1636, o então bispo D. Dinis de Melo e Castro mandou anexar ao templo quinhentista um hospital, que esteve em funcionamento até 1800. A partir de 1707 a igreja foi integralmente reconstruída; é esse templo setecentista, de cariz maneirista (estilo chão), de exterior sóbrio e com estrutura simples, de uma só nave coberta por teto de esteira, que encontramos atualmente.[3]

As paredes laterais da nave da igreja dividem-se em dois registos horizontais, separados por uma cornija retilínea, e são ritmadas por pilastras de perfil sóbrio. Na parede do arco triunfal abrem-se dois altares laterais com os respetivos retábulos onde se inserem imagens modernas de São Sebastião e da Rainha Santa Isabel. Na capela-mor a sobriedade dominante da nave cede lugar a uma maior exuberância decorativa. O retábulo do altar-mor integra uma pintura do século XVIII representando a cena da Visitação. Na sacristia, salientem-se um lavabo do período barroco, um sóbrio arcaz em madeira, de linhas simples, e um notável nicho em pedra (da provável autoria do mestre Francisco Gomes), dotado de colunas torsas e diversos embutidos marmóreos característicos dos inícios do barroco joanino onde se insere um baixo-relevo alusivo ao calvário.[2][4]

Para além do seu interesse patrimonial, a igreja afirma-se como "um espaço com grande simbolismo, conservando muito presente a memória judaica e cristã-nova de Leiria, cuja importância histórica é acrescida pelo facto de na antiga judiaria, junto à sinagoga, ter funcionado a tipografia, de fundação quatrocentista, de onde saiu em 1495 o célebre Almanach Perpetuum de Abraão Zacuto, a primeira obra científica impressa em Portugal".[5]

Atualidade[editar | editar código-fonte]

A Igreja da Misericórdia foi reduzida ao uso profano em 2014. É propriedade da Santa Casa da Misericórdia e está cedida à Câmara Municipal de Leiria que, após um amplo programa de restauro (2016), a transformou num Centro de Diálogo Intercultural (inaugurado em 2017), no âmbito do projeto Rotas de Sefarad, Valorização da Identidade Judaica Portuguesa no Diálogo de Culturas.[6][7]

Referências

  1. «Pedido de abertura do procedimento de eventual classificação da Igreja da Misericórdia de Leiria» (PDF). Direção Regional de Cultura do Centro. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  2. a b c Sílvia Leite. «Igreja da Misericórdia de Leiria». Património Cultural. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  3. «Igreja da Misericórdia de Leiria». Turismo de Portugal. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  4. Almeida, José António Ferreira de (coordenação) – Tesouros Artísticos de Portugal. Lisboa: Seleções do Reader's Digest, 1976, p. 318
  5. «Património: Igreja da Misericórdia de Leiria classificada como monumento de interesse público». Agência Ecclesia 
  6. Helena Amaro. «Centro de Diálogo Intercultural de Leiria inaugurado dia 24». Diário de Leiria. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  7. «Católicos chocados com espetáculo de dança em antiga igreja». Diário de Leiria